Meio Bit » Baú » Fotografia » [Walkthrough] Music Beta by Google

[Walkthrough] Music Beta by Google

Testamos o Music Beta by Google, player na nuvem da gigante de Mountain View.

19/05/2011 às 9:18

Segundo a própria Google, o serviço bacaníssimo do Music Beta by Google está disponível apenas clientes americanos. Isso pode ser até verdade, ou nem por isso. Eu explico...

Recentemente adquiri um Motorola Xoom da Verizon (já prontinho para o 4G que deve chegar aqui no Dia de São Nunca, nosso velho amigo) na troca pelo meu antigo iPad 1.

Antes de falar do MBG, já vou adiantar a resposta para a maioria maciça de comentários feitos assim que dei a notícia da nova aquisição: sim, estou adorando o Xoom, há muita bobagem sendo falada e, na prática e no dia-a-dia, ele pode surpreender... e muito.

Foi a melhor troca que já fiz nos últimos tempos. Portanto, é isso mesmo: não volto para e iPad 1 nem de baixo de uma chuva de cavaco e só o trocaria mesmo por um iPad 2. Aliás, tenho o compromisso de fazer uma quase-análise dele nos próximos dias e postar para o leitor do Meio Bit. Espero, que em breve.

Bom, mas de volta ao MBG em questão.

Muito provavelmente pelo facto do meu Xoom ser de fora (Verizon), a Google entendeu que ele é um nacional em terras estrangeiras e hoje recebi o feliz convite da empresa para testar o serviço do Music Beta. Aqui estou, ainda carregando meu playlist direto do iTunes para ele, revisando-o para você.

001

Acho que é melhor começar pelo começo, o login. Antes disso, para não criar expectactivas posivitas/negativas, dou um pré-veredito: é MUITO bacana e definitivamente uma opção melhor que o iTunes em alguns pontos que procurarei destacar brevemente nesse walkthrough meio encardido (que me desculpe o leitor).

O login do serviço é integrado aos demais projetos disponíveis a qualquer usuário Google (como o Gmail, Reader, Maps, etc), porém, com uma customização bonitinha como podem ver. Ao inserir seu usuário, a primeira coisa que você verá é...

002

...a página inicial do serviço, mostrando suas últimas adições na forma de Canções, Artistas, Álbums e Gêneros Musicais. O que ainda não tiver o ícone visualmente aparecendo por completo na tela, é porque ainda não terminou de subir na minha conta.

Ao clicar em uma das suas músicas (no meu caso é fácil encontrar de Jazz a Hard Nordic Punk) uma playlist se abre, dando-lhe a opção de selecionar e por para tocar qualquer uma delas. Infelizmente, vocês não poderão ouvir "Back Up Train" do Al Green, no talo 🙂

003

Na mesma linha que o logotipo do MBG no topo, à direita, você encontrará o link "Add Music", o que vai lhe levar a uma página onde você poderá baixar o agente de upload do serviço para o seu sistema operacional. Ao lado, a opção de cair direto no Android Market e baixar o cliente para o seu smartphone ou tablet.

004

No caso do meu Xoom, já veio instalado na versão do Honeycomb 3.0 e agora também com a atualização para o 3.1 (mas isso eu conto na análise).

Também ao clicar em uma das faixas (tocando ou não), é possível editar as informações do artista, álbum, gênero, blá blá blá.

005

Aqui, a aba mostrando o resumo dos artistas da playlist:

006

E o que mostra o resumo consolidado dos álbums dentro da sua conta MBG:

007

Para encerrar de screenshots, tirei mais mostrando a topbar padrão dos demais serviços Google e que mencionei estarem totalmente integrados ao MBG:

008

Algumas observações iniciais

O Music Beta roda incrivelmente bem, o streaming de músicas é do tipo que todo mundo gosta: sem lag, sem frescura, com uma interface clean e conversa com qualquer navegador e dispositivo (via navegador). Nesse caso, posso responder tranquilo pelo RockMelt (usado na base da análise) e também Safari, Chrome e Firefox. Até testei com o iCab para OS X. 100%.

Os aplicativos de integração com o sistema operacional têm o capricho e "redondismo" típicos da Google, assim como o aplicativo gratuito para a Android Market. Peço desculpas pela falta de screenshots do app para Android dessa vez. O que acontece é que o primeiro upload deve ser concluído até que eu consiga sincronizar com o app do Android.

Para não abarrunfar ainda mais de screenshots apenas dizendo "sua biblioteca de músicas ainda não foi totalmente sincronizada, aguarde..." eu preferi poupar o espaço já amplamente tomado pelas outras imagens. Mas, se valer o comentário, é 100% Android na simplicidade e funcionalidade. E para explicar como eu o tenho no meu Android por aqui, o HTC EVO 4G que eu uso é da Sprint. 'vye got it?

O Serviço

De uma maneira bem resumida, o que MBG oferece a você é a possibilidade de acessar a sua coleção de mídia em qualquer lugar. O parágrafo é tão simples, direto e óbvio quanto o serviço pode ser.

Sabemos que a Apple planeja lançar sua alternativa de cloud media e, como sempre se espera, dá a ideia básica, abre a janela para especulação e não entra em mais pormenores até o dia do lançamento. Bah.

Estabilidade e fluidez: primeira impressão

Com qualquer tipo de conexão, desde que observado o tempo para upload, você poderá atolar sua conta no MBG com a sua mídia. Já o streaming, sem entrar muito em tecnicidades neste momento, é perfeitamente "bufferizável" de maneira que você não tenha problemas em ouvir o seu playlist. Eu testei com duas conexões de banda larga, uma de 1 mbps e outra de 5 mbps, sem observar qualquer diferença em ambas. Isso agradou.

Para escupinchar mesmo qualquer possibilidade de ser levado na conversa pelo buffering, conectei duas contas de FTP em simultãneo e estrangulei minha conexão subindo dois e descendo outros dois arquivos de vídeo grandes em cada conta e, ainda assim, o Music Beta continuava tocando os maledettos dos MP3 sem lag. Ou seja, com um fiozinho de conexão, não notei o Telonious Monk pipocar o dedo no teclado do piano uma só vez...

Funcionalidades e possibilidades

Observando outras funcionalidades e possibilidades, é possível dar um "joinha" (thumb up/down) para as canções, criando o que possivelmente se tornará em uma lista de preferências intercambiáveis entre outros usuários quando o serviço estiver a todo vapor.

O Music Beta oferece um número razoável de faixas gratuitas para você sincronizar imediatamente com a sua conta, fazendo com que você já possa ouvir suas escolhas enquanto o seu montante de arquivos vai sendo adicionado ao serviço via upload.

Um detalhe sutil e bastante bacana, que já o coloca diante do serviço sem ter que esperar que ele esteja pronto para ser utilizado. Com isso, ao logar pela primeira vez você já terá o que ouvir, na hora.

Lembrando que não apenas músicas podem ser adicionadas, mas também audiobooks e quem sabe vídeos mais para frente, se houver a possibilidade de compartilhá-los com outros usuários (seguidores, amigos?) o serviço pode ser tudo que o iTunes nem sonhou ser, para qualquer um, não apenas para OS Xers.

Também para facilitar, é possível você pedir ao MBG que faça um "Instant Mix" de todo o seu arquivo, mixando diferentes sequências de músicas, combinando-as em diferentes playlists. Acredito que isso se saia melhor a medida que você vai qualificando suas preferências ao longo da utilização do serviço. No meu caso, há quase 60% agora de subir todas as minhas músicas, não tive o tempo necessário para testar isso mais amplamente.

Se pensar no iOS, bastaria acessar o site do MBG e, via bookmark, criar um ícone (faux-app) ao lado dos seus outros apps. A experiência visual é praticamente a de um aplicativo nativo, tocando sua lista remotamente. Chupa, Cupertino!

Online/Offline?

Mas aí, você me pergunta: "Mas tio, tem que ter conexão com a internet, né?"

Sim, tem. Mas só da primeira vez, o que é na minha opinião a funcionalidade mais matadora do Music Beta: caching e acesso offline. Sim, o MBG vai, ao seu comando, baixar de maneira temporária ou permanente as suas faixas direto da nuvem para o seu dispositivo.

Quer dizer, seja para o seu smartphone, seu tablet ou para o notebook da sua namorada, na casa de praia, via conexão 3G da sua operadora de telefonia celular, se for necessário...

O que vai ser?

Como a questão da pirataria de uma nova mutação Googlelizada de P2P e a festa do arroz será contida ou contra-argumentada? Não tenho a menor idéia.

Mas que é matador e ao mesmo tempo minimalisticamente funcional e redondo o Music Beta, isso é. E o uso no Xoom, nem te conto cumpadre. Mas no review que farei em breve procurarei tocar nesse assunto depois, certinho?

Desculpem a pobreza não muito aprofundada da avaliação no sentido técnico do serviço, mas para não perder a oportunidade, fui avaliando já durante os primeiros minutos de utilização. Isso pode ficar para uma próxima vez.

Estamos aí...

Se quiserem saber mais alguma coisa que esteja ao meu alcance, é só desossar aí nos comentários que a gente assa.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários