Meio Bit » Baú » Internet » Opera 10.60 Beta 1: lado vermelho da força de volta na briga?

Opera 10.60 Beta 1: lado vermelho da força de volta na briga?

Nova versão do Opera, com muitas novidades para mudar de vez a fama de só mais um na "batalha dos browsers".

18/06/2010 às 13:25

A fera do Internet Explorer já não é tão agressiva, o que permitiu “microdisputas" entre os outros. O Firefox atingiu seu pico de popularidade e agora cai levemente; a bola da vez é o Chrome, em clara ascensão. No entanto sempre houve o Opera nivelando por baixo, no retrovisor de ambos, esperando que alguém visse como ele é legal e tal. Ficava.

O negócio agora é mais ofensivo, com ele deixando de lado a sua máxima de “o melhor navegador que ninguém usa” pra buscar ser o melhor naquelas características que os outros sempre prezam (finalmente, porque falar que tem inventou a roda aba não vende faz tempo): leveza, velocidade, compatibilidade e um visual discreto.

Opera 10.60 Beta 1.

Opera 10.60 Beta 1.

Dois parágrafos já se foram para introduzir a história desse norueguês que já está bem rodada aqui no Meio Bit, então é hora de “fazer meu ponto” e irmos logo ao que há de novo em sua versão 10.60 Beta 1.

  • Geolocalização: Aquela que já existe há tempos nos anúncios realmente confiáveis de “Estou em São Paulo, venha falar comigo!” e naqueles avatares segurando plaquinhas que saturam assinaturas em fóruns, melhorada e com acesso a outros dispositivos ligados ao computador, como o Wi-Fi e GPS, e que segue o padrão W3C e tal. A ideia é que os widgets que usam o Opera como base, bem como o próprio Opera, possam mostrar conteúdo e pesquisas focados a sua região.
  • Suporte ao WebM: Entre dezenas de codecs possíveis que cada browser decidiu escolher para tocar seus vídeos em HTML5 o padrão WebM surgiu, foi bem aceito pelos grandes, e deu uma calmaria rápida a nem bem começada disputa. O Opera também já esta nessa.
  • Web Workers e Appcache: Continuando o mergulho de cabeça no HTML5, o Opera agora também dá suporte ao Appcache, que permite que páginas criem um armazenamento temporário separado do cache normal do navegador (no estilo Gears) e ao Web Workers, que deixa aplicativos web usarem processamento paralelo ao da página (multithreading), aliviando o gasto de processamento que algumas páginas têm ao carregarem de forma linear.
  • Opção de escolha: Depois de fazer tudo o que é Windows perguntar em que barco você vai, é hora do Opera deixar com você a escolha do mar em que o usará. Não que isso já não existisse, mas é BEM chato ter que usar uma versão de testes antiga no seu Linux ou Mac OS sabendo que tem alguém com o outro sistema com um navegador mais atualizado. A desenvolvedora (aparentemente) está ficando mais amigável como um todo, então deixar um paralelo com a sua caricatura de última opção antes dos Outros enrustida nas suas versões alternativas não faz mais sentido e agora todas as versões são simultaneamente atualizadas.

É possível baixar o Opera 10.60 Beta 1 aqui. Lembre-se que é uma versão de testes e todo aquele aviso prévio sobre instabilidades tá valendo (dica de quem testou e já achou um bugs bem suculentos). Adianto também que ele está muito mais usável e rápido, consegui “bater o recorde” de duas semanas usando-o como principal e só parei por já ter um certo costume com a velocidade de abertura do Chrome. Nos vemos de novo na versão final, a “melhor de todas” enfim, quem sabe.

Fonte: TechCrunch.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários