Meio Bit » Baú » Internet » Microsoft e União Européia – Tragédia Grega ou Ópera Bufa?

Microsoft e União Européia – Tragédia Grega ou Ópera Bufa?

08/12/2009 às 1:01

Depois de tentar competir no mercado por mais de uma década e não ter conseguido mais do que traço no Ibope o Opera, o Melhor Browser Que Ninguém Usa™ entrou com uma ação contra a Microsoft junto à União Européia, alegando monopólio, falta de competitividade, bla bla e bla.

Como o passatempo preferido da União Européia é multar empresa americana que é mais competente que as locais, a ação foi aceita de bom-grado, resultado em uma multa de mais de 1 bilhão de Euros. O objeto da ação: Como o Internet Explorer já vem instalado com o Windows, os pobres navegadores europeus injustiçados (leia-se Opera) não teriam como aparecer para os usuários.

A solução foi forçar a Microsoft a NÃO trazer o Internet Explorer pré-instalado, e oferecer ao usuário, durante o primeiro uso da máquina a opção de baixar qualquer um dos cinco principais navegadores disponíveis.

Microsoft topou, caso encerrado, correto?

Errado.

Depois de muita briga Opera E Mozilla entraram com uma nova queixa; A listagem estava sendo injusta pois os navegadores apareciam em… ordem alfabética, colocando “Apple´s Safari” em primeiro. Agora querem que os cinco navegadores apareçam de forma aleatória.

É muito mimimi, e está claro pelos gráficos que o problema NÃO é a Microsoft. O Chrome, que é MUITO mais recente em Dezembro de 2009 detinha 4,78% do markeshare europeu. O Opera, injustiçado coitadinho? 4,44%. Vejam aqui o gráfico live:

Ou seja: Enquanto o Opera chorava pitangas, o Chrome veio comendo pelas beiradas e já detém um marketshare MAIOR, mesmo sendo um navegador que sequer suporte (ok, agora suporta) extensões, enquanto o Opera faz tudo que os outros navegadores fazem, fizeram ou farão no futuro (segundo seus fãs).

Monopólios são coisas ruins, o Netscape não percebeu isso e morreu. Só que a situação demonstrada no gráfico acima não é um monopólio. É um duopólio e o segundo lugar está lá por competência. Atacar o primeiro sem atacar o segundo seria no mínimo injusto. Espera-se que a Fundação Mozilla perceba isso e mude de posição antes que o Opera também perceba e se lembre que caça a raposa é uma tradição européia.

Fonte: Ars Technica

relacionados


Comentários