Meio Bit » Baú » Mobile » Review Nokia E-62 – Parte 1 – hardware

Review Nokia E-62 – Parte 1 – hardware

04/12/2006 às 15:04

Algum tempo atrás fui a uma das lojas de uma operadora de celular para assinar um plano com tráfego de dados ilimitado, não tinha a intenção de trocar de celular, porém é difícil resistir a dar uma olhada na vitrine para ver as novidades.

Entre as opções mais comuns para celulares que atendem o meu tipo de uso, estava um aparelho da Nokia com teclado (qwert), o que me chamou bastante atenção, pois sou fã dos aparelhos da mesma.

Ao olhar em volta, nenhuma propaganda sobre o mesmo, nem o preço tinha na vitrine. Ao perguntar a um atendente recebi a resposta: "Chegou ontem, não sei maiores detalhes sobre o produto".

Pedi para olhar o manual do mesmo e me surpreendi com o que vi, já perguntei o preço desconfiado, mas a resposta me assustou mais ainda, R$ 599 a prazo e R$ 499 à vista.

O aparelho é o Nokia E-62, que, até onde sei, continua sendo vendido sem qualquer alarde, o que é de espantar, pois um celular com tantos recursos com preço em, mais ou menos, um terço dos concorrentes com menos recursos, deveria ser mais anunciado.

Deixando isso de lado, vou começar hoje um review sobre o mesmo, como devo aboradar vários aspectos do mesmo, preferi dividir o review em partes para que não fique muito grande.

Uma versão sem wi-fi do Nokia E-61 (acredito que não seja vendido no Brasil), o E-62 é voltado para o mercado corporativo, onde conectividade é fundamental, porém possui fortes recursos multimídia que permite bastante diversão nas horas vagas.

Corpo

O corpo em metal apresenta um visual bastante elegante e transmite resistência (já caiu algumas vezes e continua em ótima forma).

O aparelho é um tanto pesado, nada absurdo (144 g), mas considerando a miniaturização dos celulares, parece meio desajeitado.

Fácil de carregar no bolso, é um tanto largo, para acomodar o teclado e a tela de 2,8".
O teclado é bastante confortável, mesmo para alguém que possui uma mão enorme como a minha.

Tela

A tela merece um destaque especial, com suas 2,8" (bem grande se comparada a outros celulares), 320x240 pixels de resolução e 16 milhões de cores, é uma das telas mais confortáveis que já pude ver em um celular.

O brilho da tela é ótimo e o aparelho conta com uma regulagem automática, em função da iluminação ambiente, além das configurações manuais. Porém, usar com o brilho máximo, por muito tempo pode aniquilar sua bateria.

Teclado e Joystick

O teclado, segue o padrão qwert (o mesmo do teclado do computador), com teclas de silicone com superfície rígida.

Bastante confortável e com os caracteres mais utilizados sendo facilmente acessados.

O aparelho conta, também, com 6 teclas com funções específicas na frente e 3 na lateral.

O principal método de comando do E-62 é seu joystick, que funciona como mouse quando necessário.

Um inconveniente é a falta de comandos específicos para o MP3 Player, o próprio aplicativo apresenta os comandos de avançar, pausar etc... Isso impossibilita gerenciar o player, sem tirar o aparelho do bolso.

Conexões

O E-62 conta com interfaces bluetooth, infravermelho o conector mini-usb, além de um plug estéreo para fone de ouvido.

Não testei a conexão IR, já a bluetooth segue o padrão 2.0 e apresenta uma boa velocidade e estabilidade.

A conexão mini-usb (cabo incluso), é a mais simples e que apresenta melhores recursos. Ao conectar o aparelho via usb o aparelho pergunta se deseja usar o modo PC-Suite ou Dados.

O modo dados, funciona apenas se estiver usando um cartão de memória e, como o software Nokia PC Suíte só existe para Windows, é o único método para conectar com um computador com Linux.

Estranhamente, o aparelho vem com um fone mono, mesmo com a conexão estéreo, o que prejudica bastante ao tentar usar o aparelho como MP3 Player. Não consegui achar nenhum fone estéreo compatível (testei do N-Gage e do 6510), aliais, se alguém achar um, por favor, me avise.

Processador

O processador utilizado é um OMAP da Texas a 235 MHz, com tantas funções o aparelho merecia um processador mais rápido.

Não que o funcionamento seja lento, mas em algumas situações o mesmo engasga, principalmente se começar a usar muitos aplicativos.

O tempo de boot, por exemplo é um dos mais lentos que já vi, leva mais de meio minuto para o aparelho estar pronto para usa ao ser ligado, isso não é 100% culpa do processador, mas um mais rápido ajudaria.

Memória

Para o uso básico, a memória incluída é mais que suficiente, o aparelho vem com 80 Mb (aproximadamente) disponível para o usuário, com isso, é possível guardar 40 músicas no formato AAC+ e ainda sobra muito espaço para aplicativos e documentos.

Porém, para aproveitar todos os recursos do aparelho, como assistir vídeos, por exemplo, vale a compra de um cartão de memória.

O aparelho suporta cartões Mini-SD de até 2 Gb. É altamente recomendável adquirir este cartão, sendo que para usuários do Linux, é praticamente obrigatório.

Espero que essa primeira parte forneça uma idéia do que é o hardware do Nokia E-62, na próxima parte estarei falando do software e na última, algumas dicas interessantes, para tirar o melhor proveito deste fantástico aparelho.

relacionados


Comentários