Meio Bit » Baú » Internet » Google Wave, o retorno

Google Wave, o retorno

Google acrescenta novidades tanto para usuário final, quanto para desenvolvedores, ao Google Wave. Agora vai!?

20/05/2010 às 9:43

O Google Wave é um case muito interessante. Enquanto em desenvolvimento, prometia ser um divisor de águas. O Google botou lenha na fogueira no hype, mas quando liberou 100 mil convites para beta testers, a verdade veio à tona: o "e-mail, caso fosse criado hoje" não era lá tão revolucionário afinal, quiçá útil. Caiu no ostracismo, e de última Coca-Cola do deserto, passou a ser fonte generosa de piadas maldosas.

Ontem, no Google I/O, o Wave voltou a ser destaque. O Google, que deve ter investido uma bolada no produto, não está afim de declarar sua precoce "morte", e para levantar o moral do serviço, abriu ele para todo mundo, independente de convite, e implementou uma série de novidades para desenvolvedores. Até vídeo para responder à pergunta de um milhão de dólares ("pra que serve o Wave?") foi feito:

Para o usuário final, o Google Wave, além de ser aberto a qualquer um que possua uma Google Account, agora traz templates pré-definidos, e está bem mais rápido que nas primeiras versões, onde a lentidão chegava a irritar. Essa nova abordagem é interessante, e ontem mesmo, durante a cobertura do Google I/O, o Lifehacker, da talvez maior evangelizadora do Wave, Gina Trapani, usou a ferramenta para a cobertura ao vivo do evento (aproveitando outra novidade, waves públicas read-only):

Live Wave na cobertura do Google I/O.

Live Wave na cobertura do Google I/O.

Sinceramente? Ficou BEM legal. Se o Wave não vingar no trabalho colaborativo, pode pelo menos fazer frente ao CoverItLive 🙂

Aos desenvolvedores, as novidades são as seguinte:

  • Rodar robôs a partir de qualquer servidor (antes estava restrito ao App Engine);
  • Usar robôs para manipular e reter anexos;
  • Implantação do botão "Wave This", que permite criar novas waves a partir de qualquer site;
  • Novas APIs para a produção de widgets, extensões e aplicativos leves (exemplo).

Não dá para dizer que tudo isso será suficiente para levantar o Google Wave, mas pelo menos serviu para colocar o serviço em destaque novamente. Eu pretendo dar uma nova chance, e você?

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários