Meio Bit » Baú » Games » Gameworld 2011 - Eu fui!

Gameworld 2011 - Eu fui!

14/03/2011 às 13:19

No último final de semana aconteceu em São Paulo o Gameworld, um dos principais eventos brasileiros dedicado aos games e este ano, para entrar na feira foi necessário comprar uma edição especial da revista EGW. Nela vinha um ingresso para sábado, outro para domingo, um mapa do local e alguns detalhes sobre o que o visitante deveria esperar ver. O evento começou na sexta, porém, era destinado apenas à convidados e profissionais devidamente credenciados. Alguns poucos tiveram a sorte de ser convidado para o troféu Gameworld 2011, que ocorreu no mesmo local, só que em um andar diferente.

bruno_gam_14.03.11-4 Como já era de se imaginar, o estande da Nintendo, que contava com muitos 3DS para o público testar, foi a grande atração. A fila era tanta que demorei cerca de 1 hora só para consegui entrar. Como o tempo era curto dentro do estande, só consegui testar 2 jogos: Um dos minigame que disseram estar disponível com o aparelho e Pro Evolution Soccer 2011.

O primeiro, era um jogo de realidade aumentada, aonde você colocava um cartão sobre a bancada e então ele ia te fornecendo alvos para acertar com as flechas disparadas pelo botão A. Com o passar dos níveis, você era obrigado a mudar a posição do 3DS para tentar acertar os alvos. O minigame mais serve para mostrar o conceito e possibilidades do que entretenimento em si, visto que possui poucos níveis. A promotora que estava ao lado do jogo, disse que ele viria com esse jogo, como vi 3 totens com o mesmo título, mas jogos diferentes, acredito que seja uma coleção no estilo Wii Sports, que já te permite se distrair ao comprar o aparelho.

O Segundo foi o PES 2011. Se você já jogou PES no DS, sabe que ficava devendo muito ao do PSP, graficamente falando. Esta versão se aproxima um bocado da presente no console rival. O 3D não influenciou na mecânica, pelo menos não no pouco tempo que joguei, mas propiciou uma sensação de profundidade muito interessante. Como eu disse quando me perguntaram, as táticas e modo de jogo continuam os mesmos nesse caso, o 3D dá um algo a mais, uma visão diferente para um jogo que já estamos acostumados a ver nos consoles caseiros.

Quanto ao aparelho em si, achei que possui um acabamento muito bom. O regulador do efeito 3D não me fez muita diferença, mas deixo claro aqui que cada um tem sua experiência. O efeito me pareceu bastante similar ao que encontramos nos cinemas, só que sem os óculos. Inclusive com os contras que algumas pessoas sentem nessas salas de cinema. Não sei se pelo meus astigmatismo ou pela miopia, a imagem me parece um pouco incômoda, mas como eu disse, cada um é cada um. Diversas pessoas alegaram não ter sentido tal incômodo. A imagem me pareceu incômoda, não que dizer que atrapalhou no uso ou que causou dores de cabeça, apenas parece diferente, não apenas um 3D. É como se realmente faltasse hábito. Lembrando que sempre que posso vou ao cinema e opto pelas sessões 3D, nunca tive problemas, apenas essa sensação de incômodo.

bruno_gam_14.03.11-3 Voltando à feira. Todos os estandes prometidos estavam lá. O problema que percebi é que os espaços para circulação eram pequenos, em comparação com a quantidade de pessoas que lá estiveram. O pessoal estava bastante disposto a jogar e as filas para aproveitar cada jogo, eram suficientemente grandes.

A Saraiva estava fazendo promoções praticamente de hora em hora. No estande da empresa haviam 2 estruturas para jogar o Gran Turismo 5 com o volante que leva a marca da franquia e em televisores 3D, com o devido uso dos óculos.

No estande da Microsoft, destaque para o jogo Michael Jackson: The Experience e o Gears of War 3. Sobre o jogo de dança do rei do pop, me lembrou um bocado o Dance Central, com uma mudança interessante para alguns, ao invés de ver um boneco 3D fazendo os movimentos, você se vê na tela. bruno_gam_14.03.11 Há uns dançarinos atrás para lhe mostrar os movimentos, mas se vendo, facilita na hora de entender porque aquele movimento não foi reconhecido como o esperado. Gears 3 estava lá, infelizmente em monitores de 19’’ aprox., mas nada que estragasse a diversão do modo multiplayer disponível. O que posso citar pelo pouco que vi, foram os gráficos, que me parecem suficientemente melhores que os do Gears 2 e o fato de conseguir ver a silhueta dos colegas de equipe através das paredes. Não consegui entender muito bem como fazia para usar esse recurso, mas com certeza será muito útil.

No estande da WB Games, rolava Mortal Kombat 9 no telão e a presença do carismático Hector Sanchez, foi realmente indescritível. O jogo, que já conta com demo exclusivo para assinantes do Playstation Plus na PSN, está mais violento do que nunca. bruno_gam_14.03.11-2 O ar de frescor, gráficos belíssimos e o excesso de violência, parecem ter revigorado a série de modo a realmente criar expectativas para o seu lançamento oficial.

Houveram outras coisas interessantes, como o Crysis 2, que estava rodando nos computadores do estande da nVidia, que por sua vez, estava todo coberto. Para conseguir ver algo, era necessário entrar na fila. O saldo do evento, para mim, foi positivo. Consegui me divertir, testar o 3DS, ver o Gears 3 e o Mortal Kombat 9. Achei importante e interessante a feira como um todo, ajuda a acreditarmos que realmente as empresas sabem do potencial do mercado brasileiro.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários