Meio Bit » Baú » Indústria » Tempos das válvulas: Nunca foi tão caro manter um computador novo

Tempos das válvulas: Nunca foi tão caro manter um computador novo

13/12/2006 às 16:44

Quando alguém usa o termo "válvula" em informática, normalmente está associado com algo ultrapassado, ineficiente, beberrão de energia, pesado, tosco. O rádio transistorizado diminuiu o rádio de valvulas que era do tamanho de um frigobar para um aparelho portátil e hoje é embutido até em celulares.

Qual o motivo desse post? Alertar. Não é normal ter um desktop que precisa de 1000 Watts de fonte e isso está se tornando comum na Europa e na América do Norte.

Quem está acompanhando a série PCFrank, está vendo algo bastante diferente das máquinas de 5 anos atrás: dissipadores de calor enormes, ventiladores de 120mm, uso de cobre ao invés de alumínio, gabinete gigante. Os componentes são miniaturizados e construídos na escala dos nanômetros, mas tem algo faltando na fórmula. Porque meu PC pesa mais de 20 quilos e precisa de 6 ventiladores para operar? Computadores menores e mais eficientes, que desaparecem do ambiente, onde? Porque todo mundo que está comprando um desktop novo, seja PC ou Mac, reclama do calor gerado pelas máquinas?


Sabe a propaganda de modelos lindas usando notebooks no colo? Mentira! Quem usa notebook sabe o calor que faz usar um notebook por 20 minutos. Não é nada agradável, principalmente para homens, que precisam da região, digamos, ventilada. Só falta alguém inventar cooler para testículos ligado na porta USB.

Energia elétrica é cara, todos nós sabemos disso. No verão, as famílias juntam-se todas no mesmo quarto para ligar apenas um aparelho de ar condicionado. A indústria fez sua parte, melhorando o consumo nos últimos 15 anos. Um refrigerador de ar atual, faz o mesmo trabalho que um refrigerador antigo, usando bem menos energia. O mesmo pode ser dito para geladeiras e outros produtos de linha branca.

Mas os PCs parecem estar indo na direção oposta. Consomem tanto quanto um chuveiro elétrico ou mais. O governo não sabe ainda, mas a nova geração de computadores pode ser ainda mais vilã que o chuveiro ou o ferro elétrico: não apenas eles consomem mais energia para funcionar, mas gastam ainda mais para manter-se em temperaturas aceitáveis de operação. Jogar Counter-Strike Source, numa máquina comprada em 2006 com uma boa placa de vídeo, consome tanta energia quanto tomar um banho com chuveiro elétrico. Ou você acha que 1 teraflop de processamento de triângulos ia sair barato?

Os estudos do Google mostraram claramente que manter um PC pode sair mais caro que o tempo de garantia do mesmo, ou seja a cada 3-5 anos paga-se o preço de um equipamento novo, em energia elétrica. Será que chegamos no ponto onde o transístor é a válvula de 40 anos atrás? Os PCs, em breve, virão de fábrica com radiadores, vamos ter que trocar óleo a cada 1000 horas de operação e fazer revisão todos os anos.

relacionados


Comentários