Meio Bit » Baú » Internet » Google, Apple e Facebook depondo no Senado norte americano no próximo dia 19

Google, Apple e Facebook depondo no Senado norte americano no próximo dia 19

Google, Apple e Facebook foram convocados para uma discussão, no Senado norte americano, sobre as informações que têm dos seus usuários.

17/05/2011 às 16:35

Senateusa

Guerrinha comercial até pode, mas antes que a coisa vire bandalheira...

O Comitê de Comércio, Ciência e Transportes do senado norte americano é o organismo governamental encarregado de orientar diversas questões no país, incluindo assuntos relacionados à Internet.

No próximo dia 19, às 10h (horário local) está agendada uma audiência pelo senado norte americano, para dirimir questões relacionadas à privacidade do usuário na Internet.

Os convidados convocados são Google, Apple e Facebook.

Um sub-comitê de Seguridade, Segurança de Produtos e Proteção ao Consumidor foi anunciado pelo relator e presidente principal deste comitê, John D. (Jay) Rockefeller IV -- sim, daquele mesmo clã que você está pensando.

Os legisladores querem inquirir as empresas a respeito de assuntos relacionados à coleta de dados de usuários, redes e endereços de MAC em uma multitude de situações, todos os comos e os porquês.

Listados para o painel de depoimentos deverão estar presentes Bret Taylor (CTO do Facebook), Catherine Novelli (VP para assuntos governamentais internacionais da Apple) e Alan Davidson (Diretor de Políticas Públicas para as Américas do Google). Adicionalmente, foram convocados Morgan Reed (Diretor Executivo da Associação de Competitividade Tecnológica) e Amy Guggenheim Shenkan (Presidente e COO da Common Sense Media Organisation).

A conduzir os trabalhos do painel na audiência estará David Vladeck (Diretor do Bureau de Proteção ao Consumidor da Comissão Federal de Comércio dos EUA). Como os demais convidados, uma carraçada de parlamentares e senadores, famintos e cheios de "perguntas".

Assuntos como geolocalização e georrastreamento via novos produtos da indústria têm se tornado pontos de ebulição entre os seus grandes players. Em paralelo, as ações de vantagem competitiva nem sempre indicam a melhor das práticas quando se trata da segurança do usuário.

Enquanto as empresas procuram a melhor maneira para triunfar diante da concorrência, pequenos escândalos gigantescos vão desde os recentes pseudo-rastreamentos de geoposição dos iPhones até tentativa do Facebook de plantar informações negativas sobre o Google via uma assessoria de imprensa e um blogueiro que escandalizou sem dó como o alcaguete que não quis se vender.

Mesmo a Apple providenciando uma atualização no iOS que interrompia a coleta dos dados, não escapou da convocação para "colaborar" com os trabalhos do painel no próximo dia 19. Republicanos como o Deputado Edward Markey ainda têm uma série de perguntas para a empresa, em especial com respeito a quem mais teve (ou ainda tem) acesso as essas informações geográficas dos usuários aparentemente inofensivas coletadas pelos dispositivos da Apple.

Serviços como o Google Maps e todos os seus derivativos, rodando dentro ou fora dos domínios do Google (como em iOS, Facebook ou qualquer outro canto), assim como ao recente produto Locais do Facebook, deverão ser severamente questionados durante a audiência, que levantou as orelhas das três empresas e colocou um grande número de departamentos em preparação total para a convocação.

Sendo as três juntas o mais provável epicentro de uma integração em massa de milhões de dispositivos em todo o mundo, provavelmente não será nada fácil testemunhar diante de todas as perguntas já naturalmente esperadas por todos. Isso sem contar aquilo que não se pode prever em convocatórias como esta.

Eu diria que o primeiro a borrar a cueca é o Facebook, explicando o escândalo de más práticas, ainda quente na orelha do vizinho...

relacionados


Comentários