Meio Bit » Baú » Fotografia » Sites de Compra Coletiva e a Fotografia

Sites de Compra Coletiva e a Fotografia

22/12/2010 às 3:40

Nessa semana estou acompanhando uma discussão muito bacana em uma lista de fotografia sobre a questão dos megadescontos oferecidos pelos sites de Compras Coletivas. Essa prática, que agora está tomando conta de todo o Brasil, começou de maneira tímida oferecendo promoções em compras de serviços e produtos pela internet com preços absurdamente baixos. A coisa já está tão disseminada que minha querida cidade aqui no interior já tem três sites oferecendo o serviço. E olha que a cidade nem é tão grande assim.

A conversa toda começou com um anúncio no site Peixe Urbano onde um estúdio fotográfico estava oferecendo um ensaio fotográfico onde poderiam participar até 4 pessoas. O pacote era composto por ensaio de 40 minutos, maquiagem profissional, 40 fotos feitas em estúdio, 5 fotos impressas e um pôster. O valor do pacote fica em R$ 50 reais. A eficácia do anúncio foi tão positiva que foram vendidos 1212 ensaios. A promoção até saiu do ar antes do tempo previsto, provavelmente por conta da avalanche de pedidos. Aqui ficam várias dúvidas sobre a prática. A principal é se realmente vale à pena anunciar esse tipo de promoção.

Vejam bem meus amigos. O valor de R$ 50,00, com tudo o que foi prometido, não cobre os custos de um estúdio. Eu bem sei que a coisa é complicada quando pensamos em como calcular nossos custos na atividade fotográfica, mas existem valores básicos quando pensamos em manter um estúdio. O erro grave de todos os fotógrafos iniciantes, e até mesmo de alguns que estão na atividade há algum tempo, é nunca levar em conta o trabalho humano. Contabilizamos a depreciação do equipamento, o quanto gastamos de energia elétrica, a maquiagem que vai ser usada e o valor das cópias que vão ser impressas. Ninguém pensa nos anos de estudo ou nas horas que vamos gastar para editar uma imagem, o tempo de ir até o laboratório fotográfico entregar o arquivo digital e depois ir buscar a cópia impressa, ou até mesmo o nosso desgaste físico em ficar no estúdio o dia inteiro realizando dezenas de ensaios fotográficos (eu marco no máximo 2 para um mesmo dia).

Já fui contatado por um site aqui da região para fazer uma promoção semelhante. Colocando no papel os custos e os benefícios, chegamos a algumas conclusões muito interessantes. A exposição ao público é alta, principalmente se você está começando no negócio. Então o desconto oferecido em um ensaio é calculado como investimento em propaganda. Por outro lado, ao fazer um book fotográfico com 50% de desconto (o que ficaria em torno de R$ 300,00) podemos passar a impressão para o consumidor que mesmo com esse valor nós estamos tendo lucro e, portanto, que podemos praticar esses valores perto dessa margem no ano todo. Isso é perigoso. Já vivemos um processo de depreciação do valor dos trabalhos fotográficos. Será que precisamos de mais esse fator para nos ajudar?

Vou dar um exemplo prático para vocês. Existem dois tipos de clientes que chegam até o meu estúdio. O primeiro tipo é aquele que quer uma cobertura fotográfica ou ensaio fotográfico de qualidade, pois sabe a importância do registro feito com competência. Esse cliente pergunta o preço apenas ao fim da negociação e quando todas as possibilidades foram apresentadas. O segundo tipo de cliente é aquele que pergunta apenas o preço, e por ele é que vai se basear para escolher o fotógrafo. Não importa qualidade ou experiência. Algum tempo atrás um cliente jogou em minha mesa vários orçamentos que já tinha feito e disse que o mais barato era de R$ 500,00 (para um casamento). Eu disse a ele então que tivesse boa sorte e que poderia fechar com o outro fotógrafo. Simples assim, não vou brigar por cliente dentro desses termos.

Voltando ao caso da proposta do site de compras, chegamos à conclusão que o anúncio seria interessante como divulgação, mas limitaríamos as vendas em 10 books fotográficos. Então fazemos nossa divulgação e entregamos alguns produtos com preço promocional. Essa é uma forma interessante de usar essa nova ferramenta. Porém, o efeito ainda não é conhecido. A desculpa dos fotógrafos que estão trabalhando com o Peixe Urbano, por exemplo, é que esses são novos clientes que vão ao estúdio e existe a possibilidade de que os mesmos se tornem clientes fixos. A fotografia vive disso, propaganda boca a boca. Você fotografa comigo e depois indica para sua prima que vai casar. Clientes satisfeitos rendem mais duas ou três boas indicações. Mas, esse público novo é atraído somente pelo baixo preço. Se essa for a principal característica que os leva a escolher o estúdio fotográfico, então ele é um cliente morto para mim. Somente o futuro vai determinar se isso vai ser positivo ou negativo para nós que vivemos de fotografia. Depois que aplicarmos nossa promoção escreverei outro texto para tratar dos resultados.

relacionados


Comentários