Meio Bit » Arquivos » Software » Bate-papo com Bernardo Porto, o criador do DeskMetrics

Bate-papo com Bernardo Porto, o criador do DeskMetrics

Entrevista com Bernardo Porto, criador do DeskMetrics, sistema de estatísticas para aplicações desktop, citado duas vezes no TechCrunch.

12/01/2011 às 9:14

Lá atrás, em 2005, quando o WinAjuda ainda engatinhava, tive a oportunidade de encontrar e acompanhar de perto o desenvolvimento de um software nacional destinado a limpar e otimizar o Windows. Era o Portinho, desenvolvido por Bernardo Porto.

DeskMetrics

O software evoluiu desde então, figurou em alguns dos principais sites de downloads do mundo, e até hoje continua disponível e atualizado. Mas, embora tenha uma importância histórica significativa, ele deixou de ser "a menina dos olhos" do Bernardo. Desde julho de 2010, ele administra, junto com seu sócio, Alisson Patrício, a DeskMetrics, mais uma startup brasileira citada não uma, mas duas vezes no TechCrunch.

Ontem batemos um papo com Bernardo, para saber como tem sido o crescimento da empresa, a repercussão do DeskMetrics e algumas polêmicas envolvendo o novo serviço. A entrevista na íntegra, depois do clique.

Dashboard do DeskMetrics.

Dashboard do DeskMetrics. (Clique para ampliar)

Meio Bit: O que o motivou a criar e lançar o DeskMetrics?
Bernardo Porto: Em 2006, iniciei a criação da minha primeira empresa, a Quicksys. O principal objetivo era desenvolver e comercializar utilitários para a otimização do sistema operacional Windows.

Após quatro anos, reparei que apesar de termos conquistados clientes em mais de 22 países, o mercado estava ficando saturado. Cada vez mais estava difícil encontrar um modelo escalável e lucrativo para a Quicksys.

Em julho de 2010, iniciamos oficialmente a DeskMetrics. A ideia surgiu de uma necessidade própria durante o trabalho realizado na Quicksys. Não encontrei nenhum serviço fácil e inteligente que me fornecesse métricas e informações relevantes sobre a utilização dos softwares.

Juntamos um pessoal diferenciado para ajudar na elaboração do projeto (cerca de 10 pessoas) e conseguimos um investimento "love money", feito por amigos e familiares. Entre o período do mês de setembro e outubro de 2010, lançamos o BETA do serviço. Em poucos dias foram centenas de cadastros, o que demonstrou que estávamos no caminho certo.

MB: Explique o que é e o que faz o DeskMetrics.
BP: A DeskMetrics é um serviço que fornece informações em tempo real sobre a utilização de software. Para simplificar, poderia dizer que somos um Google Analytics para aplicativos desktop.

Empresas de software e desenvolvedores conseguem identificar a localização dos seus usuários, quais são as funcionalidades mais utilizadas, as configurações dos computadores, entre outros. As informações ficam disponíveis em uma página Web (similar a uma do Google Analytics) e podem ser acessadas de qualquer lugar e a qualquer hora.

Para testar o serviço, é preciso criar uma conta no nosso site (existem planos pagos que são cobrados mensalmente e um plano grátis, para usuários com pequenas aplicações) e baixar um componente que integra a aplicação com a nuvem da DeskMetrics. Assim que a integração for feita e o aplicativo for distribuído com o componente DeskMetrics, os dados serão anonimamente coletados e enviados para os nossos servidores.

Bernardo Porto.

Bernardo Porto.

MB: O serviço ganhou bastante notoriedade após ter saído duas vezes no TechCrunch. Como é a sensação de aparecer num dos maiores blogs do mundo? E as consequências?
BP: É uma sensação espetacular, de muita euforia. É uma recompensa pelo trabalho realizado, ainda mais porque uma empresa investida pela Google Ventures lá dos Estados Unidos que testou o nosso serviço, foi quem nos recomendou para o editor do TechCrunch.

Os posts do TechCrunch abriram muitas portas para a DeskMetrics. Recebemos vários e-mails de investidores internacionais, de empresas interessadas em criar novas oportunidades junto com o nosso serviço e potenciais clientes do mundo inteiro.

MB: Há muita demanda para o DeskMetrics? As empresas mostram-se satisfeitas com os resultados?
BP: Sim! Estamos crescendo em um ritmo muito bom e recebendo feedbacks bem interessantes dos nossos usuários. Além dos posts do TechCrunch, que foram importantes para atrair novos clientes, o investimento que recebemos foi essencial para nos ajudar a crescer em taxas diferenciadas e divulgar o serviço para o mundo todo.

Uma das coisas que mais nos surpreendeu foi o tamanho de empresas que nos procuraram para testar o serviço da DeskMetrics. Estávamos esperando pequenas e médias empresas, mas surgiram contatos até com grandes empresas (com ações na NASDAQ, por exemplo), o que nos mostra que realmente existe uma necessidade neste tipo de informações, independente do tamanho da companhia.

Em breve iremos colocar alguns cases interessantes no site da DeskMetrics. Infelizmente são poucas as empresas nacionais que estão preocupadas em obter informações preciosas para tomada de decisões estratégias e para o aumento da qualidade de seus produtos. No exterior a demanda é 100x maior.

MB: Há quem ache que o que o DeskMetrics faz se assemelha ao comportamento de um spyware. Procede? Quais medidas são tomadas para preservar a privacidade dos usuários?
BP: Não procede. O componente da DeskMetrics não coleta NENHUMA informação pessoal sem a autorização prévia do usuário.

Fornecemos informações com boas práticas para todos os desenvolvedores e empresas que trabalham com a DeskMetrics. O nosso kit de desenvolvimento acompanha um aplicativo demo com uma janela de notificação, que permite o usuário selecionar se deseja participar de um CEIP (Customer Experiente Improvement Program) ou não. É equivalente a um "opt-out" que os fornecedores de web analytics e e-mail marketing oferecem.

As pessoas que participam deste tipo de programa (CEIP) ajudam as empresas entenderem melhor as necessidades dos seus usuários e, com isso, desenvolverem um produto ainda melhor para eles. Já existem várias empresas que possuem esta opção, inclusive a Microsoft com o próprio Windows.

Quem tiver curiosidade de saber quais as informações são coletadas pela DeskMetrics, basta criar uma conta no site e visualizar a aplicação demo que é fornecida.

MB: Quais os próximos passos com a DeskMetrics?
BP: A DeskMetrics está formando uma equipe diferenciada para oferecer novas ferramentas, novos relatórios, expandir o serviço para outras plataformas (ex: mobile) e aprimorar ainda mais o atendimento ao cliente. Se alguém tiver interesse em participar de uma start-up, adorar trabalhar com métricas e processamento de dados, favor entrar em contato comigo no @BernardoPorto.

Estamos também abrindo os códigos-fonte dos nossos componentes e formando uma comunidade ativa de desenvolvedores. Já contamos com o apoio de pessoas do mundo todo colaborando no desenvolvimento dos novos componentes.

MB: Finalizando...
BP: Foi uma satisfação muito grande dar uma entrevista para você, Ghedin, que me acompanha desde os primórdios do Portinho e para um dos blogs mais acessados do Brasil.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários