Meio Bit » Arquivos » Games » MMORPG: World of Warcraft - Primeiras Impressões e Descobertas

MMORPG: World of Warcraft - Primeiras Impressões e Descobertas

15/05/2006 às 22:46

Lançado oficialmente no finalzinho de 2004, World of Warcraft é o jogo do tipo Massive Multiplayer Online de maior sucesso até o momento. Segundo a própria Blizzard Entertainment, até o fechamento do mês de Abril, eles haviam quebrado a barreira de 6 milhões de assinantes. É muita gente. Eu resisti durante todo esse tempo, jogando outros
jogos: Guild Wars, Quake IV, Call of Duty I/II, Knights of the Old Republic I/II, Dofus. Ultimamente, estava me divertido com o Road to Hill 30 e Start Wars: Empire at War.

Muitos brasileiros conhecem e adoram a série Warcraft, que era um jogo de estratégia em tempo real e depois mudou o rumo com o Warcraft III e sua expansão Frozen Throne. Vários amigos ficaram tristes quando souberam que a Blizzard desistiu de lançar o jogo oficialmente no Brasil. Outros jogos que ainda estão na memória como os melhores são a série Starcraft e Diablo (esse último é um dos maiores destruidores de mouse do mundo).

Minha curiosidade veio justamente de já saber que o jogo é caro e mesmo assim o número de assinantes continuar aumentando. Afinal, o que a Blizzard fez de tão diferente nesse jogo que mesmo depois de 16 meses ele continua atraindo novos jogadores?Que jogo caro...
A relutância durou até que um amigo nos EUA mandar uma chave serial como presente de aniversário do World of Warcraft para eu testar e ver se parava de jogar qualquer outra coisa. Nesse último fim de semana resolvi instalar o jogo, baixado do FilePlanet em 50 minutos e gravado em DVD. São 2.2GB de instalação inicial e mais 350MB do patch completo mais recente, 1.10. Durante a instalação, eles pedem para digitar o número de série e ao iniciar o jogo, para criar uma conta. Nesse processo, informo como quero pagar e oferecem duas opções:
1. Cartões pré-pagos, comprados em loja (Amazon vende, por exemplo), com uma raspadinha onde há uma chave que irá liberar o
tempo de gameplay;
2. Cartão de crédito, com 3 opções: mensal, trimestral ou semestral, com preços reduzindo quanto maior o tempo.

Não vou mentir para vocês, o jogo é caro, mesmo para americanos, quanto mais para brasileiros. Os custos são altos, pois não se compra o jogo, paga-se e acabou. Existem ciclos de cobrança de acordo com a periodicidade escolhida. Ou seja, é como comprar um título novo a cada 3 meses.

Veja os custos de Cartão de Crédito (valores em real considerano câmbio a R$ 2,30):
Mensal: US$ 14,90 | R$ 34,27
Trimestral: US$ 41,70 (US$ 13,90/mês) | R$ 95,91 (R$ 31,97/mês)
Semestral: 77,40 (US$ 12,90/mês) | R$ 178,02 (R$ 29,67/mês)

Dinâmica dos Realms/Servidores
O World of Warcraft (WoW) está dividido em Realms, que são os servidores ou num
outro conceito levantado pelo Leo, planetas. Ao conectar, você pode jogar em qualquer um desses servidores e eles possuem algumas regras diferentes, mas todos são cópias idênticas do jogo. Mas cada um deles funciona isoladamente do outro. Ou seja, se um amigo está no servidor A e você entrou no B, não podem nem mesmo mandar uma mensagem para o outro. Seus personagens, também, ficam guardados em cada um desses mundos e não em uma máquina central. Ou seja, se você tem um guerreiro de nível 40 em um servidor e quer jogar em outro, deve criar outro guerreiro a partir do zero. Não é possível transferir itens ou dinheiro entre esses "mundos".

O jogo consiste na luta entre duas facções, Aliança, que são os humanos, gnomos, elfos noturnos e anões ou a Horda dos orcs, trolls, minotauros e mortos-vivos. Cada raça tem seu próprio país, vantagens e as missões iniciais únicas, assim como as capitais, cidades, vilas, terreno e problemas enfrentados por cada um. Além disso, existem
profissões que o jogador pode praticar para conseguir dinheiro, como ser um herbalista/alquimista, para fazer poderosas poções para uso próprio ou para vender a outros jogadores. Uma outra profissão interessante é o engenheiro, capaz de fazer bombas entre outros. Normalmente, itens feitos pelos próprios jogadores são melhores que vários encontrados em lojas, por exemplo.

Níveis e Profissões
A evolução de níveis e profissão é lenta. O máximo, atualmente é 60 e com a expansão que será lançada ainda esse ano, irá pular 10 níveis, o que é muita coisa, pois quanto maior o nível do jogador, mais lenta fica a seu progresso. A habilidade na profissão também conta. Umas são mais caras que as outras para se aprender, mas um caçador de feras é mais comum pois há abundância de material, enquanto é muito mais complicado para um herbalista conseguir ingredientes de poções. Então, um ganha mais pela raridade de seus produtos e o outro, pela quantidade. A maioria das profissões varia de 0 a 300 e realmente, o próprio jogador fica mais experiente no ofício.

Tecnologia e Interface
Os gráficos do jogo tem "cara de ontem" e me pareceram bastante ultrapassados, com aspecto de jogos de 2002/2003 no máximo. Não estou me referindo aos efeitos visuais de magias, mas texturas, modelos de personagens, animação, sombras, shaders, etc. Se você está acostumado com o realismo de Doom 3, FEAR, Quake IV, Medal of Honor e afins, irá ficar um pouco decepcionado com os gráficos, mesmo na resolução 1280 x 1024, com tudo no máximo ele ainda fica com aspecto de "antigo". Nesse quesito, Guild Wars dá um banho no WoW. Mas a contrapartida é mesmo uma máquina de configuração modesta
pode rodar o jogo, mas aconselho a não ter uma conexão menor que 256kbps. O som é decente, mas não é nada espetacular como Guild Wars ou Knights of the Old Republic. Os gráficos são inferiores aos do Silkroad Online (review em breve).

A interface é muito fácil e a jogabilidade é ensinada com missões curtas e aos poucos. Ela é totalmente auto-explicativa e imagino que eles tenham feito muita pesquisa para ser tão simples. São dezenas de comandos que ao final de 2 horas, nem parecem que estão lá. A cada novidade, como nadar pela primeira vez, aparece uma explicação curta e não existem aquelas combinações malucas de teclado e mouse. Se você acha 2 horas muito, não se preocupe, pois novidades são introduzidas aos poucos e isso não é absolutamente nada em termos de horas jogadas.

Locomoção e Meios de Transporte
Algo que chama a anteção é ver pessoas usando montarias mais diversas para se locomover mais rápido e outros, usando grifos, hipogrifos, morcegos gigantes e wyverns (uma espécie de mini-dragão), usando rotas aéreas para enorme velocidade de locomoção. Os preços das montarias são absurdamente caros e imagino que são pessoas que jogam desde os primórdios do jogo. Há também serviços de zeppelin, navios e trens para cruzar os países e continentes. Sim, o jogo é imenso e garanto que o pouco que já vi, se jogar todos os dias e nenhum conteúdo for adicionado, demoraria uns 2 anos para ver e fazer tudo. Mas a expansão irá acrescentar um continente inteiro... então, já me acostumei com a idéia de que não irei, de formal alguma, explorar cada recanto do jogo.

Economia
Outro aspecto interessante é que eles criaram um sistema econômico com cobre, prata e ouro. Então, depois de 2 dias jogando, não consegui uma única moeda de ouro, pois é preciso 100 de prata para tal e para treinar na profissão, nos ataques e magias, é preciso dinheiro. Fica fácil entender porque tem pessoas que estão ganhando dinheiro de verdade jogando World of Warcraft, pois eles vendem o dinheiro virtual na cotação 1 ouro = 1 dólar e pela quantidade de gente fazendo isso, o negócio é bom. Existem relatos de pessoas literalmente vivendo disso, jogando profissionalmente. Um jogador endinheirado na vida real e pobre no jogo pode investir 500 dólares por 500 moedas de ouro e dar verdadeiros saltos no progresso. Para quem está acostumado com o sistema simplificado de moedas de ouro, imagine o sistema feudal: uma armadura ótima qualidade, completa, talvez custe algumas moedas de ouro, um cavalo, é como um carro, custa 80 moedas de ouro ou mais. Um bom escudo, algumas moedas de prata e comida, umas poucas moedas de cobre.

Comunidade
Relevante é o senso de comunidade e ajuda mútua. Um desconhecido me viu, perguntou se eu era novo e com a resposta afirmativa, resolveu me ajudar com missões mais difíceis, deu dicas de profissão, e consegui meu primeiro item de qualidade incomum (verde) graças a ele. A qualidade do equipamento é facilmente verificada através de um sistema de cores. Ainda deu dicas sobre o jogo e evitar perigos.

Conclusão
No geral, achei a experiência muito interessante e realmente o jogo é viciante. Fica com aquele gostinho de quero mais, pois há tanto para se ver e fazer. E a Blizzard não pára de desenvolver o jogo. A cada nova atualização, novos itens, terrenos, inimigos e locais para se aventurar. Por exemplo, o próximo patch irá acrescentar novos dungeons de alto nível, reformar a classe de magos e xamãs, entre outras alterações. Vou jogar por algumas semanas antes de escrever as segundas impressões. Por enquanto, estou perdendo muito dinheiro testando as várias profissiões disponíveis. Estou jogando no Realm Shattered Hand (PvP), lado da Horda e meu nome em jogo é Moardib.

Esse post foi gerado a partir de uma conversa com o Leo, curioso sobre as minhas impressões recentes com o WoW. Uma coisa é certa, se você quer ter tempo para alguma coisa na sua vida, fique longe desse jogo, porque ele é, de fato, viciante. Dois dias bastaram para ver porque, mesmo com o preço salgado, existem mais de 6 milhões de pessoas jogando World of Warcraft.

relacionados


Comentários