Meio Bit » Arquivos » Mobile » [Análise] Samsung Galaxy Note

[Análise] Samsung Galaxy Note

19/03/2012 às 16:04

Samsung Galaxy Note e sua S-Pen.

Samsung Galaxy Note e sua S-Pen.

O Galaxy Note é um aparelho de características inesperadas. Ele trouxe a aposta no uso da stylus, agora chamada pela Samsung de S-Pen, e tem tamanho grande até para os maiores smartphones, tentando ser um produto intermediário entre smartphone e tablet. A justifica para as decisões de projeto estão no direcionamento do aparelho para o nicho de usuários atraídos pela possibilidade de fazer registros e anotações, como o nome indica.

Apesar de ter exemplo recente de insucesso nessa linha, a Samsung tem investido na divulgação do Galaxy Note. Como resultado, seu aparelho conseguiu atingir a marca de 2 milhões de vendas em cerca de 5 meses desde o seu lançamento. O número é pequeno diante de produtos como iPhone 4S e Galaxy SII, mas é considerável para um aparelho de nicho.

Design e Construção

O Galaxy Note mantém a construção com predominância de plástico, o que o afasta da impressão de qualidade e robustez que seriam esperadas de um aparelho desse porte. As bordas são lisas e com efeito cromado, aparentando, também, ser suscetível a riscos. A fragilidade aparente só não é maior porque a tampa traseira, apesar de muito fina, é texturizada, evitando que possíveis marcas e riscos sejam evidenciados.

Parte de trás do Galaxy Note.

Parte de trás do Galaxy Note.

De um modo geral, o design é o mesmo do Galaxy S2, com proporções ainda maiores, de 147 x 83 x 9.7 mm (altura, largura e profundidade), mas sem o destaque em torno da câmera traseira e com o formato do corpo uniforme. O peso do produto também foi significativamente aumentado para 178 g. As demais características físicas foram mantidas, como o típico botão central acompanhado de dois botões capacitivos, respectivamente com as funções home, menu e voltar. O conjunto ainda possui botões físicos de aumentar/diminuir volume e power.

Botões de volume (à esquerda) e porta micro-USB (à direita).

Botões de volume (à esquerda) e porta micro-USB (à direita).

Entrada para fone de ouvido (à esquerda) e botão power/lock (à direita).

Entrada para fone de ouvido (à esquerda) e botão power/lock (à direita).

O aparelho possui entrada de fone de ouvido de 3mm, porta micro-USB com função compartilhada de saída de vídeo, quando usada em conjunto com um adaptador MHL HDMI, e a entrada para a S-Pen, em sua parte de baixo. O encaixe da caneta é bem feito, permitindo que se ignore a existência do acessório caso o usuário não seja atraído por suas funcionalidades.

Tela

Um dos pontos fortes do Galaxy Note é sua tela. São 5.3 polegadas com a tecnologia Super AMOLED HD de resolução 1280x800 pixels, resultando em cerca de 285 ppi de definição, e capacidade de exibição de 16 milhões de cores. As imagens são exibidas com cores vibrantes, brilho forte e com boa visibilidade, mesmo sob diferentes ângulos ou com incidência de luz solar. Mesmo que a tela use a tecnologia Pen Tile, o que implica numa quantidade reduzida de subpixels, não há do que reclamar. Com os controles de ajuste de brilho e modo de tela, é possível chegar a um bom balanço de iluminação e cores para diferentes ambientes.

Tela do Galaxy Note em destaque.

Tela do Galaxy Note em destaque.

A tela é protegida pelo vidro Corning Gorilla Glass, trazendo maior resistência contra riscos e marcas, e possui o recurso de haptic feedback, que produz vibrações assim que uma ação é registrada pelo usuário. O retorno não chega a ser bom como o do Nokia N9, mas certamente contribui para melhorar a experiência de uso.

Por seu tamanho, a tela permite uma ótima experiência para assistir filmes e jogar, já que há bom espaço para ter controles virtuais e, ainda assim, ver o conteúdo em si. Como o formato da tela é wide, conteúdos como sites, HQs e livros oferecem melhor compensação entre exibição de conteúdo e tamanho quando o aparelho fica disposto em modo paisagem. A visualização em modo retrato pode tornar a leitura incômoda pelo tamanho pequeno do texto (algo que pode ser contornado quando o aplicativo de leitura permite o aumento da fonte com adaptação do conteúdo à largura da tela).

