Meio Bit » Baú » Internet » Publicidade boa: TweetDeck promovendo Sherlock Holmes

Publicidade boa: TweetDeck promovendo Sherlock Holmes

22/12/2009 às 16:27

Faturar é preciso, mesmo das formas mais inusitadas possíveis, desde que dentro da Lei. O TweetDeck, popular cliente do Twitter feito em Adobe AIR, inovou esta semana ao transformar-se completamente como parte da campanha publicitária de um filme.

Explicando: lançaram uma versão especial do programa, batizada de TweetDeck Telegram Co., baseada no filme Sherlock Holmes, super produção dirigida por Guy Ritchie e estrelada por Robert Downey Jr. e Jude Law, e também no game online 221B, uma espécie de tentativa de viral da película. O visual do programa inteiro foi “envelhecido”, as cores e ícones foram mudados, e há uma coluna extra de pesquisa pela hashtag #221b.

tweetdeck-sherlock-holmes-20091222

No blog do programa, Iain Dodsworth, criador e CEO do TweetDeck, diz que paralelamente ao desenvolvimento do programa em si, sua empresa trabalha em parcerias com bandas, gravadoras, estúdios de cinema e conglomerados de mídia selecionados, a fim de desenvolver versões especiais do TweetDeck. A ideia, segundo ele, é não só oferecer o “look and feel” do produto anunciado, mas ajudar a criar um canal direto entre a produção e os fãs.

Particularmente, achei a ideia sensacional. Publicidade é algo muito delicado para com clientes; basta um banner mal posicionado ou um pouco maior, e a chuva de reclamações cai. Atrelar fontes de renda com algo que os usuários querem é a fórmula mágica atrás da qual muitas empresas correm atrás.

O TweetDeck acertou nessa jogada, mas errou feio na execução. Para usar a versão especial, é preciso baixar um novo instalador e refazer a instalação. Tudo bem que, por ser feito em Adobe AIR, esses procedimentos estão longe de serem os mais complexos e demorados do mundo, mas poderia ser melhor. Que tal uma skin instalada automaticamente, dando a opção aos usuários de desativá-la ou não? A abrangência seria bem maior, sem falar que, para o usuário interessado, seria bem mai cômodo também.

Enfim, a ideia, pelo menos em se tratando de Twitter, que vem se mostrando um canal fenomenal para acompanhar bastidores de produções artísticas, é nova, ainda pode ser bem lapidada. O TweetDeck, que além de Twitter, conecta também a outras redes (Facebook, LinkedIn e MySpace), mostrou o caminho. Agora é aguardar ele mesmo, ou a concorrência, dar aquela melhorada na ideia.

Em tempo: o TweetDeck, bem como sua variação Sherlock Holmes, são multiplataforma, e só pedem o Adobe AIR para funcionarem.

Fonte: CNET.

relacionados


Comentários