Meio Bit » Baú » Games » Nintendo não teme crescimento da distribuição digital

Nintendo não teme crescimento da distribuição digital

Para funcionário da Nintendo, mídia física continuará movendo o mercado.

18/02/2011 às 14:18

dori_wii_18.02.11

Bipolaridade, é por isso que eu gosto da indústria de games. Se durante uns meses “todas” as empresas dizem para quem quiser ouvir que a mídia física está condenada e que não demorará até que os jogos sejam vendidos apenas digitalmente, em outros eles preferem apostar no contrário e garantem que não estão assustados com o crescimento dos smartphones como plataforma de games ou com os serviços de distribuição digital como o Steam.

Essa pelo menos é a opinião de Laurent Fischer, um dos responsáveis pelo marketing da Nintendo na Europa, que declarou durante a apresentação do 3DS que a venda física é que continuará atingindo a maioria dos jogadores.

Temos sido bem claros ao comunicar há bastante tempo que os jogos vendidos em caixa ou varejo é o que vai impulsionar o mercado de massa. Nós nunca vimos uma ligação entre o crescimento dos jogos para celulares e a queda do mercado de softwares normais. São dois mercados diferentes, dois tópicos diferentes. Não podemos encontrar evidências sobre esses mercados estarem ligados.”

Fischer também mencionou algo que considero de extrema importância, que é o detalhe de que quem dita as regaras do mercado são os consumidores e que muitas tendências que surgiram como um novo rumo para a indústria desapareceram pouco tempo depois, simplesmente por que não foram adotadas pelos consumidores e concluiu dizendo que “as pessoas que falam sobre o fim das mídias físicas não compartilham da mesma realidade diária da maioria dos consumidores.

Tudo isso é muito bonito, mas não é bem isso o que tenho visto por aí quando falamos da venda digital. Muitos jogadores encontraram nessa prática uma maneira de adquirir jogos por valores muito inferiores ao praticado pelas versões com caixinha e talvez eu esteja apenas pensando como o morador de um país onde os games custam tão caro. No entanto, talvez para a Nintendo, que não vende jogos inteiros como a Microsoft, a Sony ou mesmo no PC, esse ponto de vista valha, mas para todo o resto, muita gente já desistiu de comprar jogos fisicamente.

[via Edge]

relacionados


Comentários