Meio Bit » Baú » Games » Análise: Valkyrie Profile - Covenant of the Plume

Análise: Valkyrie Profile - Covenant of the Plume

04/01/2010 às 19:47

A série Valkyrie Profile teve inicio no PS1. Em seguida, recebeu uma continuação para PS2 intitulada Valkyrie Profile 2 : Silmeria. Recebeu também uma adaptação do primeiro episodio para PSP. Porém, essa versão para DS se diferencia das outras.

Valkyrias são virgens que levam a alma dos guerreiros para Valhalla. Para muitos, isso é uma honra, uma vez que apenas os guerreiros mais fortes são escolhidos. Porém, para mulheres e filhos, elas são amaldiçoadas por deixarem viúvas e órfãos.

Quando Wylfred era criança, seu pai partiu para uma guerra. Após muito tempo, um mensageiro traz a notícia de que o mesmo acabara morrendo em combate. A única lembrança que resta para Wylfred é uma pluma deixada pela Valkyria sobre o corpo de seu pai, o que quer dizer que ele foi escolhido.

Agora, Wylfred parte em uma jornada em busca da Valkyria. Seu objetivo é fazê-la sofrer por toda a dor que ela lhe causou. Durante a jornada, Wylfred conhece mais aliados que lhe ajudarão em seu caminho. Valkyrie Profile: Covenant of the Plume é diferente de seus anteriores, não apenas pelo fato de você não controlar a Valkyria, e sim um humano em busca de derrotá-la. Mas o mesmo se tornou um RPG tático ao invés de um RPG com elementos de plataforma 2D.

Quem já jogou os jogos anteriores da série já sabe como são as batalhas. Ao entrar em combate, os personagens são representados pelos botões A, B, X e Y. Cada personagem corresponde a um botão. Você pode fazer com que todos ataquem ao mesmo tempo, ou um de cada vez. Quando o inimigo é atingido várias vezes seguidas, a barra de Heat Gauge atinge 100%, e você ativa o Soul Crush, um ataque especial devastador.

Cada personagem tem direito a um movimento por turno. “Ao se aproximar de um inimigo, e avistar o símbolo “!” sobre sua cabeça, é sinal que você entrou na área de alcance dele. Se o inimigo estiver piscando, é sinal que você pode atacá-lo. Mas o melhor vem agora: Se o adversário estiver na área de ataque de dois aliados ao mesmo tempo, ambos podem atacá-lo, mesmo que um deles já tenha passado a vez. Porém, isso também vale para os inimigos. Você também pode cercar o inimigo para ganhar mais poder de ataque sobre ele.

Mas, o que fazer quando a batalha estiver muito difícil? Bem, você pode invocar a pluma da Valkyria sobre um aliado. Assim, o mesmo recebe um poder que o torna indestrutível, e extremamente poderoso. Você deve estar pensando que assim o jogo será bem mais fácil, mas não é bem assim... Usando a pluma, seu aliado é capaz de derrotar qualquer inimigo, porém isso custa sua vida no fim da batalha. Em outras palavras, após a batalha seu aliado morre. Por isso, pense duas vezes antes de invocar a pluma.

Como Wylfred deseja se vingar da Valkyria, precisa cometer pecados (SIN) durante as lutas. Como fazer isso? Quando seu adversário morre, você pode continuar atacando-o, dependendo dos ataques que lhe restam. Nisso, a barra de vida do adversário é substituída pela barra de pecado. Quanto mais você atacá-lo após sua morte, mais pecado comete. Em cada fase é dada uma meta que você deve cometer. Caso invoque a pluma da Valkyria, essa meta é atingida automaticamente.

O que me decepcionou no jogo, foi que você só tem liberdade para controlar seu personagem durante as batalhas. Ao entrar numa cidade, você só pode ir na loja, visitar a taverna, onde pode ler histórias e ativar side-quests, e prosseguir sua missão. Tudo isso a partir de menus. Nada de liberdade. Os itens do jogo são adquiridos nas lojas, ou completando a meta de pecados nas lutas.

Resumindo, Valkyrie Profile: Covenant of the Plume é excelente para quem possui Nintendo DS e gosta de RPGs táticos. No vídeo abaixo, você confere a abertura do jogo, que mostra a Valkyria levando a alma do guerreiro, e também o crítico encontro dela com Wylfred.

relacionados


Comentários