Meio Bit » Baú » Fotografia » Fotômetro Sekonic L-308S – Mini Review

Fotômetro Sekonic L-308S – Mini Review

20/01/2011 às 16:34

Situação complicada. O indivíduo monta um estúdio fotográfico, encontra um lugar bacana, chora sangue para comprar os equipamentos de iluminação, pesquisa um monte de informação para poder escolher um fundo infinito, encontra uma modelo que se dispõe a ser a primeira vítima, faz uma maquiagem ótima e realiza uma divertida sessão fotográfica. Depois de tudo isso, descarrega as fotos no Lightroom e descobre que todas estão com problemas de exposição. O bom é que todas ficaram um pouco sub-expostas, um defeito que pode ser revertido bem mais fácil em arquivos RAW do que uma super exposição. O que acontece é que nos estúdio não podemos nos valer do sistema TTL para medição da potência do flash. Tudo tem que ser feito no olhômetro. Fotografar e olhar o resultado no LCD da câmera pode ser uma grande armadilha, mesmo confiando no histograma da câmera. Por essa razão é que precisamos de um fotômetro/Flashmate de mão.

Mas, o que é esse equipamento? Como o nome já diz, é um aparelho que faz a leitura de quantidade de luz da cena e nos oferece a indicação da regulagem da câmera. A diferença entre o fotômetro de mão e o fotômetro da câmera é a forma como ele faz a medição da luz. O fotômetro da câmera calcula a luz que é refletida pelo objeto. É uma boa forma de medição de luz, mas a câmera pode se enganar, principalmente em cenas com diferentes intensidades de luz. O fotômetro de mão mede a luz incidente, podendo executar uma leitura mais localizada do ponto que vai ser o objeto principal de sua imagem.

Então, dessa forma, é complicado manter um estúdio sem uma leitura exata de luz. Lembrando que tudo que pode ser corrigido na hora de fazer a foto é um trabalho a menos na pós-produção. O primeiro problema é encontrar um fotômetro que caiba no seu bolso. E não estou falando de tamanho, estou falando de preço. Essas pequenas ferramentas são muito caras. Existem os modelos mais baratos e os infinitamente mais caros e avançados. Infelizmente, para mim, o preço foi um fator importante. Muitos investimentos e o retorno ainda não é o desejado. Então optamos pelo modelo L308L da Sekonic, uma empresa tradicional dentro do ramo de produção desses aparelhos. Mesmo sendo um dos modelos mais baratos e simples que encontramos no mercado, o seu preço varia de R$ 650,00 a R$ 799,00 no Brasil.

fotometro-sekonic-l_308_s

Quando a caixinha chegou notamos como a criança é pequena. Dentro da caixa encontramos o Sekonic L-308S, uma pilha AA para alimentação do aparelho, uma bolsa especial para transporte e o manual de instruções em inglês e japonês. O fotômetro é um pequeno aparelho com um visor de LCD e logo acima uma pequena lente (usada para a leitura de luz) protegida por uma pequena esfera branca chamada de Lumisphere. Essa é uma parte muito importante. Essa Lumisphere é muito frágil e não deve ser tocada nem pelos dedos. A bolsa de transporte é feita de um material que não danifica o acessório. O Fotômetro pode ser usado para medir luz incidente e luz refletida. Quando for usado para medir luz refletida a Lumisphere deve ser retirada para que a lente capte toda a luz.

Na parte superior do aparelho, logo ao lado da Luminisphere, temos o botão para ligar. Abaixo temos o visor LCD e logo depois o botão de ajuste de ISO. Ainda na parte da frente temos o conector de cabo de sincronismo. Na lateral direita temos os botões de ajuste e o botão de medição. O funcionamento da coisa é bem tranqüilo. Ao ligar o aparelho devemos informar a ele duas variáveis que serão utilizadas. A primeira é informar a velocidade do obturador que estamos usando. A segunda é informar a velocidade ISO que vai ser utilizada. Depois de inserir essas duas informações você deve escolher um dos três modos de leitura. O primeiro é o modo de leitura ambiente. Ele é usado quando você vai medir uma cena ao ar livre. É só apertar o botão de medição e o fotômetro informa a abertura do diafragma a ser utilizada.

O segundo modo de medição é o chamado Auto Reset Cordless Flash, o mais utilizado para medição de flash no estúdio. Nessa forma, você conecta o cabo de sincronismo no fotômetro, insere as informações de obturador e ISO e, ao pressionar o botão de medição, ele dispara os flash e faz a leitura necessária para a abertura do diafragma. O terceiro, e último modo de medição, é o Cord Flash. Aqui seguimos o mesmo padrão do modo anterior, mas com uma diferença. Não é necessário acoplar o cabo de sincronismo ao fotômetro. Ao acionar o botão de medição o fotômetro aguarda 90 segundos até o estouro de um flash acontecer e a medição ser realizada. Útil se você estiver em um evento e precisar fazer a medição do flash da sua câmera.

E na prática?

O uso prático de um fotômetro/flashmate é bem simples. Você retira ele da caixa, coloca as pilhas e liga o aparelho. Dentro do estúdio você escolhe a melhor forma de medição, que deve se restringir entre as duas últimas por conta da utilização de flash. Em nosso caso usamos o modo de medição Cord Flash. Enquanto o assistente segura o fotômetro eu disparo o flash através da minha câmera. O que se deve entender é que nos três modos de medição e independente da situação, o fotômetro deve ser segurado sempre na altura e direção da câmera. Estamos medindo a luz que vai ser registrada pela câmera, então a medição deve ser feita dessa forma, para evitar desvios de informação.

fotometro-sekonic-l_308_s_2

Do ponto de vista prático o resultado foi extremamente positivo. Ao lançar as fotos no computador os erros de exposição não foram mais detectados. Tudo passou a ser feito com mais rapidez, visto que não tínhamos mais que editar a barra de exposição no Lightroom. Outra coisa é a facilidade de conseguir as medições quando mudamos as configurações dos esquemas de luz e também para calcular a intensidade de luz no fundo branco. Fica aqui o conselho, se você quer uma medição de luz perfeita, então um fotômetro é necessário. Abaixo o resultado da sessão fotográfica.

fotometro-sekonic-l_308_s_4 fotometro-sekonic-l_308_s_3

Agora faltam apenas dois textos para essa série. O próximo será a respeito de correção de Balanço de Branco dentro do estúdio e como trabalhar com sua câmera conectada ao computador. O último texto será a cobertura de um ensaio fotográfico completo.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários