Meio Bit » Baú » Indústria » Amiga: De Volta Para o Futuro… de novo?

Amiga: De Volta Para o Futuro… de novo?

Tomara que não seja mais um "vapourware"...

20/04/2010 às 3:36

Se é verdade que o desconhecimento da História nos condena a repetí-la, também parece ser verdade, especialmente na área de Informática, que ela é cíclica. De tempos em tempos vemos a “reinvenção” do mouse, da Internet, do celular… vejam, não estou dizendo que não haja novos lançamentos, novas idéias. Apenas que muitas coisas se reciclam.

commodore_amiga_1000

Um ótimo exemplo é o computador Amiga. Talvez os mais jovens, como a Fabiane, não tenham tido nenhum contato com a segunda linha mais fantástica de micros que já rodou sobre a Terra (obviamente, os MSX são, digo, foram a primeira), mas há muito material para pesquisa disponível na Internet, não vou me extender. E, acreditem, vale a leitura.

Entre as várias peculiaridades daqueles micros, talvez a que mais se destaque seja a devoção que a ativa comunidade mantém firme. Se vocês acham os “Seguidores do Pomar” fanáticos, é porque nunca cruzaram com um “Viúvo de Jay Miner”. Entre os “dogmas” mais sagrados, está o de nunca, nunca, nunca, jamais usar um processador x86 em uma nova placa Amiga (os primeiros usavam processadores Motorola 68000 e depois vieram seus sucessores 68010, 68020, 68030, 68040, 68060 e, quando estes se tornaram obsoletos, PowerPCs foram utilizados).

O que está atraindo a atenção da comunidade em geral (especialmente a parcela mais antiga) é o anúncio da A-EON Technology de que um novo Amiga, chamado AmigaOne X1000 (em referência ao Commodore Amiga 1000 original) estará disponível no próximo mês de junho. Ainda cercado de um certo mistério, as especificações divulgadas não são de todo ruins, especialmente se considerarmos que as placas mais rápidas, hoje, rodam a pouco mais de 800MHz:

  • Dual-core 1.8GHz PowerISA™ v2.04+ CPU
  • "Xena" 500MHz XMOS XS1-L1 128 SDS
  • ATI Radeon R700 graphics card
  • 2GB RAM
  • 500GB Hard drive
  • 22x DVD combo drive
  • customised case, keyboard and mouse
  • 7.1 channel HD audio
  • 4x DDR2 RAM slots
  • 10x USB 2.0
  • 1x Gigabit Ethernet
  • 2x PCIe x16 slots (1x16 or 2x8)
  • 2x PCIe x1 slots
  • 1x Xorro slot
  • 2x PCI legacy slots
  • 2x RS232
  • 4x SATA 2 connectors
  • 1x IDE connector
  • JTAG connector
  • 1x Compact Flash

Reparem no tal processador “Xena”. Pausa para um pouco de História. Final dos anos 1980. A InMOS, conhecida fabricante de memórias, havia lançado um microprocessador (na verdade, era mais parecido com um microcontrolador) chamado Transputer. A idéia era ter pequenos processadores que se ligassem através de canais seriais rápidos, trocando mensagens e código, orientados a threads. Para aumentar o poder de processamento, bastava incluir novos Transputers na “linha”.

A idéia parecia (e era) genial. Revolucionária, até. Isso chamou a atenção de Timothy King, que criou uma placa de expansão para os Amiga baseada em Transputers. Processamento paralelo ad infinitum no melhor computador já criado? Quem viraria as costas a essa idéia? Ponto para quem gritou “a Commodore!”. Ou seja: a própria fabricante não quis saber de investir em algo assim, preferindo espremer mais e mais a arquitetura, desconsiderando o crescimento dos clones do IBM PC e confiando nos processadores Motorola. A tecnologia foi parar nas mãos da Atari, que fez uma workstation poderosa (talvez a mais rápida da época), mas que seguiu a sina da empresa: vendas pífias.

Fim da pausa. Dias atuais. O tal processador “Xena” é vendido (e foi projetado) pela XMOS, que tem em seu quadro de sócios David May, ex-projetista da InMOS. O chip é um microprocessador (na verdade, é mais parecido com um microcontrolador) otimizado para computação paralela, com canais seriais rápidos… já vimos isso antes? Justamente: uma “reencarnação” do Transputer!

Haverá lugar para o X1000, além das bancadas dos veteranos e entusiastas? Com os PCs dominando o mercado e os Macs por aí, duvido muito. Mas que vou reservar o meu, isso vou. E não confundam com o “Amigo”, por favor.

Ah sim! E para os mais intrépidos, uma placa de desenvolvimento com uma versão menor do “Xena” custa apenas US$ 50,00

[via Amigaworld]

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários