Meio Bit » Arquivos » Mobile » ¼ das casas do planeta possuem WIFI, só que não.

¼ das casas do planeta possuem WIFI, só que não.

05/04/2012 às 10:11

africaphone Um velho ditado diz que existem mentiras, mentiras cabeludas e estatísticas. É verdade. Se eu comer um frango e você nenhum, estatisticamente cada um comeu meio frango. Se o Eike Batista se mudar pro seu bairro, sua renda familiar média subirá que é uma beleza.

O problema é que rola uma conivência entre quem faz as pesquisas e quem compra. Rola um clima de revista de carro dando prêmio. Você publica uma pesquisa que diz o que o cliente quer ouvir, e ele comprará a próxima contigo.

Claro, isso é suicídio quando você precisa dos dados reais, mas não é problema quando a pesquisa só serve para comprovar o que você já decidiu fazer.

É o exemplo dessa pesquisa do Strategic Analytics. Depois de pesquisar 17 países, concluíram e extrapolaram que 25% de todas as residências da Terra possuem redes sem fio.

Legal, só que de mais de 100 países (fiquei com preguiça de googlar) no planeta pesquisaram 17, e tudo filé, os mais pobrinhos eram Brasil, México e Índia. Só a Coréia do Sul deve ter tido um efeito Eike Batista puxando pra cima todas as estatísticas. São 80.3% das casas com WIFI por lá.

Na prática 1.3 bilhões de pessoas vivem sem eletricidade no planeta, e outro bilhão tem acesso, mas não confiável. É um monte de gente que vive com menos de US$2 por dia e definitivamente tem mais com que se preocupar (tipo o almoço) do que instalar WIFI em casa.

Pesquisas como essa da Strategic Analytics (que aliás custa US$7 mil) vendem uma idéia falsa de mundo, vendem a idéia de uma tecnocracia, de um “futuro comercial do Google”, ao mesmo tempo que passam um otimismo igualmente irreal.

Afinal, se 25% do planeta tem WIFI, deve ter notebook, iPhone, iPad, né? Não estão tão ruins assim.

O que acontece é que 17 países concentram tanto a tecnologia que ofuscam as outras 189 nações do planeta.

Para uma Dlink da vida, o relatório é otimista e vale o preço, pois será usado como argumento para investir em novos produtos, dado o sucesso do WIFI. Já para quem pesquisa inclusão digital, é um choque de realidade, mostrando o quanto estamos longe da utopia tecnológica que irá salvar o mundo.

Não há problema nenhum em chegar a conclusões distintas partindo de um mesmo conjunto de dados. Errado é fingir que só vale como “mundo” quem tem luz elétrica e água encanada, e prever bobagens como “em 2016 42% das casas do mundo terão WIFI”.

Fonte: The Verge

relacionados


Comentários