Meio Bit » Baú » Indústria » Google, Microsoft, Apple, Cestas e Ovos

Google, Microsoft, Apple, Cestas e Ovos

23/02/2012 às 18:15

Um velho ditado diz que nunca devemos colocar todos os ovos em uma mesma cesta. A Kodak que o diga. Mesmo assim às vezes é difícil para uma empresas diversificar suas fontes de renda, e isso gera posições estrategicamente frágeis.

A ZDNet fez uma bela pesquisa sobre isso, destrinchando a receita das 3 empresas mais famosas da área de tecnologia deste post. Vejam:

Microsoft:

ReceitaMS

Apple:

ReceitaApple

Google:

ReceitaGoogle

Por incrível que pareça a mais segura das 3 empresas é o patinho feio, a Microsoft, que perdeu seu mojo. Eles tem um monte de coisas medianamente legais que ou não vendem, como o Windows Phone, ou vendem mas não convencem, como o Kinect, que tem milhares de utilidades menos na área de games, agradando aos jogadores causais mas alienando os hardcore.

Mesmo assim suas fontes de receita são variadas e equilibradas. Nenhum desastre ameaçaria a empresa como um todo.

Já a Apple, com todo seu dinheiro em caixa depende hoje do iOS. ou mais precisamente da incapacidade dos fabricantes Android em produzir um concorrente decente pro iPhone e pro iPad. Uma debandada seria catastrófica. Depender de um produto só para sua subsistência, e você não vendendo Coca, ou Coca-Cola, é estressante.

No caso do Google é pior ainda. Entre 2010 e 2011 96% da receita da empresa vinha de veiculação de publicidade. É, AdSense, aquele negócio que todo blogueiro odeia pois paga uma miséria. O Google existe para veicular anúncios. TUDO que eles fazem envolve publicidade, mas esta depende dos anunciantes.

Anunciantes esses que são voláteis. Há centenas de programas de publicidade por aí. Se um deles for subitamente mais vantajoso que o AdSense, os anunciantes migrarão.

O Google hoje sobrevive por ter virtual monopólio sobre a veiculação de anúncios, mas e se a Microsoft incluir publicidade direto no Windows 8? E no caso do Android? Se aplicações como a AdFree, removedora de publicidade se popularizarem, os anunciantes abandonarão a plataforma, e aí o custo de desenvolver o Android deixará de se justificar.

Talvez isso explique o interesse do Google em tecnologias como carros automáticos. Podem estar pensando no futuro. Não do planeta, mas deles mesmos.

Fonte: ZDNet

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários