Meio Bit » Baú » Fotografia » E a Kodak pede concordata

E a Kodak pede concordata

19/01/2012 às 22:10

A notícia não é nenhuma novidade. Nos últimos anos a empresa vem mostrando um prejuízo atrás do outro e na semana passada a imprensa americana já tinha noticiado que isto iria acontecer, mas mesmo assim é uma penúria para tudo aquele que gostava de abastecer sua câmera com filmes Kodak nos anos dourados. A situação é antiga. Embora seja uma pioneira em desenvolvimento de tecnologia (marca registrada desde o seu nascimento), inclusive das primeiras câmeras digitais, a Kodak não apostou na ideia. Como as primeiras imagens digitais eram muito ruins ninguém da empresa achou que os fotógrafos abandonariam o velho filme fotográfico para investir em algo duvidoso. Neste ponto ela perdeu o bonde da história para companhias como a Sony que investiu pesadamente na nova tecnologia.

Nesta quinta feira a Eastman Kodak Company apresentou perante um tribunal de Nova Iorque o pedido de concordata com o objetivo de reorganizar os seus negócios. Infelizmente, a empresa não conseguiu levantar o montante necessário para iniciar sua recuperação de longo prazo e a única saída foi o pedido de concordata. Segundo a Lei Americana, a empresa pode pedir a concordata para se proteger dos credores enquanto traça um plano de recuperação. Porém, a coisa não é livre de fiscalização. Tudo é coordenado por um juiz que tem acesso ao livro caixa e à real situação financeira da empresa. Junto aos credores esse plano é traçado e colocado em prática. O comunicado oficial emitido pela Kodak afirma que "A recuperação econômica da empresa visa impulsionar a liquidez nos EUA e no exterior, obter capital não estratégico proveniente de propriedade intelectual, equacionar os passivos herdados e permitir que a empresa se concentre em suas linhas de negócios mais valiosos". Se vai dar certo só o tempo dirá.

Depois que encarou o futuro digital a Kodak decidiu atirar para todos os lados. Câmeras, serviços de impressão e de hospedagem de imagens, além de impressoras domésticas, foram os alvos. Infelizmente eles nunca conseguiram produzir uma câmera digital digna de nota, embora sejam os fabricantes dos sensores de câmeras da Leica. Agora o ponto principal é tentar eliminar as gorduras e ficar apenas com o que é lucrativo. George Eastman foi o responsável pela primeira grande revolução da fotografia quando fundou a Kodak há 131 anos. Foi ele quem popularizou a fotografia ao criar a possibilidade dela ser feita nos lares, na rua ou em qualquer lugar por pessoas comuns, pois até então você precisava contratar um fotógrafo ou aprender a lidar com químicos e toneladas de equipamentos. Aposto que ele nunca imaginou que sua empresa fosse acabar por não ter tido visão inovadora.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários