Meio Bit » Baú » Hardware » Análise do laptop Mirax

Análise do laptop Mirax

Resenha do laptop Mirax, fabricado pela Techsul.

27/11/2006 às 2:00

O último teste de micros fabricados pela Techsul gerou uma certa ansiedade sobre os laptops da empresa. Depois de todo esse tempo, consegui um modelo para testes e aqui vão os principais pontos. E, claro, conforme o Leo já explicou, essa não é uma análise paga. O laptop foi devolvido à revenda InfoOffice (35 3471 3331).

Características Gerais

O modelo testado é o única fabricado pela empresa. Talvez por isso, careça de um nome próprio.

Pré-instalado com o Windows XP Home Edition, tem as seguintes características: Intel Celeron 1,5 GHz; chipset Intel 915, 512 MB RAM DDR 333 MHz, 80 GB HD Samsung 4200 rpm, tela 15" XGA TFT, DVD/CDR combo, modem V92, Ethernet 10/100, WiFi 802.11g. É montado pela Techsul, baseado no modelo EAL51 da Compal, uma empresa chinesa especializada na produção OEM de laptops, fornecendo para a Dell, inclusive. Nesta configuração, o preço é de R$ 2.600,00.

Externamente, é bem agradável à vista. O conjunto plástico preto e prateado é harmonioso, mas não ganharia um concurso de beleza. Com pouco mais de 3cm de altura quando fechado e pesando 2,4 kg; se propõe a ser um laptop para o trabalho.

Há vários conectores visíveis. Na parte esquerda: microfone, fones de ouvido, USB, IrDA, alimentação, linha telefônica e a chave de ligação da rede Wi-Fi. Na direita: PCMCIA e SD Card. Aliás, uma funcionalidade muito interessante. Com a popularidade das câmeras digitais, essa entrada é extremamente bem-vinda. Na traseira: Firewire, Ethernet, três portas USB, porta paralela, VGA, e S-Video. Eu preferiria ter Bluetooth a Firewire, nesta classe de produto…

O DVD combo lê e grava CDs a 24x e lê DVDs a 3x. Aliás, acompanham o laptop três cds, além daquele com o Windows XP OEM: um com os drivers e o manual (em inglês), outro com o Nero OEM Suite e o último com o WinDVD.

Abrindo o laptop, nota-se o teclado em português (ABNT2). Infelizmente, o caractere "/" e o "?" precisam ser acessados através da tecla ALT da direita, o que não é usual em teclados de desktops (no caso, ALT + Q ou ALT+W). Para quem trabalha com linux no modo texto, deve ser um sofrimento até se acostumar. As teclas têm um bom espaçamento e são planas, não côncavas.

Os punhos descansam sobre uma superfície de plástico rugoso, muito agradável ao tato. No entanto, como os alto-falantes ficam exatamente sob essa capa, às vezes a vibração dos cones é sentida e incomoda um pouco.

Há dois botões, no canto superior direito, destacados em prata, para se ativar o navegador e o leitor de emails padrão. Ao lado deles, há uma fileira de leds indicativos.

O touchpad tem drivers mais atuais disponíveis, que resolvem pequenos problemas de compatibilidade com o Firefox 2.

A tela tem 15" e é muito brilhante e nítida, acima da média. Realmente, causou uma boa impressão a todos que usaram na empresa.

Adicionar outro pente de memória é complicado e só pode ser feito com ferramentas. Portanto, avalie sua necessidade e já encomende o quanto precisar.

Testes

O cpu-z identificou o processador Celeron M de 1,5 GHz; conforme a tela abaixo:

cpu-z_processador_mirax_laptop.jpg

Estava curioso para ver o teste da latência da memória (já que o sistema está operando em single channel), mas, pela imagem abaixo, tudo correu dentro do esperado:

sandra_memoria_mirax_laptop.jpg

Quanto ao HD, como não poderia deixar de ser, um modelo de 4200 rpm defitivamente deixa a desejar em performance. Mas, pela faixa de preço deste laptop, ninguém vai utilizá-lo para edição de vídeo. A bem da verdade, depois do carregamento dos programas mais comuns, não senti nenhuma perda de velocidade por causa do HD. Mas é sempre bom desfragmentar rotineiramente, já que o tempo de acesso é elevado (18 ms).

sandra_hd_mirax_laptop.jpg

mirax_laptop_hdtach.jpg

De modo geral, a performance em aplicativos para escritório é mais que aceitável. A bateria também resistiu o suficiente. Tocando um DVD com o WMP, ela se esgotou depois de 1 h e 45 min. Usando o editor de textos, ela resistiu mais de 3 h e 30 min, com a rede Wi-Fi ligada.

Para jogos, obviamente, o desempenho foi bem inferior. Usando o Aquamark 3 ( teste "Score" padrão ), a pontuação foi de 5.228. Esse é um valor bem abaixo dos 8.997 conseguidos com o chipset Intel 945G. Rodei o jogo "Command & Conquer: Generals" e, na configuração mínima, a animação foi suave, completamente sem trancos. Mas não se pode querer muito mais que isso.

Considerações Finais

A princípio, a impressão de fragilidade do teclado e do chassis assusta um pouco. Mas logo se desfaz, bastanto alguns minutos de uso. O teclado é agradável e seu único "defeito" é ser ABNT2. Mas, volto a dizer, tudo é questão de costume. A rede WiFi é muito sensível e me permitiu atravessar a rua e trabalhar na praça em frente à empresa, o que foi impossível com um laptop Toshiba.

O áudio, quando se utiliza fones de ouvido, tem um pequeno ruído de fundo, o que obriga o usuário a aumentar o volume mais um pouco.

Quando se usa a saída de TV, há uma pequena oscilação na tela, como se a fonte não fosse filtrada o suficiente. E isso também ocorre quando alimentado apenas pela bateria, de forma que possa ser um defeito de projeto da saída de vídeo.

Já a tela é realmente muito boa, se destacando entre os laptos dessa faixa de preço que já vi. É o ponto alto de um conjunto que cumpre o que se propõe: ser um laptop para o "batente".

Desvantagens: teclado ABNT2, pequeno ruído na saída de áudio e vídeo.

Vantagens: ótima tela, saídas USB na traseira e na lateral, leitor de cartões SD, rede Wi-Fi bastante sensível.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários