Meio Bit » Baú » Hardware » Intel, Games e Compiladores

Intel, Games e Compiladores

10/12/2005 às 7:58

Foi com a pergunta Why Intel Sucks at PC Games? (Porque a Intel é uma droga nos jogos de PC?) que a ExtremeTech inicia seu artigo. A pergunta foi originalmente levantada por um leitor do ExtremeTech que fez a engenharia reversa do jogo Battlefield 2 e fizeram alguns achados.

O fato é curioso porque os processadores da rival AMD sempre se dão melhor numa comparação direta. Vários websites especializados mostram diferenças de em torno de 15% podendo chegar a 20%. Teoricamente, o poder de processamento bruto dos Pentium IV deveria diminuir essa diferença, mas isso não acontece.

Então, o que poderia ser? A resposta parece estar nos compiladores e suas chaves de otimização. A definição básica de compilador é um programa que pega o código-fonte, escrito em uma linguagem fácil de entender para humanos e "traduz" para uma outra linguagem que os computadores consigam entender. Sem entrar em detalhes técnicos, existem instruções especiais dentro das Unidades de Processamento Central (CPUs) que podem executar tarefas mais rápido com um único comando. Descompactação de vídeo e som em tempo real é um dos benefícios que temos por causa dessas instruções; porém, elas dependem de configurações do compilador.

Pois bem, aparentemente, os jogos ao serem compilados, usam otimização para tamanho de arquivo e não para velocidade. Isso gera um código otimizado para a unidade de pontos flutuantes (o antigo co-processador matemático) ou FPU, de Floating Point Unit. A linha Athlon chuta o traseiro dos processadores Intel nesse departamento e como ela é responsável pelos cálculos mais cabeludos de processamento, as instruções SSE acabam não servindo muito.

Eles chegam a conclusão que pode ser uma mistura de preguiça, falta de atenção, prazos curtos, entre outros fatores. Eu escolho prazos curtos. Quando se trabalha 12 horas por dia num projeto, a última coisa na cabeça de um desenvolvedor é se o software vai ser compilado com a opção A ou opção B. A preocupação fica em fazê-lo funcionar de forma robusta e segura... e dentro do prazo!

Portanto, ao comprar um computador novo, leve em conta o seu uso. No caso de jogos, é melhor levar um AMD para casa. Antes que eu me esqueça, o Battlefield 2 foi compilado com o Visual Studio, da Microsoft, um dos melhores produtos da área e referência quando se fala em ferramentas de programação e desenvolvimento

relacionados


Comentários