Meio Bit » Baú » Software » Comunidade Open Source atirando no próprio pé

Comunidade Open Source atirando no próprio pé

10/10/2006 às 8:12

A briga do Debian com o Firefox começou com um mal-entendido, passou para pirraça e agora pode prejudicar seriamente o futuro do excelente navegador.

A história, em resumo: Embora o Firefox seja Open Source, o nome e a logomarca são registrados, e por isso sujeitos a direito de uso. Distribuir uma cópia do Firefox sem alterações é permitido. Alterar completamente o programa, mudando o nome, também. Mas fazer mudanças e manter o nome e o logo Firefox, não.

A Fundação Mozilla exige que toda alteração, seja patch de segurança ou adequação a uma determinada característica do sistema operacional seja submetida para revisão, antes de aplicada e adicionada à distro. Com isso eles evitam que existam vários navegadores chamados Firefox, sem um mínimo de controle de qualidade e funcionalidade.

É uma exigência razoável. Quer usar meu código, fique à vontade, mas se vai usar meu nome, mostre primeiro e digo se está tudo bem.

A RedHat e a Novel não vêem qualquer problema nisso, mas o Debian vê.

Proteger a própria marca é algo que TODA empresa faz. A própria Debian conseguiu a proeza de impedir que a Debian Common Core Alliance, uma associação de empresas/distros Debian usasse o nome Debian. Sendo que o líder da tal associação é o CRIADOR do Debian.

Só que no caso do Firefox, eles não querem submeter suas alterações para a Fundação Mozilla, e afirmaram que ao manter o Logo / Nome sob Copyright, o Firefox viola a licença de serviço do Debian. Portanto, não será mais incluído na Distro.

A questão aqui é apenas a licença do logo do Firefox; todas as partes do Debian devem poder ser modificadas por quem as distribúi. O logo do Firefox não pode ser modificado, então não podemos distribuí-lo.

Foi considerada a hipótese de usarem uma versão do Firefox sem logo, mas a idéia foi refutada pela Fundação Mozilla. O nome o o logo andam juntos.

A briga continuou, no fórum do Debian, e embora pareça infantil, teve consequências sérias.

Para piorar, apareceu o Gnuzilla, um grupo que lançou o IceWeasel, um fork do Firefox, com outro nome. Steven Vaughan, do Desktop Linux está furioso, pois isso diminúi as chances do Firefox se tornar um padrão de facto, como o Internet Explorer. O usuário leigo vai clicar no ícone "Internet" ou "www" e navegar no que aparecer, as chances dele sair catando navegadores melhores são próximas de zero.

Vaughan também reclama do desperdício de recursos que é criar uma segunda equipe para desenvolver o que já está sendo desenvolvido, no caso o Firefox. Nas palavras dele:

Ao ganhar essa "batalha", os pedantes desenvolvedores do Debian ajudaram as forças proprietárias da Microsoft e seus amigos muito mais do que a causa do Open Source

Para quem está de fora, um pouquinho de FUD: No que isso afetará as distribuições derivadas do Debian, como o Ubuntu?

Fontes:
Desktop Linux
Linux Watch

relacionados


Comentários