Meio Bit » Baú » Fotografia » TV Digital Mobile - Meh.

TV Digital Mobile - Meh.

01/07/2010 às 15:39

Um dos maiores pontos de venda de celulares para as classes B e C é a "TV Digital Grátis", vários modelos no mercado já disponibilizam a famigerada anteninha. Há vários modelos xing-ling mais baratos (ainda) com receptores analógicos, e mesmo cheios de chuviscos os usuários acham o máximo.

Eu respeitosamente chamo de lixo. A digital também.

Nas lojas há inúmeros "Receptores De TV Digital" custando menos de R$100,00. Comprar um negócio desses e instalar gera uma decepção digna de certos jogadores de futebol ao abrir o porta-luvas e não achar um escapamento.

O motivo é simples: São receptores ISDB-T (o padrão brasileiro) na especificação 1Seg. Que ao contrário do que dizem os camelôs da 25 de Março não quer dizer "um segundo", mas "um segmento".

Como funciona: A banda de 5,57MHz de um canal de TV Digital é dividida em 13 segmentos. É possível alocar segmentos para finalidades diferentes, como vários sub-canais em definição normal, menos canais em definição melhorada ou um canal em alta definição 1080i (o padrão brasileiro Não comporta 1080p). Todos esses assumem que 1 segmento é destinado a transmissão de TV para dispositivos móveis.

Problema: Quando o padrão foi criado os burocratas não entenderam o conceito de Evolução (não que tenham entendido depois disso) assim a especificação de mobile para eles é, hoje, ridícula. O vídeo codificado deve ter taxa de transferência máxima de 64kbps, o tamanho dos frames está restrito às seguintes resoluções: SQVGA(160x120 ou 160x90), QVGA(320x240 ou 320x180) e CIF (352x288). Minúsculo? Reclame com o patrão, digo, com o padrão.

Notem que nem sempre o sinal é em resolução CIF, 352x288. Já peguei transmissões até a 160x120. Tamanho de um selo, ou até menor, se você usar um monitor de resolução decente.

Imaginem então um dispositivo móvel moderno. Topo de linha. Deveria propiciar uma excelente experiência com TV Digital, certo? Errado. Os celulares evoluiram, as TVs evoluiram, hoje o padrão 1Seg é insatisfatório para qualquer um que queira assistir TV com um mínimo de qualidade. Vejam o tamanho relativo (e real) das várias resoluções mobile comparado com celulares modernos:

clica que amplia (espero)

Ou seja: Mesmo em um iPhone antigo na melhor situação possível a imagem terá que ser artificialmente ampliada (com consequente perda de definição) para utilizar toda a tela. Em um iPhone 4 ou um N900 você verá quadrados, artefatos de compressão e pixels do tamanho do botão INICIAR do XP. Com a tendência do Mercado em seguir a Apple lançando aparelhos com mais resolução, só piora.

Agora, o problema: Celulares FullSeg ainda não existem. O primeiro chip dedicado para dispositivos móveis foi anunciado em Março, não há detalhes de exigências de memória e processador mas pequenas não devem ser.

O que isso resulta? Em um mercado de smartphones top que ignora a TV Digital. A "Experiência" não compensa. O iPhone 4 e o N900 possuem mais resolução que qualquer transmissão de TV não-HD, um DVD vem em geral com resolução de 720x480,menor que o N900. Um filme baixado de um iTunes da vida, comprimido para as especificações do aparelho vai proporcionar uma experiência muito, muito melhor que qualquer coisa interpolada de um vídeo 160x120.

A estaca final no caixão da TV Digital: Quem acompanhou a abertura das Olimpíadas de Inverno via Silverlight viu o estado em que o vídeo online está. Há outras soluções também com capacidade de adaptação à banda disponível, mas em comum todas elas apresentam performance acima de 160x120. Mesmo com as operadoras de celular jogando contra, a tendência irreversível é o aumento da disponibilidade de banda, seja 3G, 4G, 5G como minhas calças ou WIFI, WIMAX, Wiever.

Portanto, ficam abertas as possibilidades: Os fabricantes podem criar smartphones com capacidade e resolução para exibir vídeos streaming, ganhando a simpatia de sites como Hulu, Netflix, operadoras que vendem pacotes de dados e similares, ou podem criar celulares com chips decodificadores de TV Digital, o que significa mais um rádio, mais consumo, uma qualidade (ao menos inicialmente) bem inferior, nenhum consumo de banda e dependência de disponibilidade local de conteúdo. Ah sim, os formatos de TV Digital são incompatíveis entre si.

O Bom-senso diz que optarão pela primeira opção, mas quem quiser a segunda, sempre há os xing-ling MP17.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários