Meio Bit » Baú » Fotografia » Olympus Pen EP3, EPL3 e EPM1

Olympus Pen EP3, EPL3 e EPM1

30/06/2011 às 22:30

O pessoal que gerencia a Olympus é meio maluco. Sei que eles possuem um bom produto em mãos e que a série Pen digital tem o apelo de ser a continuação de uma câmera clássica, mas lançar três equipamentos com grandes similaridades de uma só vez me parece um pouco ousado. Talvez esse seja um reflexo da concorrência não declarada com a Panasonic. As duas empresas se uniram para criar o sistema micro-quatro-terços tendo como base o sistema quatro-terços que a Olympus já usava em suas câmeras reflex. Depois que as câmeras começaram a chegar ao mercado notamos que os equipamentos da Panasonic possuíam um apelo popular muito mais forte, além de qualidade e uma variedade bem maior. A Olympus agora está na terceira geração de suas câmeras mirrorless e parece que só agora as coisas estão entrando nos trilhos.

Hoje tivemos o anuncio de três modelos. Estamos falando das Olympus Pen EP3, Pen EPL3 e Pen EPM1. Aqui temos muitas similaridades entre essas três câmeras. Todas se utilizam do mesmo sensor CMOS de 12 megapixels e estão equipadas com o novo sistema de autofocus rápido que a Olympus desenvolveu para corrigir a principal crítica que foi feita a suas câmeras. Segundo testes que já foram feitos em alguns sites gringos, a velocidade do foco fica em torno de 0,1 e 0,5 segundos. Claro que vai depender muito da cena que está sendo fotografada.

A Pen EP3 ainda apresenta algumas novidades. Agora temos um flash incorporado, além da sapata hotshoe para flash externo, luz auxiliar de autofocus e a sensibilidade ISO chegando a 12.800. Também temos que lembrar que a câmera está preparada para fazer vídeos em alta definição Full HD com 29 minutos de duração. Fechando o pacote, temos que falar do visor OLED móvel sensível ao toque de 3 polegadas com 640 mil pixels de resolução. A câmera também vem equipada com uma versão estendida dos filtros artísticos e estabilização de imagem no sensor, sendo compatível com todas as lentes da empresa. A única crítica que encontrei ao equipamento até agora foi que a quantidade de fotos por segundo executadas no modo contínuo é menor que nos dois modelos mais inferiores. Ela é capaz de fazer 3,5 fotos por segundo, mesmo usando o processador dual core TruePic VI.

Já a Pen EPL3 é muito parecida com a irmã maior, mas com algumas diferenças que, em minha opinião, são apenas superficiais. Em um quesito ela é superior. Ela consegue fazer 5.5 fotos por segundo, utilizando o mesmo processador e mesmo sensor. Essa ninguém entendeu. No resto, ela possui um visor LCD fixo com resolução de 430 mil pixels, menor velocidade de sincronismo de flash (1/160 contra 1/180), não possui flash incorporado, apenas a sapata para flash externo e apenas quatro filtros artísticos. E as diferenças acabam por ai. Talvez seja vantajoso adquirir esse equipamento dependendo dos preços de cada uma das câmeras.

E por fim temos a Pen EPM1 que se assemelha muito a uma câmera compacta. O corpo dela é bem pequeno e possui poucos botões de comando externos. O LCD é de 4 polegadas e não é articulado. Também não possui o botão de controle de modos de foto na parte superior. Porém, ela mantem o mesmo sensor das irmãs maiores, faz 4,1 fotos por segundo no modo contínuo e possui 6 filtros artísticos.

Infelizmente, a única que possui preço anunciado é a Pen EP3 que chega em agosto com a nova lente 14-42mm II R custando US$ 899,00. Ou seja, continua um equipamento caro.

relacionados


Comentários