Meio Bit » Arquivos » Games » Jornal pergunta se games estão ajudando a criar assassinos

Jornal pergunta se games estão ajudando a criar assassinos

01/05/2012 às 16:39

dori_cod_01.05.12

Você já disparou alguma arma de verdade? Mesmo que a resposta seja negativa, provavelmente tem consciência dos fatores como peso, concentração e recuo envolvidos na utilização de, por exemplo, uma simples pistola, então eu lhe pergunto, depois de tantos anos jogando games de tiro em primeira pessoa, você acredita que isso seria o suficiente para lhe tornar um exímio atirador?

Pois a manchete de um artigo publicado pelo jornal Daily Mail questiona se estamos criando uma geração de assassinos e depois afirma que jogos como o Call Of Duty servem para treinar jogadores a usarem armas reais, acertando suas vítimas na cabeça.

O que teria levado o autor a chegar a tal conclusão foi a declaração de Anders Breivik admitindo ter usado o FPS da Activision para orquestrar o que ficou conhecido como o massacre de Utoya, onde o norueguês matou dezenas de pessoas e, de acordo com o texto, aumentou o temor de que grupos como a Al Qaeda utilizem os jogos eletrônicos com o mesmo propósito.

Outro argumento utilizado no artigo para atacar os games foi um estudo realizado com 151 pessoas divididas em três grupos, sendo que um deles jogou o Resident Evil 4, outro o Wii Play e o terceiro o Super Mario Galaxy e depois foram submetidos a uma seção de tiro com armas reais, com o grupo que se dedicou ao game da Capcom sendo o que demonstrou a melhor pontaria, acertando grande parte dos disparos na cabeça do alvo que imitava um ser humano, supostamente reproduzindo o que fizeram enquanto jogavam o RE4.

A única coisa que nem o estudo nem o texto publicado pelo jornal parecem levar em consideração é o fato de que existe uma abismal diferença entre disparar contra um personagem na televisão ou um alvo inanimado e contra uma pessoa de verdade, tirando-lhe a vida e novamente fico me perguntando o que utilizávamos como “simuladores” para treinar antes de irmos matar uns aos outros no Vietnã, nas cruzadas ou nas lutas no Coliseu. Será que realmente o ser humano precisa de motivação para aniquilar seus semelhantes?

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários