Meio Bit » Baú » Games » Rare, dos grandes títulos aos jogos para Kinect

Rare, dos grandes títulos aos jogos para Kinect

21/09/2011 às 16:54

dori_batt_19.09.11

Battletoads, Donkey Kong Country, GoldenEye 007, Banjo-Kazooie, Perfect Dark, Conker's Bad Fur Day… Com jogos desse calibre, é muito fácil perceber a relevância da Rare e entender porque ela era idolatrada por tantas pessoas. Veio então a aquisição por parte de uma companhia gigantesca e o que poderia significar títulos ainda melhores graças a injeção de milhões de dólares, acabou causando a ira de muita gente, talvez por puro fanatismo ao vê-la deixando a sua antiga parceira Nintendo, talvez tenha sido por causa da qualidade anterior nunca mais atingida.

No Xbox 360 eu gostei do Kameo: Elements of Power e do Kinect Sports e joguei alguns poucos minutos do Viva Piñata e do Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts que também me agradaram, provavelmente não se trata de jogos tão geniais como os citados no início do texto, mas longe de serem horríveis. Contudo, não deixa de ser triste a justificava dada por Scott Henson, gerente da companhia, ao responder se a Rare ainda é tão importante quanto antigamente.

Nós não deixamos de ser conhecidos. Podemos ter mudado e evoluído. Nosso foco é diferente, mas nós não deixamos de ser conhecidos. Dizer que sumimos é interessante quando você vende mais de três milhões de cópias [em referência ao Kinect Sports].

Se olhar para o que a Rare fez, seja com o Killer Instinct nos arcades ou o Donkey Kong Country e os gráficos pré-renderizados, eles sempre inovaram como estúdio e isso continua o mesmo. Nós entregamos tanto para o Xbox 360 quanto qualquer outro estúdio. Com o sucesso do Kinect Sports e com, o que acredito será bem sucedido, Season Two, acho que a Rare atinge o seu potencial.

O comentário deixa evidente como há uma abismal diferença entre o que os jogadores querem e o que as companhias buscam. Enquanto eles estão preocupados em vender mais e mais cópias, o que é perfeitamente aceitável, nós queremos jogos que nos divirtam e nos façam sentir orgulho de ser gamers e se um Kinect Sport é capaz de realizar a primeira tarefa satisfatoriamente, não acredito que ele consiga nos fazer esboçar um sorriso de satisfação como aquele ao vermos pela primeira vez o The Great Mighty Poo ou passarmos pela irritante Turbo Tunnel.

[via CVG]

relacionados


Comentários