Meio Bit » Baú » Mobile » Já somos 90 milhões de assinantes de celular

Já somos 90 milhões de assinantes de celular

18/05/2006 às 19:45

As prestadoras do Serviço Móvel Pessoal (SMP) fecharam o mês de abril com 1.175.468 novas habilitações de celulares, acumulando um total de 90.584.187 acessos em serviço no País, contra os 89.408.187 acumulados até março. Os pré-pagos somam 72.934.857 acessos (ou 80,52% do total) e os pós-pagos, 17.649.330 (19,48%). Dos quatro meses deste ano, somente fevereiro teve adesão ao serviço inferior à registrada em abril.

Esse número deve aumentar com dia das mães significavelmente. 🙂
Já que as operadoras fazer muitas promoções e não só as mães usufruem delas.

Embora o acumulado em 12 meses, de maio de 2005 a abril de 2006, comprove um ainda significativo crescimento de 27,96% (ou 19.793.882 novos acessos) na base de assinantes da telefonia móvel, as vendas nominais do quarto mês de 2006 são 45,46% inferiores ao mesmo mês do ano passado, quando se registrou adesão de mais de 2,1 milhão de novos assinantes.De janeiro a abril deste ano, 4.373.651 novos assinantes aderiram à telefonia móvel, número 18,53% inferior aos 5.184.728 de adesões do mesmo quadrimestre do ano passado. Mesmo em queda, o resultado de abril manteve a tendência de crescimento da teledensidade do serviço móvel no País - o índice avançou de 48,14 em março para 48,72 em abril, contra 46,58 em dezembro de 2005.

O indicador (teledensidade), que é utilizado internacionalmente para mostrar o número de telefones em serviço para cada grupo de 100 habitantes, cresceu 4,59% este ano no Brasil e 26,22% em 12 meses. A mais elevada teledensidade no País é do Distrito Federal, com índice de 118,5 - ou 1,18 telefone celular para cada habitante. E, a menor, é a do Maranhão (índice de 19,48 - ou 0,19 telefone celular para cada habitante).

A consolidação dos números mensais da telefonia móvel celular e teledensidade pela Superintendência de Serviços Privados (SPV) está disponível no endereço eletrônico da Anatel na Internet, nos atalhos ''Comunicação Móvel/Móvel Pessoal/Dados do SMC-SMP'' e arquivos (em verde, na área central da página).

Estados e regiões

O Rio Grande do Sul permanece com a segunda melhor teledensidade entre as unidades da federação (índice de 64,67), seguido do Rio de Janeiro (64,15) e Mato Grosso do Sul (63,76). Goiás, com densidade de 57,92, continua em acelerado ritmo de expansão no indicador e acaba de superar Santa Catarina (57,26), que está à frente do Mato Grosso (55,81), São Paulo (54,51), Paraná (52,01) e Minas Gerais (48,78).

O Piauí detém a dianteira entre as unidades da federação quando o assunto é crescimento da teledensidade. O Estado registra avanço de 9,67% este ano e 49,12% em 12 meses - apesar de permanecer com a segunda mais baixa densidade nacional (índice de 23,71). O segundo maior crescimento no indicador em 2006 é do Rio Grande do Norte - 9,11%, seguido da Paraíba, (8,9%), Bahia (8,62%), Pernambuco (7,99%), Alagoas (7,93%), Ceará (7,66%) e Tocantins (7,48%).

A manutenção do bom desempenho dos estados do Nordeste mantém a recuperação da densidade na Região, que era de 21,32 em 2004, chegou a 30,52 dezembro de 2005 e agora está 33,02, índice que é ainda o menor entre todas as regiões brasileiras. O crescimento da densidade no Nordeste em 12 meses foi, no entanto, de 41,72%, um recorde entre as cinco regiões.

O Norte detém a segunda menor densidade (índice de 36,1) regional. A Região Sudeste, a mais rica do País, mantém a terceira posição no indicador (índice de 54,58), enquanto a Região Sul tem a segunda melhor densidade (índice de 58,24), atrás apenas do Centro-Oeste, líder no indicador com índice de 69,35.

Operadoras e tecnologias

A prestadora Vivo permanece na liderança entre as prestadoras brasileiras de telefonia móvel, :-(((, com 33,35% do mercado - uma pequena redução em relação aos 33,71% de março. Em abril do ano passado, mês em que a Anatel passou a disponibilizar a participação das prestadoras no mercado, a Vivo detinha 38,82% do mercado.

A TIM mantém a segunda colocação do mercado, com 23,58% (23,53% em março), seguida da Claro, com 22,02% (21,75% em março). A Oi (Telemar) tem 12,65% (12,55% em março); a Telemig/Amazônia Celular, 5,09% (5,18% em março); a BrasilTelecom GSM tem 2,78% (2,75% em março). A CTBC Telecom Celular tem 0,44%, enquanto a Sercomtel Celular continua com 0,09% do mercado.

A tecnologia GSM permanece em expansão e na liderança do mercado, com 50.098.252 acessos (eram 46.009.905 em janeiro), ou 55,31% do total. A tecnologia CDMA tem 24.450.591 acessos (26,99%) e a TDMA, 15.916.485 (17,57%). A Tecnologia analógica AMPS possui apenas 118.859 acessos (0,13% do total).

relacionados


Comentários