Meio Bit » Baú » Internet » Blogueiros e campanhas institucionais. Um exemplo.

Blogueiros e campanhas institucionais. Um exemplo.

02/09/2011 às 11:34

Como funciona quando um blogueiro é chamado para participar uma campanha?

Me perguntaram o #comofaz e sobre imparcialidade e transparência. Não tenho a pretensão de fazer um retrato em pormenor de cada detalhe aqui. Apenas registrarei brevemente o que rola no geral. Participando de uma, cada qual com seus pormenores e circunstâncias, você decidirá o que e como fazer.

É compreenssível que na maioria das vezes as coisas não sejam mostradas tão abertamente, afinal são tantos interesse e tudo "é de plástico". Somos bombardeados todos os dias com tanta carne salgada que não há pressão arterial que aguente e nem tudo é realmente transparente. Mas existem sim oportunidades bacanas que valem a pena participar.

Vou aproveitar a oportunidade então para dar uma rápida explicada no processo que envolveu o nosso enlace com a campanha da Ford, para a qual fui convidado e representei o Meio Bit, usando o esquema geral como exemplo. Seguinte.

De cara, dá para perceber se você está sendo chamado para participar ou para atuar. Pessoalmente, "acho" que a última opção só vale a pena se valer MUITO a pena, para você. Se for para atuar a sua opinião não interessa, apenas a sua imagem. Como não tenho imagem nenhuma :), nem posso falar sobre o que envolve colocar a sua persona à venda...

Já quando é para participar, então você é que será escolhido. Não por razões suas, mas sim do cliente. E isso aí é muito bacana. Porque o motivo de ser você e não outro é porque há algo na sua opinião que interessa ao cliente.

Não que ele o chamará porque saiba "o que" você vai dizer, especialmente em uma campanha opinativa, mas sim por considerar que a sua opinião e "como" você vai expressa-la seja interessante para o projeto. Ajuda também se você tem um bom histórico profissional de cuidado, atenção, respeito à prazos, sabe do que vai falar e principalmente, uma cabeça aberta.

Da parte do cliente, o máximo que você receberá são as informações gerais e objetivos principais da ação, de modo que você possa julgar se gostaria ou não de associar-se a isso.

Tudo nos conformes, interesses alinhados, riscos e controles relevados, vem o contrato. É através dele que todo o trabalho será desenvolvido. Convém estar totalmente consciente de cada linha, você não poderá falhar em nenhuma delas. Sem mistérios.

No caso da Ford em particular, que é geralmente o tipo de campanha que eu curto participar - leia-se, uma ação opinativa e de intervenção - lá estavam apenas as epígrafes contratuais normais sobre pagamentos, honorários, prazos, segurança, cessão de direitos de imagem e som.

Como se tratou de uma campanha enorme, de escopo nacional, envolvendo 4 consumidores comuns, 18 especialistas convidados, produtores e uma equipe técnica que circulou por todo o canto, um grande cronograma de comunicação e de atividades foi distribuído em pedaços para cada núcleo. Normalmente, apenas um cronograma dá conta do seu trabalho junto ao cliente. Nesse caso, foram vários, um para cada um.

No meu caso, por uma decisão do diretor do meu núcleo e que acatei numa boa, juntamos dois dias de trabalho em um. Não fosse realmente um projeto legal de se participar, em todos os sentidos, não seria algo nada prazeroso ficar tantas horas por aí. Mas foi. E olha, tudo demora.

Não posso falar pelos outros especialistas convidados, apesar de ver transparecer praticamente o mesmo resultado em muitos deles, mas eu já comecei os trabalhos com uma idéia aberta. Isso é extremamente importante quando alguém lhe convida para criticar a coisa alheia, nesse caso, daquele próprio que te convidou: o cliente. Apesar de delicado o tema, é exatamente aí que você pode ver o quão reais serão as coisas. Muito do contrário e pode apostar que é só marmotagem.

O esquema de análise da campanha Ford Connect foi baseado em experiências práticas, envolvendo diretamente os carros, a infra-estrutura e exemplos reais. Isso favorece ainda mais um resultado mais objetivo e transparente.

É certo que os quatro consumidores - Carmen, Juliana, Miro e Ricardo - foram escolhidos por representar algo a ser alcançado durante esse "raio-x" da empresa, devido às suas personalidades, carreiras, olhares, etc. Dos milhares inscritos, é possível que se controle razoavelmente essa interação e experiência escolhendo as pessoas que melhor traduzem os objetivos a serem alcançados.

Isso já muda um pouco de figura quando você chama mais 18 pessoas extremamente distintas e de carreiras totalmente díspares (cujo único laço em comum, para o projeto, é uma afinidade ou atuação envolvendo a internet), para avaliar o que estes quatro consumidores estão avaliando. Já aí, tem-se muitas opiniões diferentes e pode não ser tão simples assim mostrar apenas o bonitinho.

É óbvio que se você meter o pau no produto ou serviço do cliente durante a sua análise, que ele tem todo o direito de não colocar no ar a sua opinião e assim favorecer a inserção de outros convidados que falaram mais favoravelmente. Francamente, quando o produto é assim tão ruim ninguém tem orçamento para ações tão grandes e caras como essa que participamos. Não foi esse o caso. Havia mesmo um interesse, mesmo que breve, em ouvir.

E é exatamente aqui que posso aclarar ainda mais a minha contribuição no projeto. Praticamente tudo o que foi dito durante as bacanas "missões" com cada um dos quatro, foi considerado e tem ido parar nos materiais de comunicação e veículos.

Novamente falando apenas por mim, opiniões boas ou não tão por isso, de cada um dos 4 ou dos 18 especialistas devem ser expostas. Deve existir também uma boa quantidade de vídeo-cacetadas e "falha nossa" aí nesse bolo. 🙂

Portanto, sim, foi mais um trabalho contratado. Sim a campanha tem um cunho publicitário. Mas, não, não deixou de ser extremamente transparente e com o objetivo louvável de expor onde a empresa cresceu, melhorou, as suas novas linhas, sua filosofia e o que todos nós - 22 exemplos - acharam disso.

Querer mostrar isso e mais tantas opiniões diferentes para outros consumidores é apostar, em tantos dias de trabalho e tantas opiniões diferentes, que vale a pena ao menos ver o que mudou.

Eu tenho uma impressão, crítica, muito melhor hoje a respeito da Ford e só elogiaria outras marcas que fizessem o mesmo. Esse é um consolidado da minha participação.

http://www.youtube.com/watch?v=Gni2tBDNWdA

Para ver e conhecer todos eles, entre no site da campanha ou vá vendo os comerciais na TV.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários