Meio Bit » Baú » Internet » [Resenha & Promoção] Bilionários por Acaso: A Criação do Facebook

[Resenha & Promoção] Bilionários por Acaso: A Criação do Facebook

Resenha e sorteio do livro Bilionários por Acaso, que narra a história da criação do Facebook, a maior rede social do mundo.

08/11/2010 às 17:38

O filme só estreia no Brasil em dezembro, e está difícil aguentar mais um mês para ver o que todo mundo, sem exceção, não se cansa de elogiar lá fora. The Social Network, no Brasil felizmente apenas traduzido para "A Rede Social", é o filme que conta a gênese da maior rede social do mundo, a maior força a surgir na Internet nos últimos anos, a origem do Facebook.

Que o Facebook é enorme e ruma a tornar-se onipresente na Internet, a maioria sabe. Mas que o filme foi baseado num livro, alguns talvez não. Bilionários por Acaso: A Criação do Facebook — Uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição (ufa!), livro de Ben Mezrich, foi lançado recentemente no Brasil pela Editora Intrínseca, com tradução de Alexandre Matias.

Livro Bilionários por Acaso.

Não espere uma fonte recheada de documentos ou várias vertentes de fatos controversos. Apesar do peso histórico do livro, ele é contado como um romance tradicional, montado a partir dos relatos de diversos personagens importantes que estiveram envolvidos no processo, como o brasileiro Eduardo Saverin, ou o co-fundador do Napster e Plaxo Sean Parker.

Aliás, é na falta do protagonista nos relatos que embasam a história que reside o talvez maior defeito de Bilionários por Acaso. Escreveu Mezrich, no prefácio:

"(...) Mark Zuckerberg, em todo o seu direito, recusou-se a dar um depoimento para este livro, apesar de meus inúmeros pedidos."

A ausência do relato de Zuckerberg, co-fundador e mente criativa por trás do Facebook, torna-se visível na medida em que a leitura avança. Introspectivo e focado, no livro ele é sempre citado de maneira um tanto distante, suas ações são pautadas por "talvez" e "acho", e como protagonista, falta-lhe maior participação. Mas, dadas as circunstâncias, tudo isso é perfeitamente compreensível.

(A propósito, você já "curtiu" a página do Meio Bit no Facebook?)

O livro narra as desventuras de Mark em Harvard, do Facemash à enrolação com o pessoal do ConnectU, até o estabelecimento do Facebook como algo... único, revolucionário. Seria impossível incluir no fim do livro os anúncios na área móvel feitos pelo próprio Zuckerberg semana passada, mas ainda assim, tem material referente a 2010 nas páginas, o que torna o livro bastante atual e, em breve, datado.

Dividido em capítulos curtos, o autor sempre começa cada um deles de uma maneira meio estranha, para dali a algumas linhas situar o leitor no momento e nos personagens em questão. Embora não tenha me perdido em momento algum durante a leitura, ficava sempre a sensação de que, talvez, isso pudesse ocorrer.

Outra coisa desagradável são os palavras chulas, especialmente "p*rra", ditas pelo narrador! Fossem proferidas pelos personagens, tudo bem. Mas o narrador não precisa descer o nível, p*rra! né? A excessiva ênfase nas motivações sexuais dos personagens também dão um "ar Malhação" meio desnecessário à obra. Mas divago...

Apesar dos pesares, e de eu ter fisgado alguns errinhos de ortografia e/ou tradução (nada grave, fique tranquilo), o livro é recomendadíssimo para quem trabalha ou se interessa pelos bastidores dessa coisinha à qual nos referimos por Internet. A história do Facebook é especial em vários sentidos, mas tudo que uma pequena startup passa Zuckerberg e sua trupe passaram: o início singelo, as melhorias constantes, o aumento sufocante da demanda, a falta de verba, o relacionamento com investidores e anunciantes, o Vale do Silício. É uma viagem inspiradora onde vilões ora são mocinhos, e mocinhos ora são vilões. E se o livro já empolga, a ansiedade pelo filme só fez aumentar.

***

A Editora Intrínseca gentilmente cedeu uma cópia de "Bilionários por Acaso" para ser devorada lida e essa análise publicada e, posteriormente, sorteada entre os leitores. O vencedor será escolhido, por óbvio, lá no Facebook. Não tem conta lá ainda? Então crie uma!

Após acessar a rede, "curta" nossa página e responda essa pergunta aqui. Atenção: a resposta tem que ser lá; comentários publicados aqui no blog não serão analisados para fins de participação. De resto, aquelas regras default das nossas promoções: o ganhador tem que morar no Brasil e não ter relação de parentesco com os colaboradores do Meio Bit.

A melhor resposta leva o livro, de graça, na faixa, free. Aceitaremos respostas até sexta-feira (12/11).

relacionados


Comentários