Meio Bit » Baú » Fotografia » Pin Hole e Diversão

Pin Hole e Diversão

10/09/2010 às 23:29

No último fim de semana, uma atividade diferente foi levada a cabo com a minha participação. Um workshop de PinHole. Tudo bem que a prática não é tão estranha assim, mas temos cada vez menos pessoas envolvidas nesse tipo de trabalho, principalmente nas escolas. Quase todo mundo da minha idade já fez esse tipo de experimento na escola. Pergunte para um adolescente no dia de hoje quantos já tiveram essa oportunidade. Eu digo que são muito poucos. Infelizmente, com o desenvolvimento da fotografia digital, a maneira mais divertida de fazer PinHole está ficando um pouco cara. Trabalhar com grandes grupos ainda é viável, mas brincar sozinho pode ter um custo salgado.

O workshop foi aberto à população e teve a coordenação de Paulo Brasil, fotógrafo que tem no PinHole uma forma de manifestação artística. Tivemos 12 inscritos e os trabalhos foram realizados durante um sábado e um domingo. Para trabalhar da maneira que foi proposta, precisávamos de duas coisas principalmente: a construção de uma câmera e a montagem de um laboratório fotográfico. A câmera é fácil de ser feita. Precisamos de uma lata de Leite Ninho (ou qualquer outra lata que tenha a tampa de metal), uma cartolina preta (dos dois lados), tinta spray preta fosca de secagem rápida, papel alumínio não muito fino, fita isolante e uma agulha de acupuntura.

28082010-IMG_9064

A lata tem que ser totalmente pintada de preto na parte de dentro (inclusive a tampa). Em uma das partes laterais, um furo deve ser feito com um prego ou ferramenta adequada. Sobre esse furo, montamos um pequeno obturador com as bordas compostas de cartolina e tendo no centro o papel alumínio. O alumínio e furado levemente com a agulha, e depois preso a frente da lata com a fita isolante. Na parte de fora, montamos uma faixa de cartolina presa pela borda para podermos controlar de maneira adequada o tempo de exposição. Pronto, já temos uma câmera PinHole montada.

28082010-IMG_9063

O laboratório deve ser montado em um local onde a luz possa ser barrada completamente e possua água corrente. Dessa forma, o local mais apropriado é um banheiro. Nesse local devemos ter duas pequenas bandejas (para os produtos químicos), luvas de borracha, pinças e uma iluminação bem fraca proporcionada por lâmpadas vermelhas. Um rolo de barbante e pregadores também são necessários para fazer a secagem das fotos reveladas. Nesse tipo de PinHole também precisamos de líquido revelador (média de R$ 64,00 para fazer 10 litros), líquido fixador (média de R$ 54,00 para fazer 10 litros) e papel fotográfico preto e branco (R$ 68,00 por 25 folhas 17,8x24,0 cm).

28082010-IMG_9070

O processo é muito simples. Depois de tudo montado, você deve recortar as folhas de papel fotográfico para que se encaixem dentro da latinha que você vai usar (lembrando que isso deve ser feito dentro do laboratório somente com a luz vermelha). A lata de Leite Ninho é apenas uma sugestão. Nessa atividade também utilizamos latas de Pó Royal e uma grande lata de um ferro de passar Black & Decker. O segredo de uma boa fotografia PinHole é você conhecer bem as características da sua câmera. Mesmo fazendo com muita atenção, o orifício de cada câmera é único, sendo muito difícil fazer dois iguais. Então, cada câmera vai ter um tempo para conseguir formar a imagem. Porém, quanto menor o buraco, mais nítida vai ser a sua foto. Por exemplo, a lata de Pó Royal necessitou de apenas 15 segundos para realizar a foto. Já a lata do ferro de passar, por ser muito grande, precisou de 10 minutos para uma correta exposição (esse fator elimina a possibilidade de fazer fotos de objetos em movimento).

Depois de sensibilizado o papel, é só voltar ao laboratório fotográfico, retirar o papel da lata (ou câmera) e jogar no líquido revelador. Ao movimentar o papel dentro da bandeja a imagem vai se formando lentamente. A forma como você movimenta o papel dentro do líquido também é responsável pelo contraste que você vai conseguir da imagem. Assim que a imagem chegou ao formato desejado é só dar um banho de água para remover o líquido revelador e jogar a foto no liquido fixador. Esperam-se alguns minutos e a foto toma outro banho em água corrente. Depois é só levar ao varal e esperar secar. Lembrando que essa imagem formada inicialmente é um negativo, onde as partes claras são representadas pelo preto e a parte escura é representada pelo branco. É possível criar um positivo no laboratório usando luz, um papel em branco e nova revelação, mas como o papel fotográfico é muito caro, decidimos escanear as fotos e conseguir o positivo através de inversão no Photoshop.

O resultado dessa brincadeira pode ser visto abaixo. Algumas imagens ficaram realmente espetaculares e alguns até diriam que é impossível conseguir esse resultado através de uma latinha. Prova de que fotografia é, acima de tudo, diversão e arte. Não importa muito o equipamento que estamos utilizando.

workshop de fotografia pinhole workshop de fotografia pinhole workshop de fotografia pinhole workshop de fotografia pinhole

relacionados


Comentários