Desempenho

O Galaxy Note manteve essencialmente o mesmo conjunto oferecido pelo Galaxy SII, mas com um aumento na velocidade de operação do processador. O aparelho vem com 1 GB de memória RAM e processador dual-core ARM Cortex-A9, operando a 1,4 GHz. O SoC Exynos, da Samsung, inclui também a GPU Mali-400MP.

Apesar de o aparelho ter especificações melhores do que as do Galaxy SII, a vantagem dele não é tão clara na prática. O desempenho gráfico do Galaxy Note é reduzido pela demanda maior de processamento, já que sua tela tem resolução 1280 x 800, contra os 800 x 480 do SII. Mesmo com a ressalva quanto ao processamento gráfico, a experiência que o Galaxy Note entrega é ótima. O aparelho consegue executar jogos sem problemas e exibe vídeos em resolução Full HD sem qualquer engasgo.

Alguns resultados obtidos com aplicativos de benchmark foram:

  • Quadrant 2012: 3178;
  • SmartBench 2012: 2985|1307 (Produtividade|Gráfico);
  • Velamo: 650.

Hardware

Além da boa capacidade de processamento, o Galaxy Note oferece um conjunto de hardware que pode atender a diversas necessidades. A memória interna é de 16 GB, mas pode-se adicionar até 32 GB com o uso de cartão de memória micro SD. O receptor de Rádio FM traz uma opção interessante para se ter acesso a notícias e músicas. Apesar de não ter NFC, o aparelho conta com Wi-Fi Direct, para trazer aquele recurso novo e, ainda, com poucas oportunidades de uso na prática.

O GPS não tem uma recepção fora do comum quando usado sozinho e sem acesso à Internet. Contudo, tem um bom desempenho quando a conexão está ativa e pode ser favorecido pelo uso do GLONASS e do barômetro, para conseguir maior precisão e velocidade de definição do posicionamento.

Exibição do sinal recebido por satélites do sistema GPS (8 primeiros) e GLONASS (4 últimos).

Exibição do sinal recebido por satélites do sistema GPS (8 primeiros) e GLONASS (4 últimos).

Exceto por chamar atenção pelo tamanho, o Galaxy Note funciona bem como telefone. As ligações foram feitas sem problemas de queda e o volume da voz se manteve satisfatório. A recepção de sinal 3G é mediana, indicando um sinal baixo na maior parte das situações, mas ainda assim não chegou a ficar indisponível em qualquer momento.

Sistema operacional

O aparelho é entregue com a versão 2.3.5 do Android, tendo a já esperada personalização do TouchWiz. Apesar da defasagem da versão, é possível notar que muitos dos recursos recém adicionados pela Google já estão presentes no Galaxy Note. Alguns deles são o modo USB OTG, que permite o uso de periféricos USB, a captura de screen shot sem acesso como super usuário (root), agrupamento de ícones em pastas e o gerenciador de tarefas mais acessível (ainda que longe da praticidade vista no Ice Cream Sandwich).

Por mais que essas personalizações tornem o aparelho mais completo, é possível entender a rejeição às mudanças feitas. Elas tiram do aparelho o conceito de interface trabalhado pela Google, o que será ainda mais nocivo caso substitua a particularmente bela versão 4 do Android. Além disso, as personalizações levam o aparelho a utilizar mais recursos de hardware, chegando ao ponto de impedir que equipamentos mais antigos sejam atualizados para versões mais novas do sistema operacional, mesmo que tenham capacidade suficiente para executar a versão pura. Para piorar, a versão retail nacional tem o triste “diferencial” de vir com aplicativos 7 pré-instalados e não removíveis, dentre os quais revistas da Editora Globo e a demonstração do jogo Spider-Man HD -- isso mesmo, sequer é uma versão completa e ainda assim não pode ser removida.

Detalhes do Android com as personalizações da Samsung.

Detalhes do Android com as personalizações da Samsung.

Um problema notado pelo uso da tela de alta resolução em conjunto com a versão 2.3.5 do Android é o mal aproveitamento da tela por alguns widgets. Ainda que a Samsung tenha incluído widgets com a capacidade de serem redimensionados, os aplicativos baixados pelo Android Market não oferecem a mesma possibilidade. Com isso, é comum widgets ocupem apenas 4 colunas, quando na verdade poderiam ocupar 5. Como o posicionamento dos widgets não é totalmente livre, é criado um vão na área de trabalho. Com a atualização do sistema para a versão 4, essa deficiência deve se tornar uma vantagem, já que os widgets serão redimensionáveis. Assim, o espaço a mais poderá ser aproveitado para a exibição de mais conteúdo -- ainda que dependa da boa vontade dos desenvolvedores para dar suporte ao recurso de redimensionamento.

Com seus pontos altos e baixos, o Galaxy Note deve atender bem àqueles que procuram um smartphone já completo e com recursos úteis em situações diversas. Compartilhamento de conexão por Wi-Fi e USB, aplicativo para sintonizar e gerenciar estações de rádio FM, gravador de voz, editor de fotos e vídeos e até um diário para o registro de fotos estão presentes. Um dos destaques fica por conta do Kies Air, que de modo semelhante ao AirDroid, permite que computadores na mesma rede possam acessar uma página que dá acesso a ferramentas de gerenciamento do aparelho, permitindo a troca de arquivos e controle de reprodução de músicas do telefone pelo computador.

Usabilidade

Uma das consequências do tamanho excessivo do aparelho é a degradação da usabilidade para uso com uma mão. Levando-se em consideração que esse é o modo comum de uso, é de se esperar que nem todos estejam dispostos a perder essa facilidade. Assim, essa é a principal característica que deve ser analisada antes da escolha do aparelho.

Algumas tarefas ainda podem ser realizadas com apenas uma mão, como atender chamadas, mostrar mensagens e fazer a leitura de itens que podem ser percorridos com o passar de dedo em qualquer lado da tela. A situação se complica a partir do momento em que um recurso fica disponível no lado oposto ao que a mão está. Para alguns ainda deve ser possível alcançar os elementos de interface mais distantes, mas provavelmente será preciso fazer um esforço maior do que o comum, o que deve ser preocupante caso a ação seja feita repetidamente.

Formatos de teclado para uso com duas mãos, uma e com a S-Pen.

Formatos de teclado para uso com duas mãos, uma e com a S-Pen.

Tentando amenizar o problema do tamanho, a Samsung adicionou uma opção para que o teclado virtual seja mais conveniente para uso com uma mão (aparentemente disponível a partir da versão 2.3.6). Por ela, o teclado passa ter o tamanho reduzido e a ficar próximo de uma das margens (de acordo com a lateralidade do usuário), aproximando-se do teclado de um aparelho de tamanho convencional -- ainda que no Android o convencional já não seja tão pequeno. Mesmo com a adaptação, certamente existirão casos de pessoas com dificuldade de uso com uma mão, já que a largura do aparelho toma muito espaço para que ele seja segurado com firmeza e permita uma boa movimentação do polegar.

Para aqueles que aceitam o uso com duas mãos, o aparelho é bem confortável. Apesar de grande, é possível segurar o Galaxy Note com firmeza em uma mão, permitindo o uso da outra mão para interagir, seja com a S-Pen ou com os dedos. O uso para digitação, com os dois polegares sendo usados, é confortável tanto com no posicionamento vertical, quanto lateral. Ao contrário de tablets, as teclas não ficam inacessíveis quando se usa o aparelho em modo paisagem.

S-Pen

A S-Pen segue o lado controverso do aparelho. Ao vê-la, a primeira reação das pessoas parece ser “Stylus? Em 2012? É sério?”, mas há uma diferença significativa S-Pen para boa parte das stylus do passado: você não é obrigado a usá-la para ter um bom reconhecimento de toque na tela. Dito isso, ela dá ao aparelho uma opção de interação, permitindo que sejam feitos desenhos e anotações sobre qualquer conteúdo exibido na tela ou sobre diferentes modelos de folha.

S-Pen em destaque diante do Galaxy Note.

S-Pen em destaque diante do Galaxy Note.

Assim como o aparelho, a caneta tem sua construção por plástico, conferindo leveza, mas atribuindo um ar de produto frágil e oco. A espessura permite um manuseio agradável, mas seria preferível que seu comprimento fosse um pouco maior, para conseguir um apoio melhor nas mãos. Outra característica que poderia ser melhorada em sua construção é a facilidade de uso do botão, que não é tão prático ou natural de ser apertado quanto deveria. É comum precisar fazer um ajuste do posicionamento da caneta quando se nota a necessidade de pressionar o botão.

A precisão da S-Pen é ótima, graças ao uso da tecnologia de digitalização da Wacom. Os traços são feitos exatamente como os movimentos e há uma boa variação na espessura das linhas, de acordo com a pressão feita.. Enquanto a ponta da caneta está em contato com a tela não são considerados os toques com os dedos ou com a mão, evitando que sejam criados traços sem que se tenha a intenção.

Mesmo com reconhecendo suas qualidades, é preciso deixar registrada a necessidade de um ajuste melhor da representação da saída da tinta, especialmente para canhotos. Quando se toca a ponta da S-Pen na tela, o traço fica 3 mm acima de onde deveria aparecer, tornando difícil dar continuidade a desenhos feitos anteriormente. O erro acontece mesmo configurando o aparelho para se ajustar melhor ao uso por canhotos, mas versões internacionais do firmware já conseguiram corrigir a falha.

Há outro ponto que desagrada: a S-Pen não é reconhecida pelos botões capacitivos, algo que se tenta fazer naturalmente enquanto o acessório está na mão. Para compensar essa deficiência, a Samsung adicionou gestos que podem ser feitos para se invocar as funcionalidades dos botões. Pode-se segurar o botão e fazer na tela o movimento de arrastar para cima ou para a esquerda, fazendo com que sejam ativadas, respectivamente, as funções de mostrar o menu e voltar. Além disso, foram adicionados outros gestos que promovem uma boa integração com o sistema. Dois toques na tela com o botão pressionado fazem com que se abra um pequeno bloco de notas, não importando qual aplicativo esteja aberto no momento. Manter o botão da S-Pen pressionado e enquanto se toca na tela faz com que seja capturada a imagem atual, automaticamente aberta no aplicativo S Memo.

Anotações no Galaxy Note: tipos de folha, reconhecimento de pressão e notas rápidas.

Anotações no Galaxy Note: tipos de folha, reconhecimento de pressão e notas rápidas.

O S Memo é o aplicativo que centraliza as anotações feitas. Às notas podem associadas imagens, gravações de voz, texto e desenhos, com opções variadas de tipo de linha (caneta, pincel, lápis e marca-texto), cores e espessura. Cada nota pode conter várias folhas, facilitando o agrupamento de informações e permitindo que se tenha a distinção clara entre informações coletadas em cada evento. Para o gerenciamento do conteúdo produzido, pode-se fazer buscas por texto, proteger por senha e fazer o sincronismo das anotações com o Google Docs.

Mesmo com todos os usos produtivos e criativos que a S-Pen permite, é possível que ela acabe em esquecimento passada a empolgação inicial de uso do aparelho. Comigo, isso só não aconteceu por porque o acessório se mostrou conveniente para fazer anotações rápidas durante reuniões, de modo semelhante ao que eu teria em um bloco de notas. Apesar de preferir o modo de escrita gerando desenhos, é possível substituir o teclado pela função de reconhecimento de escrita na tela. Para quem já domina o Swype, já incluso no sistema, ou prefere a digitação convencional, o modo de escrita pode ser facilmente descartado. Em todo caso, como a caneta fica encaixada no aparelho, ela sempre estará disponível quando o usuário se lembrar dela.

Aplicativos

Para quem busca um aparelho que já venha completo em termos de funções, o Galaxy Note se mostra uma boa opção. Além dos recursos associados à S-Pen, há uma boa variedade de aplicativos disponíveis.

Lista de aplicativos instalados no aparelho (à esquerda), Readers Hub (ao centro) e Editor de Fotografias (à direita).

Lista de aplicativos instalados no aparelho (à esquerda), Readers Hub (ao centro) e Editor de Fotografias (à direita).

Os hubs de livros e redes sociais permitem agrupar e gerenciar diversos itens e contas. Para a edição e visualização de documentos do MS Office, há o Polaris Office. O Mini-diário oferece uma forma conveniente de fazer registros que combinem fotos e anotações organizadas por datas, com uma apresentação bonita e agradável, conveniente para registrar viagens e momentos.

Um dos destaques fica por conta do Kies Air, que provê acesso a uma página que permite fazer o gerenciamento do telefone, controlar a reprodução de músicas e transferir de arquivos. O acesso à página precisa ser ativado no aparelho e oferece controle de acesso pelo IP do computador que tentar acessá-lo. O inconveniente é precisar ter instalado o Java para que as transferências do computador para o telefone sejam possíveis.

Kies Air - Página acessada pelo computador e gerada pelo Galaxy Note.

Kies Air - Página acessada pelo computador e gerada pelo Galaxy Note.

Se os aplicativos não forem suficientes, há o Android Market Google Play e duas lojas alternativas da Samsung, uma de propósito geral e outra específica para apps que usam a S-Pen. Do ponto de vista de compatibilidade, além da exigência de compatibilidade com a versão 2.3 do Android e da disponibilidade local (que impede o uso de aplicativos interessantes como o Google Play Books e Google Currents), há a limitação da resolução da tela. Por causa da alta resolução, apps como o Plants vs Zombies não podem ser instalados.

Câmera

A câmera principal do Galaxy Note tem 8 MP e é capaz de capturar fotos com resolução 3264x2448 e filmes em 1080p a 30 fps. O flash LED, ao contrário do Xenon, oferece uma contribuição razoável para fotos noturnas, mas sem permitir capturar fotos bonitas em ambientes pouco iluminados. Infelizmente, não há um botão dedicado de disparo, conveniente tanto para facilitar o momento da captura quanto para invocar a função da câmera rapidamente, sem precisar encontrar o ícone.

Recursos disponíveis para capturar fotos.

Recursos disponíveis para capturar fotos.

O usuário tem a seu dispor uma série de recursos e funcionalidades para a câmera. As fotos podem ter marcações com tags geográficas, serem capturadas por diferentes formas de disparo ( único, panorama, beleza, com temporizador ou por detecção de sorriso), em modos variados (retrato, paisagem, noturno, esportes, outono, ...) e com detecção de piscada.

A qualidade das fotos é boa, mas podem ser notados ruídos que dão um aspecto granular às imagens. Ainda assim, a câmera pode atender bem às necessidades que surgirem de capturar um momento inesperado ou para registrar informações que devam ser enviadas ou lidas posteriormente, como fotos de quadros, livros e documentos. Para permitir resultados melhores, podem ser feitos ajustes de controle do branco, ISO, medição e contraste.

Foto tirada com o Galaxy Note com pouca iluminação.

Foto tirada com o Galaxy Note com pouca iluminação.

Foto tirada com o Galaxy Note com disparo do flash.

Foto tirada com o Galaxy Note com disparo do flash.

Foto tirada em ambiente aberto e bem iluminado.

Foto tirada com o Galaxy Note em ambiente aberto e bem iluminado.

Foto tirada em ambiente aberto e bem iluminado: parte em tamanho original.

Foto tirada em ambiente aberto e bem iluminado: parte em tamanho original.

A câmera frontal, de 2 MP, pemite fazer vídeo chamadas com boa qualidade. Além disso, pode ser usada para a gravar fotos e vídeos tendo a visão de si na tela (sem precisar apelar para o espelho do banheiro).

Recursos Multimídia

O Galaxy Note oferece também um bom conjunto no que diz respeito a recursos multimídia. A capacidade de execução de vídeos no Galaxy Note é excelente, não apresentando problema sequer para reproduzir vídeos em Full HD. Por padrão, foi possível executar vídeos avi, mp4 e mkv. Para executar mov e rmvb, foi necessário instalar um player alternativo. A capacidade de reprodução de vídeo pode ser aproveitada com um adaptador MHL, permitindo a exibição do conteúdo em TVs e monitores que possuam entrada HDMI.

Reprodução de vídeo Full HD e exibição de legenda.

Reprodução de vídeo Full HD e exibição de legenda.

O aparelho conta ainda com o AllShare, facilitando o uso do DLNA para a reprodução de mídia em outros equipamentos, através de redes Wi-Fi. Além disso, possui editores de vídeo e de imagens, que oferecem funcionalidades básicas para se fazer montagens e tratamentos iniciais.

A reprodução de áudio, aproveitada por vídeos, músicas e pelo receptor de rádio FM, tem boa qualidade. O volume máximo tem altura boa para condições normais, mas pode desagradar aqueles que esperam por grande potência. Para as músicas, é possível aplicar efeitos, fazer ajustes com equalizador e habilitar a saída de áudio 5.1, desde que o aparelho esteja com um cabo de som conectado. Quando ativo, o player de música se integra tanto à tela de desbloqueio quanto à barra de notificações, facilitando o controle da reprodução das músicas.

Bateria e autonomia

O Galaxy Note vem com uma bateria de 2500 mAh de capacidade, permitindo que a tela grande e a alta capacidade de processamento não comprometam a autonomia. Como resultado, o aparelho consegue um feito visto em poucos smartphones com o Android: a possibilidade de uso por mais de um dia sem recarga.

Nos testes realizados, o aparelho foi mantido com conexão 3G ativa, foi configurado para sincronizar serviços de e-mail e calendário de 5 contas diferentes, além de ser usado para acesso navegação na Web, leitura de feeds e uso do Twitter e Foursquare (com uso de GPS). Como resultado do uso por quase 17 horas, o aparelho manteve 50% da carga da bateria. Ao usar o aparelho como player multimídia, sem conexão com a Internet, e com brilho médio, gastou-se 11% da carga máxima a cada 1 hora.

Gráfico de consumo de energia: uso prolongado com 3G (à esquerda) e mudança do consumo com o Wi-Fi ativo (à direita).

Gráfico de consumo de energia: uso prolongado com 3G (à esquerda) e mudança do consumo com o Wi-Fi ativo (à direita).

Apesar do resultado excepcional, o aparelho sofre com um problema que o leva ao consumo excessivo de energia quando o Wi-Fi está ligado. Nessa situação, o aparelho pode ficar sem uso, com sincronismo desabilitado, a tela desligada e, ainda assim, não chegar ao fim do dia com carga. Como solução, é preciso configurar o sistema para que o Wi-Fi seja trocado pelo uso da rede de dados GSM quando a tela for desligada. Com isso, a autonomia volta a ser fora do comum.

Além da política de desligamento do Wi-Fi, já nativa do Android, há uma central de configurações para gerenciar o consumo de energia. Dois perfis podem ser usados: padrão e personalizado. No primeiro, o sistema limita o uso de processamento, reduz a velocidade de renderização da interface e limita o brilho da tela. No segundo, o usuário pode definir políticas de economia de energia, como desativar Wi-Fi, Bluetooth, GPS e sincronismo, além de reduzir o brilho da tela e acelerar o desligamento automático dela quando o aparelho não está em uso. Para que essa política seja aplicada, o usuário pode definir um nível mínimo de bateria, permitindo, por exemplo, que o modo seja ativado quando restar apenas 30% da capacidade máxima.

O que vem na caixa

O produto é entregue para o usuário em um conjunto contendo:

  • Carregador de viagem;
  • Cabo USB;
  • Fone de ouvido intra-auricular com controle de volume e borrachas sobressalentes;
  • Manual.

Por mais que o fone de ouvido tenha sido uma boa surpresa, tendo inclusive função de controle de música, espera-se uma atenção maior aos clientes. Seriam bem vindos capa de transporte, dock-station, S-Pen sobressalente ou até cartão de memória com módicos 2 GB.

Conclusões

O Galaxy Note tem um tamanho grande que sacrifica a usabilidade de uso com uma mão, o torna pouco discreto para uso em lugares com pouca segurança e dificulta seu transporte em bolsos pequenos. Se essas características não forem problemáticas em seu cotidiano, o Galaxy Note pode se mostrar uma ótima opção, tendo bom desempenho, ótima tela, aplicativos variados e autonomia fora do comum para um smartphone com o Android.

Samsung Galaxy Note - GTN7000
Preço: entre R$1550,00 e R$1999,00 em lojas registradas no BondFaro

Informações

Tela: 5.3”
Resolução de tela: 1280×800
Sistema operacional: Android 2.3.5
Processador: ARM Dual-core 1.4 GHz Cortex-A9 SoC Exynos com GPU Mali-400MP
Memória RAM: 1 GB
Armazenamento: 16 GB expansível com cartões de memória micro-SD de até 32 GB
Conectividade: Wi-Fi (802.11 a / b / g / n), Wi-Fi Direct, DLNA, Bluetooth v3.0+HS, USB 2.0, GPS, GLONASS
Câmera Traseira: 8 MP e Flash LED com gravação de vídeo em 1080p
Câmera Frontal: 2 MP
Sensores: Luz ambiente, proximidade, acelerômetro, giroscópio, bússola digital, barômetro
Dimensões: 147 x 83 x 9.7 mm
Peso: 178 g
Bateria: 2500 mAh
Autonomia de bateria (2G): 17 h de conversação e 25 dias em modo de espera.
Itens inclusos: aparelho, cabo USB, carregador, fone de ouvido intra-auricular, manual e termos de garantia.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários