Meio Bit » Baú » Games » Um Need for Speed de volta às origens

Um Need for Speed de volta às origens

23/11/2010 às 13:32

dori_nfs_23.11.10

Como jogador de videogame, algo que nunca me esquecerei foi da primeira vez que vi o The Need for Speed rodando num 3DO. Disputar rachas pelas fantásticas estradas do jogo era algo capaz de impressionar qualquer um e os gráficos que o console conseguia gerar pareciam um sonho para os jogadores acostumados a jogar no Mega Drive ou Super Nintendo. Desde então a série mudou muito, flertou com a simulação, passou pelos circuitos, chegou aos mundos abertos e vários elementos foram adicionados, como o tunning ou as perseguições policiais, mas sempre senti falta de ter que me preocupar apenas em correr, de quando o que importava era competir para saber quem era o mais rápido.

Quando a EA entregou o desenvolvimento do próximo título da série à Criterion, confesso ter ficado com um pouco de medo, mesmo gostando muito do trabalho do estúdio. Achava que eles poderiam transformar o game em um Burnout disfarçado, mas depois de dedicar algumas horas ao NFS: Hot Pursuit, não hesitaria em apontá-lo como o melhor Need for Speed já criado.

Na minha opinião, o grande mérito dos envolvidos na criação do jogo foi ter conseguido resgatar a sensação de estarmos jogando um antigo NFS, mas com a tecnologia atual, mantendo aquelas que para mim eram as principais características da série, como as corridas em estradas, onde não tínhamos que ficar dando voltas em cenários que se repetiam ou de podermos ver lindas máquinas rasgando o asfalto em localidades belíssimas. Embora tenha perdido aquela tensão das ultrapassagens, que era causada por só podermos bater algumas vezes e pela ausência de uma câmera interna que mostrava o volante e painel do carro, quem teve contato com o primeiro jogo provavelmente sentirá como se estivesse jogando-o de volta.

dori_nfs_23.11.10-2 Também conta a favor desse Hot Pursuit ele não se parecer tanto com os antigos jogos da Criterion como eu imaginava. Nele o foco não está nos acidentes e embora a tradicional câmera lenta seja mostrada sempre que um carro bate violentamente, não é tão fácil empurrar os adversários para a traseira de um ônibus e mesmo as capotagens são raras. Acredito que isso aconteça porque os veículos são bastante pesados, por sinal parecidos com os do primeiro Need for Speed e com exceção das partes em que jogamos como policial, é mais indicado que você se preocupe em correr do que ficar procurando uma maneira de destruir os outros competidores.

Outro fator que diferencia o game do Burnout Paradise é que mesmo existindo um mundo aberto, as corridas são escolhidas no mapa e aqui não haverá apenas um ponto de partida e outro de chegada, cabendo aos corredores escolher a melhor rota. Tirando alguns poucos atalhos, quando houver uma bifurcação o jogo colocará setas luminosas indicando o caminho correto, assim como já é padrão na série. Isso é uma questão de gosto, mas prefiro assim. Também há de se destacar a disponibilidade de carros reais, algo que não existia no Paradise e o fato de podermos pilotar máquinas como um Aston Martin, um Bugatti ou uma Lamborghini me parece um ótimo diferencial.

Os desenvolvedores também merecem elogios por terem criado um sistema de competição muito interessante, o Autolog. Com ele podemos comparar nossos melhores tempos com o de amigos e sempre que nossa marca for batida recebemos uma mensagem nos incentivando a tentar recuperá-la. Isso aumenta bastante a vida útil do jogo e acaba criando um clima de rivalidade muito legal entre os jogadores.

dori_nfs_23.11.10-3 Graficamente esse Hot Pursuit também impressiona. Os carros foram muito bem reproduzidos e os cenários enchem os olhos, figurando entre os mais bonitos já criados para um jogo de corrida. Felizmente eles introduziram um modo onde podemos tirar fotos e disponibilizá-las para outras pessoas, mas senti a falta de podermos ver um replay das corridas. Por falar em falhas, acho que alguns outros pontos do jogo poderiam ser melhorados. Embora a fictícia Seacrest County seja bastante grande, o lugar não possui muitas ruas e acho que uma câmera do cockpit seria muito bem vinda.

É muito provável que a EA lance vários pacotes com conteúdo adicional para o NFS: Hot Pursuit e se a Criterion conseguir fazer nele o mesmo que fez no Burnout Paradise, o jogo deverá mudar muito ao longo do tempo e talvez algumas desses equívocos sejam corrigidos.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários