Meio Bit » Arquivos » Fotografia » Atek 200 Master – Começando o seu estúdio

Atek 200 Master – Começando o seu estúdio

24/11/2010 às 19:07

Chega uma hora na vida de todo fotógrafo que ele quer evoluir. Você começa com uma compacta, depois passa para uma compacta avançada, que é seguida por uma DSLR de entrada e assim vai até chagar a uma full frame (não estou lá ainda). Porém, várias outras coisas vão aparecendo pelo caminho e você se vê gastando o dinheiro do aluguel em tripés, lentes, flash, filtros e uma infinidade de outros cacarecos que te fazem muito feliz. Um belo dia, quando começar a pensar em ganhar uma graninha com fotografia, você vai querer montar um estúdio. É nesse momento que a coisa fica complicada.

Eu tive um professor que sempre dizia que montar um estúdio fotográfico ficava mais barato do que montar um carrinho de cachorro quente. Concordo com ele, mas existem estúdios de diferentes tamanhos e estilos. O estúdio ideal para mim, montado com equipamentos de primeira linha, não custaria menos que R$ 60.000,00, mas é nessa hora que eu caio da cama e o sonho acaba. Faz alguns anos que penso em montar um estúdio para mim. Fui empurrando com a barriga, mas decidi que a coisa deveria começar a acontecer. A primeira parte que pensei foi na iluminação (antes mesmo de alugar o local) e que teria pouca grana para investir na empreitada nesse primeiro momento.

Depois de muito pesquisar, e passar por diversas marcas, me decidi pela Atek. A escolha foi até simples, ainda mais nesse primeiro momento de vacas magras. A empresa fabrica materiais de boa qualidade e com um preço muito bom. Existem outras marcas de flash mais baratas, mas com uma confiabilidade questionável. Conheço grandes profissionais que usam os flashes da Atek e sua linha de acessórios há muitos anos e não pensam em trocar agora. Bem, depois de escolhida a marca, vem a parte mais difícil. Achar o melhor preço. Como iria comprar apenas duas tochas (nome usado para os flashes de estúdio) teriam que ter uma potência razoável para poder iluminar totalmente o assunto fotografado. Por isso me decidi pelo Atek 200 Master.

Existe a possibilidade de comprar o equipamento em um Kit com dois flashes, duas sombrinhas rebatedoras e dois tripés. Porém, no momento em que comprei a dupla, ficava mais barato adquirir as peças separadas. Por incrível que pareça, hoje pesquisando pela net encontrei o conjunto mais barato do que comprar as peças separadamente. Coisas do capitalismo. O local escolhido para a compra foi a Diafilme, loja de Curitiba que sempre me atendeu muito bem e nunca foi motivo de reclamação. Comprei com eles dois flash Atek 200 Master, duas sombrinhas rebatedoras, uma sombrinha difusora, dois tripés WF-WT 803 e um adaptador para cabo de sincronismo para a sapata hot shoe da câmera. Total da compra: R$ 2.230,00. Hoje é possível achar o conjunto na própria Diafilme por R$ 1.954,00.

24112010-IMG_0672 24112010-IMG_0671

Depois de uma semana de espera, o equipamento estava em minha casa. Tudo que comprei coube em uma pequena caixa, sendo que para transportar tudo é muito fácil. Aliás, a própria Atek possui uma bolsa muito prática para o transporte do conjunto (vendida separadamente). A montagem do conjunto é fácil, sendo que o flash possui uma base giratória e flexível para encaixe na ponta do tripé. O manual do equipamento é apenas uma folhas com algumas indicações dos comandos, que também são poucos. A primeira coisa feita foi a substituição da lâmpada de modelagem, que sai da fábrica com o padrão 220Volts. Após comprar duas lâmpadas de 40W estava pronto para iniciar os testes com o equipamento.

Na parte de trás do flash temos os quatro únicos botões de controle. O primeiro liga a luz de modelagem. O segundo liga o flash. Com o terceiro podemos escolher se o flash vai disparar com carga total ou meia carga. O terceiro botão é para teste do flash. Nessa parte do equipamento também temos o indicador de carga (que mostra que o flash está pronto para ser disparado), os conectores para o cabo de sincronismo (foi fornecido um com cada flash) e a fotocélula, responsável pelo disparo do flash através de outra fonte de luz. Tudo montado, tudo visto certinho, agora é hora de usar. Mas, a coisa fica mais complicada do que parece. Não é apenas colocar uma sombrinha de cada lado e sentar o dedo no obturador. A primeira coisa que bate na cabeça do fotógrafo iniciante é como regular a câmera, que tem que ser usada no manual, sem uma indicação TTL do flash? Simples, na falta de equipamentos específicos a gente usa o olhômetro. Mas, já vou dizendo que não é muito eficaz, pois tentar acertar a exposição através do visor LCD da câmera não é uma das coisas mais simples que podemos fazer. O histograma da câmera ajuda muito, mas não faz milagres. Só vamos ver os problemas de iluminação quando abrimos a foto no Lightroom.

24112010-IMG_0670

Aqui faço uma pequena observação. Não tem como trabalhar satisfatoriamente em estúdio sem três coisas. Fotografar com a câmera conectada no computador, usar um fotômetro e aplicar um ajuste personalizado de Balanço de Branco. Esses três requisitos serão temas dos próximos textos dessa série sobre estúdio.

Depois de muito sofrer para achar a melhor posição dos dois flashes, me rendi ao conhecimento já construído e fui seguir aquilo que os mestres ensinam. O pior erro que podemos cometer é usar as duas fontes de luz posicionadas dos dois lados da modelo em um mesmo ângulo. Isso causa uma luz sem graça e inevitavelmente duas sombras na modelo. A melhor maneira de fotografar é utilizando um dos flashes a 90º da modelo e um pouco mais alto do que ela, para que a luz a ilumine por inteiro. A segunda luz ficará um pouco atrás, para dar apenas um preenchimento no cabelo e delinear as formas. Juntamente a esse esquema, podemos colocar alguns rebatedores para eliminar sombras mais duras. Óbvio que a luz ficará muito mais bonita se você tiver alguns acessórios como um octobox para a luz principal. Mas, isso já é uma outra conversa.

15102010-IMG_1340 15102010-IMG_1341

Com o tempo, você vai sentir falta de mais duas fontes de luz, uma para o fundo e outra para o cabelo, mas é possível começar apenas com esse Kit básico. Depois de testado, eu recomendo os flashes da Atek por seu preço e confiabilidade. O único ponto negativo é que achei o encaixe articulado muito frágil. Tem que tomar cuidado para não forçar muito. Outro conselho é que não economize na compra do adaptador para sapata hot shoe. Comprei o mais barato e ele queimou em duas semanas. Compre um de marca reconhecida, de preferência da mesma marca de sua câmera.

DSC_5815 DSC_5801

Qualquer dúvida é só colocar nos comentários. Aguardem os próximos textos sobre o assunto.

relacionados


Comentários