Meio Bit » Baú » Indústria » Mercado Pago entra de vez na disputa

Mercado Pago entra de vez na disputa

MercadoPago, plataforma de pagamento online do Mercado Livre e até então restrito ao site, foi liberado hoje para o público em geral. Confira as funcionalidades e uma tabela comparativa das taxas com as dos principais players do mercado brasileiro.

28/04/2010 às 22:56

Quando o eBay se associou ao MercadoLivre, provavelmente o maior fruto da parceria tenha sido a criação do MercadoPago, seu sistema de pagamento online direto e seguro.

Um ensaio para a entrada do PayPal (do mesmo grupo do eBay) no Brasil? Talvez, mas até então o ensaio não havia rompido os limites do site. O Mercado Pago só podia ser usado dentro do MercadoLivre. Até hoje, pois nessa quarta-feira foi anunciada a abertura do serviço para qualquer site, entrando de vez na disputa com outros serviços locais mais conhecidos - incluindo o ex-parceiro.

As formas de pagamento disponíveis atualmente na plataforma incluem boleto bancário, cartão de crédito (Visa, Master, Hiper, Amex, Aura e Diners) e transferência online (Itaú, BB e Bradesco). Os usuários do sistema também podem utilizar o saldo disponível no sistema, assim como os outros players.

Acredito que, em termos de funcionalidades básicas, os serviços disponíveis estão praticamente empatados. A briga promete ser boa em 3 quadrantes: funcionalidades avançadas, valor das taxas e prazos de retirada.

  • Valor das taxas: Dependendo da forma de pagamento escolhida e do plano do usuário, paga-se uma taxa pelo recebimento de valores (em alguns casos pelo pagamento também). Dentro dessas taxas está a manutenção do serviço, o repasse de taxas de bancos e bandeiras, além, obviamente, do lucro.
  • Prazos para retirada de valores: Para evitar fraudes e atender alguns prazos de compensação, quase sempre é necessário aguardar um tempo para solicitar o "saque" dos valores recebidos. Geralmente esse prazo é maior para pagamentos recebidos com cartão de crédito e menor para transferências online.
  • Funcionalidades avançadas: Disponibilidade de módulos para diversas plataformas de e-commerce, API de integração, pagamentos recorrentes, venda de produtos digitais (por download) e muitas outras funcionalidades são muito úteis e podem fazer a diferença na escolha de um ou outro serviço para alguns, e pode não fazer diferença para a grande maioria que utiliza apenas as funcionalidades básicas do pagamento, no entanto pode ser ferramenta de decisão.

Abaixo fiz uma tabela comparativa das taxas praticadas pelos 3 principais players desse mercado no Brasil e o recém-liberado MercadoPago.

MercadoPago PagSeguro PagamentoDigital PayPal
Fazer pagamentos e transferências Grátis Grátis / R$ 1,00 ** Grátis Grátis
Fazer pagamentos parcelando no cartão de crédito 9,99% a 31,99% Grátis Grátis Grátis
Receber pagamentos via transferência ou boleto 4,99% 1,9% a 2,9% + R$ 0,40 * 1,89% a 2,89% * 2,4% a 3,4% + R$ 0,40 *
Receber pagamentos via cartão de crédito 4,99% 5,4% a 6,4% + R$ 0,40 5,39% a 6,39% 2,4% a 3,4% + R$ 0,40
Transferir saldo para conta bancária R$ 3,00 Grátis Grátis / R$ 5,00 *** Grátis / R$ 3,00 ****
* Não foram consideradas as contas pessoais, apenas as do tipo "vendedor" ou "empresarial". Tanto no PagSeguro quanto no PagamentoDigital, contas pessoais não pagam taxa nessa opção. PayPal só é gratuito quando se usa o saldo da conta.
** Em pagamentos com boleto bancário, é adicionado o valor de R$ 1,00
*** Gratuito para os bancos Banco Real ABN Amro, Bradesco, Itaú, Unibanco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Para os demais bancos, R$ 5,00.
**** Gratuito para valores superiores a R$ 250,00. Abaixo disso, taxa de R$ 3,00.

A julgar por essa comparação, o fato de já existirem players fortes no mercado e ainda com a ameaça velada da entrada do PayPal "direito" no Brasil (com os dois pés no peito, imagino), eu esperava mais do MercadoPago. Pensei que eles repetiriam a estratégia do seu site de leilões, que ficou gratuito por muito tempo após o lançamento, e praticariam taxas respeitosamente canibais no primeiro período, para atrair mais usuários. Nem mesmo a taxa de saque eles conseguiram manter gratuita.

Apesar disso, eu vejo essa abertura como algo positivo, tanto ao mercado quanto aos usuários. Concorrência é sempre bom. E, se o MercadoPago já representou 15% das vendas do MercadoLivre ano passado, cerca de US$ 383 milhões, vamos ver agora, aberto para outros sites utilizarem.

É acompanhar e ver no que vai dar.

DISCLAIMER: atualmente trabalho no UOL, fazendo relacionamento com a comunidade de desenvolvedores para os produtos UOL HOST, PagSeguro e CobreDireto. O texto acima representa minha opinião pessoal, não estando de forma alguma ligado às marcas citadas.

relacionados


Comentários