Meio Bit » Baú » Fotografia » Nu Photo Conference - 3º Dia

Nu Photo Conference - 3º Dia

23/09/2011 às 19:03

Depois de assistir ao 2º dia do evento, pensamos que nada poderia superar o que assistimos, mas não foi bem assim. Depois de dormir em um hotel onde o quarto duplo tinha o tamanho do banheiro de minha casa, sem acesso a internet e com um sky-gato na televisão, sai de uma merecida noite de sono direto para o Shopping Eldorado. Desta vez não tive vergonha e fui direto ao elevador de serviços e peguei uma carona até o terceiro andar. Infelizmente cheguei um pouquinho atrasado, pois o trânsito da capital na quarta-feira estava um verdadeiro inferno (saudades do interior).

Quando entrei no salão, miraculosamente, encontrei um local vago na segunda fila do teatro. André Arruda já tinha começado sua palestra sobre Nu Autoral, mas perdemos apenas a introdução. O que dizer do fotógrafo? Foi uma das mais bacanas apresentações que já vi em congressos de fotografia. Muito dinâmico, bem humorado e com uma linguagem muito didática. Talvez eu esteja apenas me identificando com alguém que também tem as mesmas influências que eu (música, quadrinhos e cinema), mas todo mundo da platéia gostou muito. Depois de mostrar seu trabalho como retratista desenvolvido para revistas famosas, o fotógrafo mostrou sua série de fotos do ensaio Fortia Femina, onde ele se propôs a registrar nus de mulheres que fazem halterofilismo. O projeto também estava exposto nas paredes da sala de entrada do teatro. Embora possam ser um pouco chocantes, com as imagens André Arruda conseguiu uma coisa que muito fotógrafo procura e não consegue desenvolver: um trabalho autoral genuíno com unidade formal, unidade temática, controle técnico perfeito e relevância artística. Se eu fosse ele iria dormir com um sorriso todas as noites. Depois da apresentação das imagens produzidas por ele tivemos uma prática com duas lindas modelos no palco. Infelizmente teve congressista que saiu de lá sem entender a proposta de ensaios autorais. Mas, com muito estudo, esse povo chega lá. Está foi a segunda melhor palestra de todo o evento.

A segunda palestra foi com o Dr Djair de Souza Rosa que tentou desenvolver o tema de Direito Autoral. Digo tentou porque o advogado não foi muito feliz em sua apresentação. Perdeu muito tempo na introdução e caiu na armadilha de tentar responder perguntas de casos específicos da platéia antes de terminar a apresentação. O resultado é que quase metade do assunto não foi desenvolvido (a parte mais específica voltada ao nu) e complicou ainda mais o meu entendimento sobre a definição sobre o que é portfólio. Eu sempre entendi que a lei garante ao fotógrafo utilizar uma imagem feita por ele em seu portfólio independente de autorização. Mas, também entendia que a lei identifica portfólio apenas como o impresso, ficando de fora sites, blogs, facebook ou Orkut (para estes casos seria necessária uma autorização). O advogado disse que tudo é portfólio e que podemos mostrar nossas imagens, desde que tenhamos autorização. Oras, mas este não é o centro da questão afinal? Vamos lá ler a Lei novamente.

Pausa para o almoço (onde decidi comer apenas uma pequena fatia de Pizza para economizar) e voltamos para a palestra mais esperada por mim. Está no palco, finalmente, o mestre Drauzio Tuzzolo ministrando a palestra A Magia da Luz no Sensual. Você pode até não conhecer o nome do fotógrafo, mas provavelmente já viu vários de seus trabalhos. Ele é responsável por editoriais na maioria das revistas masculinas de grande circulação no Brasil e está com um ensaio novo na edição deste mês da Playboy. Drauzio trouxe uma megamodelo para fazer parte de sua apresentação e mostrou para toda a platéia que o importante é o conhecimento da luz e não o equipamento que você possui. Foram utilizadas iluminação contínua e uma fonte de luz de flash para produzir o ensaio no palco. Mesmo com condições bem limitadas, a maioria das fotos produzidas poderia estar em qualquer revista de grande circulação. Ajuda muito a presença de um bom maquiador, um produtor competente e uma modelo linda, mas se o maestro (fotógrafo) não for bom caímos no lugar comum. Apresentação absolutamente incrível. A melhor palestra de todo o evento.

Finalizando o congresso, tivemos a palestra de Pedro Nossol que veio falar de ensaios criativos. O fotógrafo, que na verdade tem a profissão de designer, trabalha com fotografia apenas para satisfazer seu lado artístico e tende a desenvolver ensaios com grande carga criativa, mas tendo como diferencial a presença de mulheres com corpo bem definido e músculos discretos. Para a demonstração prática não foi diferente, pois a modelo é praticante de fitness e tinha um corpo absolutamente perfeito, daqueles que a gente pensa que não existem. Foram realizadas fotos utilizando o flash (apenas duas tochas) e um ensaio com o uso de light paint que ficou muito bacana. Já estou pensando em realizar um destes por aqui. Apresentação simples, mas competente e com muita coisa legal para utilizarmos em nossos estúdios.

Óbvio que depois tivemos aquela reunião da equipe responsável pelo evento no palco e o capitão Altair Hoppe nos falou algumas palavras sobre como foi que o evento começou a ser planejado e como muita gente disse que era loucura e que não daria em nada. Eu sempre acreditei na força do evento e acho que ele tem bala na agulha para durar por muitos anos.

Gostaria de agradecer a toda a equipe da iPhoto Editora por ter fornecido as credenciais para o Meio Bit acompanhar mais este evento importante dentro da fotografia brasileira, bem como as três credenciais gratuitas que fornecemos a nossos leitores.

relacionados


Comentários