Meio Bit » Baú » Hardware » Android não combina com tablet

Android não combina com tablet

Executivo da Google desestimula uso de Android em tablets.

13/09/2010 às 8:26

O maior obstáculo à popularização dos tablets é o sistema que eles rodam. Antes do iPad, fabricantes empurravam em seus produtos do gênero sistemas de desktop, feitos para serem usados com mouse e teclado, e isso, embora não inviabilizasse o uso, o tornava incômodo — exatamente o oposto do que os tablets prometem.

Hoje essa ideia é bastante comum, até a Microsoft tem um sistema destinado a esse tipo de hardware, o Windows Embedded Compact 7... E não só ela. A Apple já colhe os frutos da adaptação do iOS para uma tela maior-mas-não-muito, a Google trabalha no Chrome OS para abocanhar uma fatia desse mercado, e correndo por fora, a HP/Palm turbina a próxima versão do webOS.

Android </3 tablets Com exceção do iOS, todos os demais sistemas compartilham algo em comum: ainda são promessas. Isso cria um "gap" entre o lançamento do iPad, que reacendeu o apelo dos tablets, e o lançamento dos concorrentes com sistemas genuinamente de tablets. Sem perder tempo, alguns fabricantes usam o que têm à mão agora, e seja o que seus potenciais consumidores quiserem...

Archos 101 e Samsung Galaxy Tab, para ficar no mainstream e deixar de lado as aberrações resistivas da DealExtreme, são dois exemplos de tablets baseados em Android, o sistema da Open Handset Alliance, liderada pela Google, feito para smartphones. Funciona em tablets? Sim, como esses dois e outros comprovam. Funciona bem em tablets? Segundo a Google, não.

Hugo Barra, diretor de produtos de mobilidade da Google, disse durante a IFA 2010, na Alemanha, que o Froyo (Android 2.2) não é otimizado para tablets, o que significa que a Google lava as mãos sobre problemas de interface ou má adaptação a telas grandes, quando comparadas às de smartphones. E mais: o Android Market não pode ser habilitado nesses produtos, como antecipamos na notícia do Archos 101.

Isso tudo pode muito bem ser FUD da Google para evitar canibalização em sua linha de produtos, afinal, Android em tablets significa concorrência interna para o vindouro Chrome OS. Por outro lado, pode ser um argumento verossímil, logo, um bom parâmetro para os consumidores comprarem o que há de melhor — e se a empresa que faz o sistema não recomenda, é bom, no mínimo, ficar atento.

Enquanto isso, o iPad segue vendendo como água...

Fonte: TechRadar.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários