Meio Bit » Baú » Internet » ICANN reservará US$ 60 mil para se proteger de gTLD mal-intencionados

ICANN reservará US$ 60 mil para se proteger de gTLD mal-intencionados

13/09/2011 às 12:09

Semana passada a ICANN, a entidade sem fins lucrativos responsável por gerenciar os TLD´s, publicou sua previsão orçamentária para os próximos anos e um detalhe chocante salta aos olhos, prende-se ao crânio e inocula ácido pela jugular do leitor. Dos US$ 185 mil que custaria um domínio .meiobit, US$ 60 mil seria reservado para a entidade defender-se de eventuais processos.

Congresso de squatters brasileiros aprova os gTLD´s

Para quem não sabe, no ano que vem estará liberado o registro de domínios mais criativos (e oportunistas) do que os atuais. São os gTLD. Além de .meiobit, empresas e organizações poderão registrar domínios como .rio, .cerveja ou .ponto pela bagatela de US$ 185 mil. Quem registrar este último fica me devendo uma cerveja que pode ser paga no Rio de Janeiro, de preferência antes de 21 de dezembro de 2012.

Segundo previsão da Icann, que ficará responsável por isso, devem ser registrados 500 domínios em 2012, totalizando um faturamento de US$ 92,5 milhões. Perto do salário médio dos leitores do Meio Bit pode parecer pouco, mas o montante mais do que dobra a receita esperada para a entidade no período (veja mais aqui).

Hoje, a Icann vive de alguns centavos pagos por registrars. Cada domínio .com, por exemplo, garante a eles US$ 0,18. Como cada gTLD deverá ser registrado diretamente com eles, o valor sobe para os estratosféricos US$ 185 mil por domínio.

A parte mais engraçada é que há toda uma polêmica sobre a necessidade dos gTLD. Se a situação atual já permite bizarrices como o .br.com imagine a confusão épica quando tivermos à diposição gTLD genéricos como .games, .auto ou .jobs.

Com informações do Paid Content.

Crédito da foto: MST

relacionados


Comentários