Meio Bit » Arquivos » Segurança » Certificação digital para deputados e senadores

Certificação digital para deputados e senadores

19/12/2005 às 7:04

O diretor-geral da Câmara, Sérgio Sampaio, recebeu nesta quinta-feira (15) o seu certificado digital, o que marca o início do programa de certificação digital da Casa. Sampaio recebeu o aparelho chamado token, uma espécie de chaveiro digital, e foi cadastrado no sistema. O processo foi acompanhado pelo diretor do Centro de Informática (Cenin), Luiz Antônio da Eira.

A certificação digital é a tecnologia que permite às pessoas comprovarem sua identidade no mundo digital. Com o certificado é possível assinar documentos digitais e garantir, com segurança, o sigilo das comunicações e dos dados transmitidos por meio eletrônico.

O certificado digital pode ser armazenado no microcomputador ou em um dispositivo externo. A Câmara utilizará um chaveiro de certificados, também chamado token, como dispositivo externo que será entregue aos parlamentares e a alguns servidores da Casa.

Para Sampaio, essa iniciativa vai garantir a segurança no encaminhamento de documentos, além de agilizar os trabalhos da Casa. ''É o início de uma nova era na Câmara. A certificação digital abre portas seguras para a modernização de todos os processos administrativos e legislativos'', disse.

Luiz Antônio da Eira acrescentou que, além de assegurar a autoria de textos enviados pelo correio eletrônico, a certificação tem aplicações também na tramitação de documentos que atualmente demandam a presença física do interessado. Gradualmente, toda a Casa será contemplada com certificados digitais.

A certificação vai garantir a autenticidade dos documentos emitidos na Câmara, dar maior agilidade ao trâmite de documentos, ampliar a prestação de serviços, além de garantir o sigilo das comunicações e o combate a fraudes. O método proporciona ainda a redução do uso de papéis, uma vez que os documentos podem ser armazenados digitalmente.

Inicialmente a certificação será aplicada no uso de e-mail. A previsão é estender o recurso para outras aplicações, como trâmite e armazenamento de documentos, a partir do início do próximo ano.

[Agência Câmara]

relacionados


Comentários