Meio Bit » Baú » Miscelâneas » Blender evoluiu, pode esquecer o Coelho do Mal

Blender evoluiu, pode esquecer o Coelho do Mal

05/10/2010 às 15:48

clique para engrandalhecer

O Blender, como todo software open source, sofre da praga do coitadismo que cega e bloqueia qualquer crítica que não seja o mais puro e irreal elogio. Por isso um monte de gente bateu palmas praquele filme chato com aquele coelho gordo horroroso, como se fosse algo saído da Pixar. Era um lixo, cheio de erros primários e limitações técnicas. Nem a grama se mexia. Hello, Século XXI?

Felizmente, ao contrário de muitos projetos o Blender não se deixa contaminar pelo coitadismo. O programa vem evoluindo bem, correndo atrás das deficiências ao invés de correr atrás de justificativas para sua existência. Um belo exemplo é o filme acima (e abaixo), The Sad Tale of Sintel and Scales, que já teve mais de um milhão de visualizações no YouTube. Não é perfeito, não é a Pixar, nem é pra ser mas é um filme milhares, milhões de vezes melhor do que aquele coelho maldito.

O filme tem efeitos de água, cabelos, tecidos, enquadramentos sofisticados e não faria feio em nenhum festival de animação. É a mostra do que se consegue com uma ferramenta decente sem mimimi e sem a postura "pro que é tá bom". Assista, não vai se arrepender. Isso sim é uma vitrine de respeito para o Blender.

PS: Veja pelo menos em 720p, se sua máquina aguentar, em 1080p. Ou baixe, são 387MB mas vale cada byte.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários