Meio Bit » Baú » Indústria » Microsoft reinventando o Windows Mobile, o Linux dos Smartphones

Microsoft reinventando o Windows Mobile, o Linux dos Smartphones

09/02/2010 às 13:51

Imagine um sistema operacional tecnicamente excelente, com mais recursos do que você imagina, integração com redes corporativas, sólido, sem fragmentação de versões (dentro do razoável) e que te dá uma experiência de uso familiar ao que você está acostumado no PC normal. Agora coloque uma interface velha, datada e que consegue esconder toda essa capacidade técnica.

Lembra o Linux de uns anos atrás, não? Só que é o Windows Mobile.

window_concept_phone_1 Quando a Palm reinava absoluta no mundo dos PDAs a Microsoft tentou abrir espaço com o Pocket PC, mas até versão 2.x as tentativas eram horrendas. Usar um PDA PPC era quase como usar um PC, e em uma telinha minúscula, não funciona. Com o tempo a Microsoft reescreveu o Windows Mobile do zero, a Palm foi ficando para trás e surgiram vários aparelhos realmente bons, como o meu querido Dell Axim X51v. Mas a Interface continuava um problema.

Nos smartphones piorou. Tanto que para “disfarçar” a interface datada a HTC chegou a criar launchers, como o do HTC Touch, que é muito bonito mas só serve pra trazer à tona o feioso Windows Mobile.

Com o advento do iPhone o mundo mudou. Interfaces leves se mostraram possíveis e a metáfora do computador na sua mão foi abandonada. As pessoas querem telefones inteligentes, não computadores portáteis. Hoje todo mundo segue por essa mesma linha, seja Android, seja Maemo, seja Apple, seja o legendário Symbian 4.

E a Microsoft?

O Windows Mobile tinha tudo que os nerds mais inveterados dizem que gostam, mas nerds inveterados são minoria. A cornucópia de funcionalidades só serviu para afundar o sistema operacional em ciclos sem fim de complexidade desnecessária. A facilidade de instalação de programas é legal mas de que adianta se os programas estão espalhados por toda a interweb?

Eu acredito que o Zune e o Zune HD foram um laboratório de interface, onde a Microsoft experimentou para descobrir se teria expertise para criar um ambiente sem o modelo tradicional de menus, pastas, arquivos .ini. Se seria possível esconder a complexidade do usuário, como a Apple faz de maneira soberba com o iPhone.

Os boatos que estão surgindo sobre o Windows Phone 7, a nova encarnação do Windows Mobile apontam nessa direção. Vejam o que dizem as más línguas:

  • A interface será bem similar ao Zune HD, “muito limpa”, “viva”, “com alma”
  • Sem suporte a Flash pelo menos inicialmente
  • Instalação de Aplicativos somente via loja online. Não mais via cartão de memória
  • Sem multitarefa, com notificações push
  • Sem compatibilidade retroativa com aplicações .NET CF
  • Integração total com o Zune
  • Sync via Zune Software
  • Adeus as interfaces de 3os e launchers como SPB Mobile Shell, etc
  • Integração total com XBox
  • Suporte total a redes sociais

Você é usuário de longa data do Windows Mobile? OK, sei como você deve estar se sentindo:

facada1

Pois é. Infelizmente você é exceção. Esse modelo é o que o público quer, é o que estão comprando. O Mercado falou mais alto. Caso encerrado. É como o Aquecimento Global. Quer prova maior que ele existe do que o filme do Al Gore ter dado lucro?

A Microsoft aparentemente não vai mostrar aparelho próprio (convenhamos o Nexus foi uma facada nas costas dos parceiros do Google) mas sim hardwares de referência, e se seguirem o modelo Tegra do Zune HD, teremos facinho o hardware mais poderoso entre todos os modelos atuais. Só que isso (de novo) só interessa a nerds. 90% dos usuários de iPhone sequer saber a resolução de tela dele.

O preço já está se fazendo sentir. Mesmo as informações acima sendo apenas boatos, a comunidade Windows Mobile está pegando fogo, não dá nem para chamar de mimimi. A indignação é legítima. Só se compara à reação dos fãs da Palm quando esta anunciou seu primeiro aparelho rodando… Windows Mobile.

Abrir mão da base instalada é algo que a Microsoft nunca teve coragem de fazer no desktop, e não parece uma atitude racional, mas quantas aplicações o iPhone tinha em seu lançamento? Vejamos o que a Microsoft pode oferecer na estrutura de Serviços, em um Windows Phone Conectado:

  • Office – MS Office Web Apps e nativo
  • Busca - Bing, que é hoje o melhor buscador mobile do iPhone
  • Mapas – Já experimento o Bing Maps?
  • Games – Integração com XBox. Precisa mais?
  • Música e Vídeo – O Zune HD é lindo, FATO. O Marketplace, muito elogiado. Se WP7 for aquilo, eu quero.

Estão percebendo a estratégia? Eles tem a estrutura de serviços em volta, sob controle da empresa. Os dois concorrentes não possuem os serviços todos. O Google não tem nada na área de games e mídia, já a Apple é carente na área de Office, Mapas, Busca, etc. Na verdade ela só controla a parte do iTunes.

Mantido o cenário a política de licenciamento do WP7 (Os tards do WordPress de certo irão chiar pelo roubo da sigla) provavelmente será mais permissiva. Prevejo custos mais baixos e menos (porém mais firmes) exigências aos fabricantes.

Vai dar certo?

O modelo iPhone/AppStore é o que funciona. Está demonstrado pelo mercado INTEIRO. Todo mundo está seguindo a mesma cartilha. O hardware é commodity. Especificação técnica só interessa para nerds. O usuário quer saber se o aparelho é rápido ou lento. Se faz o que ele quer que o aparelho faça.

O modelo Software + Serviços, bem… taí o Google para mostrar que funciona. O Android deu um passo adiante do iPhone, um aparelho Android sem conectividade é virtualmente aleijado. Foi uma aposta grande, que rendeu bons resultados. O público comprou a idéia (nos dois sentidos).

ballmerasdrevil Controlar os serviços é essencial. Vide a briga da Apple com o Google, que rendeu até boatos substanciados de que o iPhone passaria a usar o Bing como buscador padrão. O que aconteceria se amanhã a Apple fosse proibida de usar as APIs do Google em seus serviços? Serviços são estratégicos.

Se a Microsoft conseguir entregar o que (nem) está prometendo, teremos a volta de um mega-player e a briga se tornará mais interessante ainda. Se não conseguir, o destino do Windows Phone já está selado: Vai para a gaveta, como meu HTC Touch.

Fonte: PPCGeeks

relacionados


Comentários