Meio Bit » Baú » Miscelâneas » Dicas de quais livros de tecnologia NÃO se deve comprar

Dicas de quais livros de tecnologia NÃO se deve comprar

28/10/2006 às 20:08

Livros e leitura são, para muitos, quase um vício. Minha primeira compra online está datada em 1997, na Amazon, e era um livro de C. Uma das melhores compras, pois ele não fica "velho": The C Programming Language. Com o tempo, aprende-se que existem dois tipos de livros de tecnologia: os que irão juntar poeira ou servir de banquinho e os que serão consultados durante anos.

Um exemplo do dilema são os Webstandards, assunto quente do momento. Vários autores, blogs, websites e livros dedicados ao assunto. Uma rápida pesquisa mostra a quantidade enorme de publicações. Escolher não é nada fácil. Entre os títulos abaixo, qual você escolheria como presente de Natal?

1. Web Standards Programmer's Reference
2. Designing with Web Standards
3. Bulletproof Web Design
4. Head First HTML with CSS & XHTML
5. Web Standards Solutions

Os livros acima possuem boas notas e reviews e a escolha é sempre complicada. Mas antes de revelar quais teriam sido eliminados, prefiro explicar os critérios.

Olhando para a estante, nesse exato momento, 5 exemplos de inutilidades em papel. Livros que arrependi amargamente de ter comprado e foram dinheiro jogado fora. Eles são exemplos do que não se deve comprar, pois acabam juntando poeira e ocupando espaço.

ColdFusion 4

Concorrência: O problema é que a empresa por trás do ColDFusion, a antiga Allaire, foi comprada pela Macromedia e por sua vez comprada pela Adobe. Temos empresas de design investindo em áreas onde temos Java, PHP, .Net, Ruby, Python e Asp.

Mercado: Observe tendências de mercado antes de investir no livro.
Outro grande problema do ColdFusion é que ele nunca pegou por ser fechado, proprietário, caro para hospedar e desenvolver. Esses sinais eram claros ao se procurar por hospedagem na plataforma.

Versão: Além disso, comprar livros de tecnologias onde a versão é muito importante é totalmente uma bola fora. O ColdFusion 5 mudou muita coisa e deixou as publicações da quarta versão obsoletas e inapropriadas.

Director 6

Versão: O problema principal de livros desse tipo é que eles não ensinam Director e sim a versão 6. Ou seja, o foco são apenas nas novidades da ferramenta e não em projetos completos, que ensinam como trabalhar de forma geral com a ferramenta, técnicas de imagem, animação e sonorização, etc. O livro é completamente inútil para o Director 9, por exemplo.

Ferramenta: Admito que já comprei a minha parte de livros sobre ferramentas de software. Posso afirmar categoricamente que se a empresa onde você trabalha, não comprou, não o faça.
Se está comprando o livro por causa de uma faculdade ou curso, também resista a tentação. A maior parte das dúvidas é facilmente respondida com pesquisas na Internet, em fórums, listas de discussão, blogs e websites sobre o assunto.

Dynamic HTML
Minha pior compra, disparado. É um livro de referência, mas nada supera a W3C.org e os milhares de websites. Dúvidas de css: livro ou Google? Pois é, um lixo.

Referência: Se o livro não é uma referência de uso real da tecnologia, ensinando boas práticas de uso, estudos de técnicas de aplicação da tecnologia, esqueça. Ele vai juntar poeira antes de você concluir o segundo capítulo.

Javascript Reference
Não foi uma compra ruim, em princípio, mas depois de duas semanas, coloquei o livro de lado e passei a usar ferramentas de busca, mais práticas e rápidas. A referência inteira do Javascript pode ser encontrada de graça também com exemplos e atualizada. Nunca mais abri o livro.

Ultradev

Imaturidade: Tanto da tecnologia quanto de quem comprou o livro. Era o começo de carreira e eu ainda fazia medicina. O Ultradev surgiu logo após a Macromedia comprar e remover do mercado o excelente Drumbeat. Ele era capaz de criar websites inteiros em ASP sem tocar no código. A Macromedia resolve destruir a aplicação, recorta e cola meia dúzia de ferramentas no Dremweaver (velho conhecido desde a primeira versão, em 1997) e chama-o de Dreamweaver Ultradev. Hoje, o Dreamweaver que tantos conhecem é o Ultradev, que possui suporte a várias linguagens de desenvolvimento e é o queridinho de 10 em cada 10 webdesigners.

Dê preferência a livros que ensinam técnicas ao invés da ferramenta, boas práticas ao invés da linguagem, projetos em detrimento de sintaxe. Um bom livro de programação é aquele que ensina o leitor a criar um projeto do começo ao fim e não apenas ensinar como se faz if else. Por exemplo, um livro sobre animação com tutoriais e exemplos em Maya pode ser aproveitado para quem trabalha com 3DStudio.

Os livros que eu não consideraria para a compra, apesar de excelentes: 1, 3 e 4. O primeiro por causa da tentativa de abordar assuntos demais e específicos. O segundo, porque é um livro de leitura única , se tanto. Ele é baseado nos erros cometidos por outros websites, mas muitas decisões de design são tomadas, mesmo fugindo de padrões, pois cada projeto possui necessidades diferentes. O terceiro, é um ótimo livro para iniciantes, mas é o tipo de material facilmente encontrado na Internet. HTML e CSS são fáceis, há uma abundância de material disponível e aprende-se mais olhando exemplos e programando.

Agora é com vocês. Mais alguma dica do que não comprar em termos de publicação?

relacionados


Comentários