Meio Bit » Baú » Miscelâneas » Performance de Software III: Identificando o Bloatware

Performance de Software III: Identificando o Bloatware

28/03/2006 às 18:48

Pelos comentários dos dois posts anteriores, vejo que não estou sozinho. Azureus é bloatware, porque o uTorrent faz a mesma coisa e tem menos 200kb de tamanho e consome 1/5 dos recursos.

Não existe fórmula universal para fugir de software ineficiente, mas existem maneiras de tentar detectá-lo. A primeira delas é o que os defensores do Linux estão cansados de dizer: não tema mudanças. Se o antivírus que você sempre usou virou uma Suíte de Segurança, atenção, porque isso aconteceu com os dois líderes de mercado: Norton e McAfee. Eram produtos que faziam bem sua tarefa primárica, mas para justificar versões novas, começaram a agregar mais e mais serviços a ponto de precisar de um aplicativo para gerenciar tudo.

A última vez que eu instalei o McAfee Security sei lá o que foi quando ele estava levando quase 80MB de memória para ficar residente. Com o Norton, a mesma coisa, a última versão pessoal foi há uns 3 anos, porque produtos gratuitos como o AVG estavam fazendo exatamente a mesma coisa, de graça e consumindo menos de 20MB de RAM e quase nada de processamento.

Solução? Esteja atento a mudanças bruscas e dezenas de novidades nos programas e não tenha medo de trocar por um outro. Você pode ter uma bela surpresa.

Antes de instalar um programa novo, aproveite o boot e veja o consumo atual de memória e verifique as tarefas do computador. Instale o programa e veja se ele colocou alguma coisa na inicialização. Bloatwares tomam de assalto sem muita cerimônia a inicialização do sistema operacional. Exemplos: Quicktime, Real Player, MS Office e Valve Steam. Esses programas sofrem de Importancite Aguda e são uma das causas de boot lento e consumo excessivo de recursos. Lembre-se um Bloatware sozinho não deixa seu PC lento, meia dúzia deles (facílimo chegar nesse número) e você já notará mudanças de performance.

Atenção para programas que colocam fontes no seu sistema. O Corel era craque para instalar umas 300 com mais algumas centenas de opcionais. Muito bacana, mas todas as fontes são lidas pelo sistema operacional durante o boot, que pode significar um sistema sair de 50 segundos para 1 minuto, apenas por causa de fontes.

Software de otimização residentes. Eu uso o System Mechanic Professional, mas todas as opções de otimização automática estão desligadas. O motivo é que eu prefiro deixar as otimizações de disco, registro, arquivos órfãos, links perdidos num horário em que ninguém precise do computador e essas tarefas possam ser executadas sob demanda. Ele foi educado o suficiente em deixar meu PC em paz.

Os games hoje em dia estão vindo com vários programas de relacionamento para jogos em rede. Gamespy é um dos mais populares, mas você precisa realmente de instalar um programa que tem a mesma funcionalidade básica embutida no jogo? Programas pequenos, leves e eficientes como o TeamSpeak são bem-vindos. Programas cheios de banners que consomem banda e não acrescentam muita coisa como o Gamespy, ficam de fora.

Até no mundo do software que demanda o maior índice de otimização possível, os drivers, o blotware tomou conta. Como já disse e não canso de mandar e-mails para eles reclamando, os drivers oficiais da ATI necessitam do .Net Framework para serem configurados. A alternativa? Omegadrivers, que é exatamente a mesma coisa, mas feita de forma nativa, com configurações dentro do próprio windows e ajustado para estabilidade e performance. Para nVidia, existem releases alternativos também, mas não sei como o drivers estão sendo configurados esses dias. Alguém sabe?

Precisamos deixar claro que não vamos aceitar usar software ineficiente, achando que é o dono do pedaço. Fiz isso com o Quicktime, Real Player e vários outros. Agora, como diria o meu colega blogueiro Falcon, só falta tirar o Windows e colocar Linux para fechar o ciclo. 😉

relacionados


Comentários