Meio Bit » Baú » Fotografia » Nikon D4 - uma câmera multimídia

Nikon D4 - uma câmera multimídia

08/01/2012 às 13:45

Como nós já tínhamos antecipado por aqui, a Nikon anunciou oficialmente nesta semana a sua nova câmera reflex profissional. A Nikon D4 (por favor, sem brincadeiras infames) chega para ocupar o posto de câmera mais avançada da empresa nipônica. Além de várias melhorias ergonômicas, as principais novidades ficam na parte de vídeo e conectividade. Por estes motivos a Nikon está anunciando o equipamento como uma câmera multimídia. Encontramos aqui um sensor full frame de 16 megapixels de resolução máxima, capacidade de fazer 10 fotos por segundo no modo contínuo e compatibilidade com a nova linha de cartões XQD.

Mas, vamos falar um pouco das novidades. Agora encontramos na câmera uma porta Ethernet, um sensor de medição RGB com 91 mil pixels e uma melhoria no sensor de foco automático que, segundo a empresa, vai melhorar em muito o foco em situações de pouca luz. A velocidade ISO nativa ficou entre 100 e 12.800 (nessa as previsões erraram, pois tinha gente apostanto que o ISO nativo iria até 102.000) e com a possibilidade de ser expandido para baixo até 50 e para cima até 204.800. A câmera também faz vídeos em Full HD com a opção de escolher entre três áreas do sensor. Você pode escolher aplicar um fator de corte no sensor para aumentar o poder de suas teleobjetivas. Isso é legal. Outra coisa interessante é a duração máxima de 20 minutos para o vídeo em alta definição. Uma melhoria que parece simples, mas é uma mão na roda em situações de pouca luz é que os botões superiores agora são todos iluminados quando acionada a luz do LCD superior.

Ao que parece, o pessoal da Nikon gastou muito tempo com o planejamento das opções de vídeo. Aqui encontramos um pacote completo para quem quer produzir vídeos com qualidade profissional. Além da gravação no próprio cartão de memória (responsável pela limitação de tempo de gravação em 20 minutos) agora também é possível conectar a câmera via cabo HDMI a um monitor ou fonte de gravação externa (ninguém falou se o tempo de gravação pode ser expandido com isso). O sinal enviado é sem compressão. Penso em várias situações onde isto pode ser muito útil. Também encontramos uma saída de fone estéreo cuja a finalidade é observar os níveis de som durante a gravação. Também temos o autofocus rápido durante a gravação de vídeo (embora a maioria dos profissionais desta área prefiram o foco manual), novo visor LCD com ajuste automático de brilho, controle manual de exposição que pode ser alterado durante a gravação do vídeo e o modo de gravação para Time Lapse.

A câmera é um primor de especificações técnicas, mas alguns usuários já começaram a bombardear a empresa com perguntas sobre o que eles acham deficiências imperdoáveis. A primeira e mais citada é a resolução de apenas 16 megapixels e outra que vi também foi a falta de disparo remoto do flash. A primeira é fácil de explicar. Durante o caminho de desenvolvimento do equipamento toda a propaganda ou informação davam conta que ela seria uma câmera para o fotojornalismo. Não é necessário mais do que 16 megapixels para a atividade jornalística hoje em dia. É possível imprimir uma foto sem interpolação em tamanho 60x40cm e nunca vi uma foto deste tamanho em jornal. Sem falar que o pixel gigante deste sensor deve gerar muito pouco ruído. A segunda reclamação também não é difícil de entender. As câmeras fotográficas profissionais não possuem flash incorporado, que é o responsável por mandar as informações de disparo para o flash remoto tanto no sistema da Nikon quanto da Canon.

Infelizmente, seguindo uma tradição boba entre os grandes fabricantes, não existe ainda nenhuma imagem em resolução total disponível para análise. Apenas imagens de baixa resolução. Assim fica difícil de atestar a qualidade total do equipamento. A nova Nikon D4 vai estar disponível em fevereiro ao custo de US$ 6.000,00. Um precinho camarada.

relacionados


Comentários