Meio Bit » Baú » Fotografia » Vídeos em Full HD para “idosos”? Conheça o SPlayer

Vídeos em Full HD para “idosos”? Conheça o SPlayer

Conheça o SPlayer, player de vídeo chinês que faz milagres em hardware modesto — mostra até full HD!

13/09/2010 às 18:15

Calma lá, não estamos falando de alta definição para a sua avó (até porque ela pode não perceber a diferença mesmo nas telas de 50’’), mas sim para computadores antigos, que já tiveram seus tempos áureos e agora estão na fase do “se funcionar, está bom demais”. As 1080 linhas do Full HD da maioria dos filmes exigem um processamento decente e otimização por parte do hardware, detalhe em falta nas máquinas mais antigas ou ainda em netbooks novos, mas “abaixo da linha do low-end”. Para tais máquinas, o SPlayer se mostra a opção mais leve e prática, usando as mais diversas otimizações possíveis de se encontrar no Windows.

Antes que você comente, existem sim vários outros players capazes de dar uma nova brisa a máquinas mais fracas, como o KMPlayer, o Media Player Classic e o VLC. No entanto, muitas vezes a configuração encontrada de primeira não é a melhor para determinados tipos de sistema, o que exige do usuário uma busca mais minuciosa pelos cantos obscuros dos menus de cada programa. E aí que mora a vantagem do SPlayer: a primeira configuração é quase sempre a mais otimizada possível para o sistema encontrado, poupando o usuário de caçar informações menus afora.

SPlayer.

No meu Dell Vostro 1510, nem tão velho e nem tão novo, que consegue rodar 1080p em condições normais (no modo balanceado, com programas mais consumistas fechados), obtive uma melhora considerável, poupando cerca de 30-40% de consumo de CPU. O peso, sem nenhuma configuração além da básica de abrir o vídeo e apertar o play, foi automaticamente jogado para a placa de vídeo, que sendo melhor preparada para a tarefa árdua de processar vídeos (ORLY?), mal teve aumento em seu consumo.

A GPU do Vostro 1510 é preparada para tal (uma Nvidia 8400M GS), mas se a sua placa for de um passado mais longínquo (também conhecido como 2 a 3 anos atrás no mundo da informática) ainda há esperanças. Por usar o EVR (Enhanced Video Rendering), um método de renderização integrado desde o Windows Vista por meio da plataforma Media Foundation, em todos os formatos de arquivos que lê (principalmente .mkv, formato que se dá bem ao comprimir vídeos em alta definição), o SPlayer consegue usar melhor o potencial de praticamente qualquer placa de vídeo Directx 9. Se o seu computador aguenta a interface Aero, muito provavelmente é hábil a usar a magia negra desse player chinês.

Além do peso-pena, a interface é bem prática. Saem os botões excessivos, entra o minimalismo num nível perto do ideal. Em um clique se pode mudar o nível de otimização de vídeo, e conseguir mais performance ou qualidade. Claro, se você estiver sob um Pentium 4 de meados de 2003, pode não conseguir nada além de uns belos slideshows, mas se o seu for mais a cara deste semi-morto aqui que conseguiu rodar através do SPlayer, há esperanças.

Mas e se sua máquina for de certo modo parruda e lidar com filmes em Full HD com facilidade? O SPlayer também é útil, principalmente pela economia de processamento geral. Noutra máquina testada aqui (um AMD Phenom II X4 de 3.20 GHz com uma Nvidia GTS 250), um vídeo de 300 MB no formato .mkv consumiu apenas 8% de processamento de CPU e de GPU, enquanto o mesmo vídeo consumia 15% em outros players. Não é lá aquela economia gigantesca que é possível ter em configurações modestas, mas ainda sim é algo considerável, principalmente se a máquina em questão fosse um notebook, onde cada watt a mais economizado conta na duração da bateria.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários