Meio Bit » Baú » Hardware » Starfish Prime

Starfish Prime

O espetáculo assustador de um teste de uma bomba de hidrogênio, em vídeo.

06/07/2010 às 17:23

Em 1962 a Guerra Fria estava no auge. A energia nuclear ainda era novidade, não havia computadores capazes de simular o comportamento de bombas atômicas e a experimentação se mostrou o caminho mais ágil para responder a várias perguntas.

Perguntas, aliás, que ninguém hoje em dia faria, como "qual o resultado de uma detonação nuclear no espaço?"

Alguns testes já haviam sido realizados antes, mas com resultados nulos. Simples e obsoletas bombas de fissão não foram suficientes para satisfazer a curiosidade científica, então resolveram tentar com algo mais casca-grossa: Uma bomba de Hidrogênio de 1,4 Megatons, no dia 9 de julho de 1962.

O lançamento foi feito de uma ilha no Pacífico, e curiosamente não foi segredo. Faz até sentido. Não é algo que seria possível esconder dos soviéticos nem de ninguém, e com certeza deixaria muita gente assustada em Moscou. Assim, para evitar surpresas todo mundo foi avisado. Inclusive através dos jornais.

Decolando de uma ilha no atol Johnston, um míssil Thor levou a bomba até a altitude de 400 km, quando a ogiva termonuclear W49 foi detonada. O resultado foi um pulso eletromagnético sentido a mais de 1400 km, em Honolulu e até na Nova Zelândia. Blackouts elétricos, garagens abrindo sozinhas, etc.

O maior efeito entretanto foi o show pirotécnico. Flashes coloridos foram vistos, iluminando o céu noturno. As várias ondas de cor são resultado dos elétrons emitidos pela explosão excitando gases atmosféricos. A cor emitida tem a ver com o gás predominante em cada altitude.

O vídeo é algo impressionante, que (in)felizmente jamais será testemunhado de novo:

O objetivo do experimento era identificar se a detonação no espaço poderia ser usada como arma e, se usada, como poderiam defender-se dela.

Para o resto do mundo, ficou o show, e a certeza de que se o mundo fosse acabar, ao menos seria um belo espetáculo.

Para saber mais, recomendo este artigo do NPR e a página da Wikipedia sobre o teste, com fotos assustadoramente lindas.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários