Meio Bit » Arquivos » Indústria » Google Apps Marketplace

Google Apps Marketplace

10/03/2010 às 19:59

Foi lançado ontem o Google Apps Marketplace, mais uma loja virtual de aplicativos. Antes de criticar mais uma lojinha do tipo, note que, nesse caso, os apps não são para um smartphone ou sistema operacional móvel; os apps, dessa vez, são para o Google Apps, a suíte de soluções corporativas do Google.

337593480-apps-mp-1281 Sabendo disso, chega-se a outra conclusão: a Google Apps Marketplace não é para mim, você ou qualquer outro usuário comum/doméstico. O foco são empresas, ou, no jargão corporativo, é um negócio B2B (Business to Business). Empresas que já utilizam os serviços do Google internamente, mais de 2 milhões delas, terão agora uma ampla gama de opções para solucionar problemas e estender suas atividades dentro do ecossistema com que já trabalham.

O Google, por sua vez, oferece fartas APIs e documentação, permitindo aos desenvolvedores a criação de aplicativos que se integram perfeitamente aos serviços que a empresa já oferece a seus clientes. De inclusões em Gmail e Talk, desenvolvedores poderão, inclusive, colocar seus apps na barra de navegação do topo das páginas do Google Apps. Aos seus clientes, o Google promete muita facilidade na navegação e implementação de apps adquiridos através da loja.

Para os desenvolvedores, muitas regalias. Para habilitar-se à criação e comercialização de apps na Google Apps Marketplace, o desenvolvedor precisa pagar uma taxa única de US$ 100,00. Nos termos propostos, ele receberá 80% do valor das vendas conseguidas através do sistema. Parece muito? Nos modelos tradicionais (Android Market, App Store), existe anuidade de US$ 100,00, e a divisão de lucros é 30/70.

Google Apps Marketplace - Google Chrome

A segurança será garantida através do protocolo OAuth, bastante conhecido por sua implementação no Twitter. O Google promete melhorias para breve, como integração do seu serviço de pagamento, o Checkout, às operações dos aplicativos. Outro incentivo a desenvolvedores é a não necessidade de se utilizar a plataforma do Google (App Engine). Graças a isso, Salesforce e Zoho, ao lado de outras quase 50 empresas, conseguiram apresentar-se como parceiras, com apps funcionais, no dia do anúncio da loja.

O modelo da Google Apps Marketplace é diferente, totalmente fechado em cloud computing, e um belo chamariz a empresas que querem cortar custos e/ou mover suas atividades para a Web, bem como a desenvolvedores que desejam criar soluções B2B, mas carecem de suporte. No final, todos ganham, basta haver interesse. O Google cumpre a parte dele, oferecendo vantagens, reduzindo custos e dando liberdade, e leva em troca mais qualidade para seus aplicativos voltados a empresas.

Fontes: TechCrunch, Download Squad.

relacionados


Comentários