Meio Bit » Baú » Indústria » Não tão Anonymous, afinal

Não tão Anonymous, afinal

Membros do Anonymous acusados de ataques à Sony e bancos espanhóis, além de atuarem na defesa do WikiLeaks, são presos na Espanha.

11/06/2011 às 10:18

Bad luck right time wrong place

A polícia espanhola prendeu três supostos integrantes do Anonymous e tem razões para acreditar que estes são os responsáveis por articular as ações do grupo de hackers na Espanha.

As prisões foram executadas ao mesmo tempo em três diferentes cidades: Barcelona, Almeira e Valencia.

O grupo assumiu a autoria dos ataques à Sony, bancos espanhóis e coordenou uma série de ações em defesa do WikiLeaks.

O porta-voz da polícia de Barcelona disse que ao menos um dos computadores apreendidos foi, de fato, usado em diversos hacks.

A investigação que vinha sendo orientada pela força cyber-policial do país desde outubro de 2010 e envolveu milhões de linhas de relatórios de conversas para que fossem identificados os indivíduos corretos.

Muitos membros da rede (Anonymous) utilizaram um programa baseado em web conhecido como Loic para alguns dos ataques. Provavelmente usado por hackers mais novatos e periféricos à organização central do grupo, o Loic fez um péssimo trabalho em esconder os rastros de quem o utilizou na ocasião.

O que acabou fornecendo as informações que a polícia precisava para outras prisões que ocorreram anteriormente nos EUA, Reino Unido e Holanda. Websites como o PayPal, MasterCard e Amazon foram alvos, cujas origens dos ataques envolvia o Loic.

Declarando-se apenas como um grupo de "cidadãos-internautas de boa fé", o Anonymous nasceu do p2p 4Chan e já se organizou algumas vezes para atacar nas interwebs em favor de causas e minorias, como ataques à websites turcos e tunisianos em prol dos movimentos populares.

Fonte: BBC.

relacionados


Comentários