Meio Bit » Arquivos » Games » Final Fantasy XIV: Uma nova esperança?

Final Fantasy XIV: Uma nova esperança?

23/11/2011 às 10:30

Não é de hoje que a gigante dos JRPG's vem tropeçando em suas investidas, porém foi com o décimo quarto jogo de sua franquia mais famosa, que a Square Enix sentiu no bolso e na moral.

"O que nós consideramos mais crítico é o sentimento de que nós traímos a confiança dos nossos jogadores," disse Naoki Yoshida, produtor do jogo.

"Final Fantasy XIV, no momento em que foi lançado, desapontou enormemente nossos clientes que tinham grandes expectativas, e falhou em fazer jus aos padrões da série Final Fantasy. Como resultado, perdemos muito a confiança de nossos clientes."

Yoshida fala ainda que pesquisou sobre MMOs de sucesso como World of Warcraft e Rift para achar pontos positivos a se implementar. Há uma versão 2.0 do jogo prevista para 2013 (se os charlatões videntes de plantão estiverem errados, claro). Mas o que mais me preocupa é a seguinte afirmação de Yoshida:

"Pelo que se viu, nossa companhia já reuniu especialistas da indústria de jogos para nos ajudar a construir novos motores e fomos capazes de pegá-los emprestados para trabalhar especificamente nesse novo motor gráfico. Portanto, o processo de desenvolvimento está indo a um ritmo relativamente rápido."

Essa afirmação me preocupa, por que dá a entender que mais uma vez eles estão colocando a parte gráfica a frente da jogabilidade, o que particularmente acho um erro crasso. Em tempos onde a indústria Indie vai de vento em popa com seus gráficos simplistas, assumir que eles os gráficos são itens de resolução estratégica, é, no mínimo, equivocado.

Porém, Yoshida afirmou que já perderam a confiança dos seus jogadores uma vez, e que a base de julgamento dos mesmos residirá solidamente na jogabilidade. Não sou o maior fã de MMO's, prefiro os jogos com começo, meio e fim. Mas seria muito triste ver uma empresa como a Square Enix, com um histórico tão rico, afundar nesse mar de péssimas decisões estratégicas.

[via: Gamasutra]

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários