Meio Bit » Arquivos » Mobile » Retina Display: e não é que era verdade?

Retina Display: e não é que era verdade?

Explicações técnicas sobre o Retina Display. O nome, acredite se quiser, faz sentido, não é exagero de Jobs.

29/06/2010 às 16:35

Antes de se candidatar ao comentário mais lorpa do dia ao ver esta imagem, leia aqui.

A essa altura todos já devem ter ouvido falar: "Retina Display". Se sim, então provavelmente ouviram falar mais ainda das críticas questionando a declaração da Apple a respeito do novo display que integra o iPhone 4G. No meio de tanta cascata e os mais absurdos 'opinionistas' sobre isso ou aquilo, uma voz bota um fim técnico com a peleja.

"Quando Steve Jobs invocou o termo pela primeira vez na WWDC, minhas sobrancelhas se levantaram. Sendo um cientista da retina eu próprio, fui imediatamente cético para aquilo que ele se referia como 'retina display'."

Brian Jones é neurocientista retinal e fotógrafo e bloga de Utah, nos Estados Unidos (aliás, blog bacana o dele).

"Minha cabeça acelerou e eu imaginava se aquilo não poderia ser algum tipo interessante de nova tecnologia. Eu tinha que ver isso em minha última visita aos laboratórios de tecnologia e desenvolvimento da Apple. Eu não comentarei nada a respeito desta visita mas este Retina Display, com uma resolução super alta, era de facto uma tecnologia que eu ainda não conhecia. Essencialmente, é um LED LCD com 326 pixels por polegada (960x640), onde cada pixel mede algo próximo de 78μm."

A declaração da marca defenderia que a tela do novo iPhone contém uma quantidade de pixels que vai de encontro à capacidade da resolução humana da retina. De acordo com Jones:

"É considerado padrão que um olho 'normal' humano detenha uma acuidade visual de 20/20. Isso quer dizer que um olho sadio pode discriminar duas linhas, ou dois pixels, separados por até 1 arcminuto/ciclo (1/60 graus). Portanto, se o olho humano pode fazer essa distinção a uma distância de 1 pé (12 polegadas, ou 30.48cm), nós podemos ser capazes de distinguir dois pontos separados por no mínimo 89 micrômetros, o que resulta em aproximadamente 287 pixels por polegada. Uma vez que o display de um iPhone 4G é confortavelmente maior em taxa do que a medida de 326 pixels por polegada, acho que a Apple pode sustentar seu discurso e dizer que está à altura da percepção do olho humano."

Tem muita, mas nem tudo é cascata... ora veja você.

Leia todo o artigo do Dr. Brian Jones aqui.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários