Meio Bit » Baú » Internet » Facebook Connect descontinuado, novas ferramentas lançadas

Facebook Connect descontinuado, novas ferramentas lançadas

Facebook descontinua Connect, e anuncia novas ferramentas que prometem dominar a Web.

22/04/2010 às 14:35

Ontem aconteceu a F8, conferência do Facebook para desenvolvedores. Muitas novidades interessantes e, sob certa ótica, preocupantes, surgiram, e dentre elas, destaco a aposentadoria do Facebook Connect, e a tecnologia que o substituirá.

O Facebook Connect é, ou era, um "login universal" bastante popular, provavelmente o mais deles. Se um site oferece Facebook Connect (aliás, como o Meio Bit faz), basta "linkar" as contas, e o usuário passa a logar no site terceiro através da sua conta no Facebook, com a possibilidade de compartilhar informações pessoais como nome, avatar e outras coisas do tipo.

Pois bem, era assim. O Facebook Connect foi... descontinuado (não sei bem se essa é a palavra correta), e dará lugar a um conjunto de novas APIs chamado Facebook for Web Sites, encabeçado pelo Open Graph, um conceito, à primeira vista, especialmente benéfico a empresas e parceiros, baseado no OAuth 2.0.

Mark Zuckerberg.

Mark Zuckerberg (foto de jolieodell).

Com o Open Graph, empresas podem fazer uso mais profundo dos dados dos usuários no Facebook. A princípio, cerca de 30 parceiros do Facebook têm acesso à nova ferramenta, como Yelp e Microsoft.

Exemplo prático: digamos que um usuário do Facebook cadastre-se no Yelp. O site poderá recomendar restaurantes e bandas baseado nos dados públicos do perfil do usuário, como amigos, páginas das quais ele é fã, músicas que ouviu no Pandora (outro parceiro inicial), e por aí vai. Escancarar o perfil, agora, traz implicações comerciais. O El Dorado da publicidade online, ou seja, direcionar ao usuário exatamente e apenas coisas de sua preferência, torna-se possível com o Open Graph. E diferentemente do Facebook Connect, as informações podem ser guardadas pelos parceiros por mais de 24 horas.

Na outra ponta, temos os Social Plugins, que fazem o contrário: trazem para sites comuns informações geradas dentro do Facebook. O exemplo mais simples aqui é o botão "Like", que agora pode ser implementado em qualquer site, e "conversa" diretamente com contas do Facebook, mostrando quantos "gostei" a página em questão tem, quais dos seus amigos gostaram daquilo, e por aí vai.

Bret Taylor.

Bret Taylor (foto de jolieodell).

Nesse contexto, a questão da privacidade ganha ainda mais relevância. Resumindo tudo: somente dados públicos são compartilhados com parceiros. A dica para quem quer manter suas preferências longe de grandes corporações é manter tudo privado. Claro que o Facebook incentiva o contrário, mas...

Um guia na documentação do Facebook mostra, com mais detalhes, essas e outras novidades apresentadas ontem.

E o mais engraçado é que, até pouco mais de um ano atrás, o mote do Facebook era justamente o nível de privacidade que os usuários mantinham em seus perfis. Quem te viu, quem te vê.

Fonte: Mashable (2).

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários